Confraria Floydstock: psychedelic rock
Mostrando postagens com marcador psychedelic rock. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador psychedelic rock. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 13 de abril de 2021

Pink Floyd: Roger Waters diz que turnê ‘This Is Not A Drill’ pode ser a sua última

Pode ser o "último alento" do co-fundador do Pink Floyd ou uma "primeira turnê de despedida"

Roger Waters anunciou que sua turnê "This Is Not A Drill", remarcada para o verão americano de 2022 pode ser sua "última" ou pelo menos sua "primeira turnê de despedida!"

Os shows são mais do que meros shows, como o político Waters, que já se encontra com 77 anos de idade, explicou em um comunicado à imprensa:

This Is Not A Drill" é uma nova extravagância cinematográfica/rock and roll inovadora, realizada em geral, é uma acusação impressionante da distopia corporativa na qual todos nós lutamos para sobreviver e um chamado à ação para AMAR, PROTEGER e COMPARTILHAR nosso planeta e lar precário. O show inclui uma dúzia de grandes canções da era dourada do PINK FLOYD ao lado de várias novas, palavras e música, mesmo escritor, mesmo coração, mesma alma, mesmo homem. Pode ser seu último grito. Uau! Minha primeira turnê de despedida! Não perca. Amante."

Em um anúncio em vídeo, o cofundador do Pink Floyd disse que “estamos parados no precipício e só precisamos de um pequeno empurrão e seremos notícias de ontem. Isso não é um exercício; sou eu gritando do meu telhado. E esperando que todos vocês gritem do alto de seus telhados e todos nós comecemos a agir como um e acabemos com essa loucura."

Confira o clipe abaixo:

Waters fará 36 shows nos EUA e Canadá, começando em Pittsburgh em 6 de julho de 2022 na PPG Paints Arena. Estava tudo programado para 2020 e fora adiado devido à pandemia.

Os portadores de ingressos para as datas da turnê de 2020 anunciadas anteriormente receberão um e-mail com mais informações e os ingressos originais serão válidos para as novas datas de 2022.

Via SPIN.

sexta-feira, 9 de abril de 2021

Pink Floyd - Fleetwood Mac: veja David Gilmour tocando "Albatross"



Faixa estará em disco tributo a Peter Green e primeiros anos do Fleetwood Mac

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Em fevereiro do ano passado, o lendário Mick Fleetwood reuniu um time de estrelas em Londres para homenagear a vida e a obra de Peter Green. O registro dessa noite, que ganhou um novo sentido com o falecimento de Peter. “Mick Fleetwood & Friends Celebrate The Music Of Peter Green and The Early Years Of Fleetwood Mac”, que chegará inicialmente em 24 de abril próximo, em HD e 4K com som Dolby Atmos e 6 dias depois sendo lançado nos formatos físicos doméstcos.

Mick Fleetwood se une a Steven Tyler (Aerosmith) e Billy Gibbons (ZZ Top) em “Rattlesnake Shake”.

O eterno guitarrista floydiano, David Gilmour, subira ao palco para a execução da canção "Albatross" ao lap-steel, lado de Rick Vito e Andy Fairweather Low, somados ao baixista Dave Bronze, Zak Starkey na percussão e o próprio Mick Fleetwood na bateria.

A noite e o álbum são uma celebração à obra de um artista que influenciou gerações junto de um resgate de uma fase do Fleetwood Mac que muitos não conhecem, focada no blues.

O show foi uma homenagem ao blues, onde todos nós começamos, e é importante reconhecer o profundo impacto que Peter e essa primeira fase do Fleetwood Mac tiveram no mundo da música. Ele foi meu maior mentor e foi uma alegria homenagear seu incrível talento. Tive a honra de compartilhar o palco com alguns dos muitos artistas que Peter inspirou durante os anos e que compartilham meu grande respeito por ele”, relembra Mick Fleetwood.

Confira o trailer do projeto:

Passaram pelo evento nomes que fazem parte da história do rock como Neil Finn (Fleetwood Mac), Noel Gallagher, David Gilmour, John Mayall, Christine McVie (Fleetwood Mac), Jeremy Spencer (Fleetwood Mac), Zak Starkey (The Who), Pete Townshend (The Who), Kirk Hammett (Metallica) e Bill Wyman (Rolling Stones). O produtor Glyn Johns (The Beatles, The Who, The Rolling Stones, Led Zeppelin e Eric Clapton) foi o responsável pela gravação.

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Assista ao clipe de “Mantis”, canção do EP de estreia do Buzzard

O duo catarinense Buzzard lançara no dia 2 de abril último, em seu canal de Youtube, o videoclipe de “Mantis”, uma das quatro faixas de seu EP de estreia "Eye of the Sun" que será lançado no dia 9 de próximo. Realizado pela produtora audiovisual PULSO de Florianópolis, o videoclipe tem trechos instigantes e beira o surrealismo, em uma produção bela e lisérgica adequada à faixa que caminha entre o Rock Psicodélico e o Doom com uma aura hipnótica.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?
Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O duo formado em 2020 na cidade de Brusque por André Leoni (baixo/voz) e Suyanne Gabrielle (bateria/voz) se inspira em nomes como Om, Sleep e Samsara Blues Experiment e produz uma sonoridade dividida entre o peso e a profundidade, com uma energia meditativa, cíclica e atraente. O EP de estreia "Eye of the Sun" foi contemplado em todo seu processo pelo recurso de apoio à cultura Aldir Blanc.

Segue uma declaração da banda sobre o conceito do videoclipe:

Na faixa Mantis procuramos abordar a temática "mágoa", o próprio nome faz alusão ao inseto louva-a-deus (praying mantis), que faz sentido quando relacionado à entidade que retratamos no clipe. Buscamos retratar a relação humana com esse sentimento de forma lúdica, dramática. Acrescentando objetos que fazem referência à letra e as próprias entidades, como se esses objetos trouxessem lembranças e consequentemente mágoas, os objetos o rodeiam na banheira, quando ele consegue sair de lá, após o toque/batismo da entidade branca, ele corre daquilo que o cercava e se vê em desespero, a entidade branca guardava a porta frontal, o protegendo da matérias escuras que aparece em forma de entidade escura quando a porta se abre. No desenrolar do clipe as mãos se sujam cada vez mais, a entidade antes branca agora aparece manchada, cada vez mais. A casa é a representação de uma prisão, e de como a mágoa nos prende de fato, a  banheira é uma passagem, é o tempo, é o momento de digerir as coisas, as mãos que o incomodam e que o fazem sair da banheira são a realidade apertando-o e incomodando-o, então ele levanta da banheira, corre pelo corredor e a saída está trancada, a saída é voltar e lidar com o que há dentro de si, a mágoa fica pra trás, a entidade branca absorve toda a mágoa/matéria escura, o livra disso e retoma sua forma limpa e imaculada, no fim se voltam à você, como se dissessem ‘Você é o próximo’