Confraria Floydstock

sexta-feira, 14 de maio de 2021

Assista ao clipe de "Apocalypse", canção do novo álbum ao vivo do Lacuna Coil


"Live From The Apocalypse" chegará no dia 25 de junho próximo, via Century Media Records.

Assista ao clipe de "Bad Things", canção do novo álbum ao vivo do Lacuna Coil.

A banda milanesa Lacuna Coil liberara o clipe ao vivo de "Apocalypse", canção que integra o novo lançamento do grupo, "Live From The Apocalypse", que registrara uma apresentação na Itália, sem público, em virtude da pandemia da COVID-19 (Coronavírus), mas tudo feito como se este estivesse presente, em setembro último.

O material, que traz o álbum mais recente "Black Anima", todo ele executado ao vivo, virá nos formatos LP, CD (somados a um DVD bônus com a filmagem da transmissão original) e digital.

Assista ao vídeo de "Apocalypse" no player abaixo:


Tracklist:

01. Anima Nera
02. Sword Of Anger
03. Save Me
04. Now Or Never
05. Reckless
06. Through The Flames
07. Apocalypse
08. Black Feathers
09. Under The Surface
10. The End Is All I Can See
11. Veneficium
12. Black Dried Up Heart
13. Bad Things
14. Layers Of Time
15. Black Anima
16. Save Me (Apocalypse Version)

Within Temptation lança novo álbum ao vivo e divulga clipe; ouça e assista

"The Silent Force Tour" traz a apresentação da banda neerlandesa Within Temptation no Java-Eiland Amsterdam em 2005, divulgando o álbum "The Silent Force" (2004).

Ouça no player abaixo e assista ao clipe de "Stand My Ground":

Ouça "The Enigmatic Sequel", novo single do Mortemia (feat. Madeleine Liljestam, do Eleine)

"The Enigmatic Sequel", novo single do Mortemia, projeto paralelo de Morten Veland, guitarrista e líder do Sirenia, chegara hoje, e contando com a participação especial da frontwoman do Eleine, Madeleine Liljestam.

Sirenia lança lyric video de "This Curse Of Mine", canção de seu novo álbum; assista.

Sirenia: entrevista exclusiva com a vocalista Emmanuelle Zoldan / exclusive interview with vocalist Emmanuelle Zoldan.

Este é o 1º trabalho do projeto desde o álbum único "Misere Mortem" (2010).

Eu fui imediatamente fisgada pelo refrão muito carismático dessa música e quando ouvi os grunhidos do Morten também fui lançada em minhas raízes do black metal old school e foi um GRANDE SIM para mim quando ele perguntou se eu queria fazer uma performance nesta música! Espero que nossa legião Eleine goste!” - disse em nota Madeleine Liljestam.

Ouça no player abaixo:

quinta-feira, 13 de maio de 2021

Cream: Um furacão passou pelo rock

Na segunda metade dos anos 60 o rock estava  saindo da 'puberdade'(com seus "iê-iê-iê's" e "oh baby, give me a kiss") e chegando a 'fase adulta', onde as virtuoses começaram a se sobressair e a levarem este gênero por inúmeros caminhos. Uma dessas bandas foi o Cream, que tinha na sua formação o primeiro power trio da história do rock.

Em 1966, Eric Clapton, que na época já era "deus" e alcançou a divindade tocando e amando o blues juntava-se aos incríveis Jack Bruce e Ginger Baker, que eram jazzistas por definição e religião. Era uma "fé cega", se me permitem a torta referência.

Depois de um caminho tortuoso no início, com o primeiro single do álbum "Fresh Cream", a banda colocou pra fora toda a sua genialidade e compôs músicas que fariam parte de seus 4 álbuns de estúdio e se tornariam verdadeiras pérolas do Rock, como "Sunshine of Your Love", "I Feel Free", "White Room", "Tales of Brave Ulysses", "Strange Brew", "Toad", "Badge" e versões poderosas de "Spoonful", "Outside Woman Blues", "Crossroads", "Born Under a Bad Sign" e "Steppin' Out".

Se no estúdio a banda já era absurdamente prolífica, as performances ao vivo eram algo sem igual, marcadas pela genialidade e excelência, onde a plateia ficava numa espécie de transe diante daquilo, condensando-se em um som inovador, poderoso, psicodélico e que tomou de assalto os amantes do rock na época. E então veio o fim. As desgastantes turnês(a banda fez cerca de 300 shows em um intervalo de um ano) e as tensões entre seus membros(especialmente Bruce e Baker) acabaram esgotando o trio e seus integrantes resolveram seguir com a vida em outros projetos.

Em 26 de novembro de 1968 o Cream subia ao palco do lendário Royal Albert Hall de Londres para seu último concerto e sairia daquele palco sendo ovacionado por uma multidão consternada que jogava inúmeras rosas em direção aos três e bradava "God save the Cream!", numa espécie de alusão à "God save the Queen!", saldação costumeira feita à rainha Elisabeth.

Muitos defendem que o Cream foi o precursor do que viria a ser o heavy metal, algo que categoricamente não era a intenção da banda, tanto que anos depois numa entrevista, um "doce e gentil" Ginger Baker soltou a seguinte frase: "O Heavy Metal deveria ter sido abortado". O Cream durou menos de 3 anos, mas deixou uma marca indelével na história do rock. A lista de admiradores e músicos que foram fortemente influenciados pela banda inclui nomes como Jimi Hendrix, Roger Waters, Eddie Van Halen e David Bowie, e grupos como Hush, Led Zeppelin, Queen e Black Sabbath, entre tantos outros. 

 O Cream foi único. Um legado que poucas bandas na história da música puderam deixar. Sei que o texto é repleto de "nostalgia do que não vivemos" e cheio de romantismo. Mas o que fica é a reverência à uma das maiores bandas da história e que pavimentou o caminho para tudo o que veio depois. Como diria a revista britânica "Beat Instrumental" na sua manchete sobre o penúltimo álbum da banda, "Wheels of Fire": "Comprem este álbum ou vivam miseravelmente o resto de suas vidas!"

Por Jaderson Gomes.

quarta-feira, 12 de maio de 2021

Edu Falaschi anuncia datas de lançamento mundial do álbum "Vera Cruz" e linha de produtos exclusivos

Projeto celebra um momento de superação na carreira do cantor

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O cantor Edu Falaschi anunciou hoje através de suas redes sociais o lançamento mundial do seu primeiro álbum autoral, intitulado "Vera Cruz".

O projeto considerado ousado para os parâmetros atuais, celebra um momento de superação do cantor e será lançado mundialmente da seguinte forma:

 - 12 de Maio lançamento no Japão em formato físico e digital.

- 18 de Maio lançamento digital mundial

- 31 de Maio lançamento físico no Brasil 

- 15 de Junho lançamento físico mundial

Repleto de melodias e harmonias poderosas, o álbum incorpora todo o estilo que o artista consolidou durante seus 30 anos de carreira e que se tornou uma marca registrada em suas obras. Suas origens e principais características como cantor e compositor ficam evidentes a cada faixa desta grande álbum. 

O lançameto no Brasil contará com produtos exclusivos em formatos especiais, tais como DIGIPACK em uma edição luxuosa, embalagem com luva, escritos em prata, encarte de 20 páginas, Pop-up e uma faixa bônus para o mercado brasileiro. 

Além disso, também será lançado para os colecionadores de Vinil, um LP DUPLO COLORIDO em edição especial 180g, prensagem limitada de 285 peças.

Vera Cruz é o nome do primeiro álbum solo gravado com repertório inédito por Edu Falaschi, cantor e compositor paulistano projetado nos anos 2000 como vocalista da banda Angra, na qual permaneceu até 2012.

O trabalho teve o início das gravações em novembro de 2020 no Rio de Janeiro e foi produzido por Edu Falaschi e Roberto Barros e co-produzido por Thiago Bianchi. O disco conta com a participação dos mesmos companheiros de banda de Falaschi que o acompanham desde o início da carreira solo: Aquiles Priester, Fábio Laguna, Raphael Dafras, Roberto Barros e Diogo Mafra.

Ícone da música brasileira, Elba Ramalho, foi confirmada como a primeira convidada especial do álbum “Vera Cruz” e irá realizar um dueto mais do que especial com Edu Falaschi no novo disco. Reforçando a lista dos convidados, o álbum conta com o lendário vocalista e guitarrista Max Cavalera (Soulfly/Cavalera Conspiracy/Killer Be Killed/Go Ahead and Die), que está presente na faixa “Face of the Storm”.

Ambientado entre Brasil e Portugal nos tempos do descobrimento da ilha de Vera Cruz pelos colonizadores lusitanos, o romance é o mote da criação do repertório autoral composto por Falaschi, o conceito das letras foi criado por Edu Falaschi e desenvolvido por Fabio Caldeira. As orquestrações do álbum foram inicialmente idealizadas por Edu Falaschi e produzidas, criadas e finalizadas por Pablo Greg.

A arte do álbum e de todos os produtos associados ao Vera Cruz,  foram idealizadas pelo grande "digital designer" Carlos Fides.

O álbum "Vera Cruz" foi mixado e masterizado na Europa pelo lendário produtor Dennis Ward (Angra, Helloween, Pink Cream 69, Unisonic). “Poder estar com o Dennis novamente é extremamente emocionante, estar com ele de novo me traz muitas lindas recordações e ele sabe exatamente o que eu gosto em termos de sonoridade, sem contar que ele tem um bom gosto absurdo para mixagens”, afirma Edu sobre trabalhar com o Dennis Ward.

Tracklist:

1 – Burden

2 – The Ancestry

3 – Sea Of Uncertainties

4 – Skies In Your Eyes

5 – Frol De La Mar

6 – Crosses

7 – Land Ahoy

8 – Fire With Fire

9 – Mirror Of Delusion

10 – Bonfire Of The Vanities

11 – Face Of The Storm – feat. Max Cavalera

12 – Rainha do Luar – feat. Elba Ramalho