Confraria Floydstock: music
Mostrando postagens com marcador music. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador music. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 28 de março de 2022

Liam Gallagher diz que Bono, vocalista do U2, não é ‘minimamente rock ‘n’ roll’

Liam Gallagher criticou o U2, alegando que a banda irlandesa "não é minimamente rock 'n' roll".

A ex-estrela do Oasis fez os comentários ao responder ao fato de que o vocalista do Foo Fighter, Dave Grohl, o chamou de “fucking rock star”.

Um fã no Twitter perguntou a Gallagher como ele se sentia ao receber elogios tão altos, ao que ele respondeu: “Ele está certo, o resto deles são inúteis [sic]”.

Ele então elaborou seu tweet em uma nova entrevista à Loudwire, dizendo: “Quero dizer, nem todos eles são [inúteis], mas a maioria deles é.

Aqueles que pensam que são estrelas do rock não são, eles... apenas vivem uma vida muito chata, e eu acho que o rock 'n' roll merece um pouco mais do que apenas fazer música, você sabe o que quero dizer? Você tem que chegar lá e se dar bem, você só tem que viver uma vida excitante.

Ele acrescentou: “É como o U2, eles se passam por uma banda de rock ‘n’ roll, mas o que…? Vamos lá, cara, eu nunca vi a porra do Bono, quero dizer, eu nunca vi nenhum deles fazer nada minimamente rock 'n' roll".

Gallagher disse que o U2 deveria ter entrado “em coisas um pouco mais safadas” se eles quisessem ser conhecidos como rock ‘n’ roll.

Ele disse: “Sem dúvida, acho que é sobre atitude. Muitas pessoas vão dizer: 'Ah, é tudo sobre música'. Mas eu discordo, não acho que seja tudo sobre música. Obviamente você tem um certo grau de, suas músicas têm que ser decentes o suficiente, mas acho que a atitude vai longe.

Mas as pessoas pensam que o rock ‘n’ roll soa um pouco bobo e um pouco estúpido, mas significa muito para mim. Prefiro ser isso do que bancar algum idiota politicamente correto.

Esta não é a primeira vez que Gallagher critica o U2. Em 2017, ele disse que preferia “comer minha própria merda” do que ouvir “aqueles bostas”.

No mês passado, Gallagher admitiu que “saiu dos trilhos” quando seu irmão Noel deixou o Oasis em 2009.

Os irmãos tocavam juntos na banda desde 1991, mas o Oasis terminou abruptamente depois que a dupla teve uma discussão pouco antes de se apresentarem em um show na França.

Embora Liam tenha demonstrado o desejo de se reunir com seu irmão e reunir o grupo novamente nos últimos anos, não há sinal oficial de que isso aconteça.

Gallagher lança seu terceiro álbum de estúdio, "C'mon You Know", em 27 de maio.

Via Independent.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Morreu Meat Loaf

Superstar do rock'n'roll morreu aos 74 anos de idade, em casa com sua família ao seu lado, confirmou seu agente.

O cantor e ator americano Meat Loaf morreu aos 74 anos, confirmou seu agente. Nascido Marvin Lee Aday e mais tarde conhecido legalmente como Michael, o músico morreu na quinta-feira com sua esposa, Deborah Gillespie, ao seu lado. Nenhuma causa de morte foi revelada.

Sabemos o quanto ele significou para muitos de vocês e realmente apreciamos todo o amor e apoio enquanto passamos por esse momento de luto por perder um artista tão inspirador e um homem bonito”, disse sua família em um comunicado. "Do coração dele para as suas almas... nunca pare de balançar!"

Escrito e composto por Jim Steinman, o álbum de estreia de 1977 do Meat Loaf, "Bat Out of Hell", continua sendo um dos álbuns mais vendidos da história. O álbum de 1993 de Steinman e Meat Loaf, "Bat Out of Hell II: Back Into Hell", produziu o single de sucesso mundial "I'd Do Anything for Love (But I Won't Do That)". Foi seu único single número 1 no Reino Unido, passando sete semanas no topo. Ele completou a trilogia Bat Out of Hell com "The Monster Is Loose em 2006". Os três álbuns venderam mais de 65 milhões de cópias em todo o mundo.

Meat Loaf também teve um papel de destaque na versão cinematográfica de 1975 de "The Rocky Horror Picture Show" interpretando Eddie, um entregador malfadado que canta a música "Hot Patootie". Ele apareceu em mais de 50 filmes e programas de TV, entre eles Fight Club, Wayne's World e Spiceworld the Movie. Em 2021, ele assinou um contrato para desenvolver uma série de competição de relacionamentos intitulada "I'd Do Anything for Love (But I Won't Do That)".

Via The Guardian.

terça-feira, 7 de dezembro de 2021

Music Business: CEO da Latinoamérica360, Bono da Costa, oferece conteúdo gratuito

Compor, ensaiar, gravar, lançar. Tudo isso é importante. No entanto, todo artista que visa crescer de fato, precisa imergir no universo do music business. Por isso, o CEO da Latinoamérica360, Bono da Costa resolveu compartilhar todo o seu conhecimento gratuitamente através da série Pro Music Business 360.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

São vídeos semanais, onde o produtor executivo e booker aborda as principais nuances mercadológicas do âmbito musical. Nos dois primeiros vídeos, por exemplo, trouxe os passos iniciais para quem visa organizar uma turnê dentro ou fora do Brasil. Tudo disponível gratuitamente via Instagram. 

Segundo Bono, a ideia é trazer um conteúdo que ajude os artistas e as bandas de forma objetiva. “Nos vídeos, falo de ações que podem ser aplicadas no dia a dia, oferecendo estratégias baseadas em resultados reais e auxiliando-os a avançarem no mercado musical”.

Bono da Costa é conhecido no meio musical por atuar em grandes eventos. Tais como SXSW (EUA), Womex (Polônia), Bime (País Basco), Bomm (Colômbia), Fimpro (México), Sol Madrid/Monkey Week (Espanha), entre outros. Além disso, já trabalhou no Brasil na produção de shows e na internacionalização de nomes como Francisco El Hombre, Liniker, NX Zero, Vanessa da Mata, The Baggios, Autoramas, Ratos de Porão, entre outros. Com especialização em Management Musical e Criação de Projetos Culturais pela Universidad Europea Miguel Cervantes, da Espanha, o CEO da Latinoamérica360 também oferece mentorias e cursos especiais. Para mais informações, basta acessar o site: https://linktr.ee/latinoamerica360.

Nos últimos 16 anos, Bono viveu em diferentes países, passando por Peru e México. Atualmente, reside em Madri, na Espanha. Neste momento, no entanto, o profissional se encontra no Brasil, mais especificamente na capital paulista - onde deve permanecer até o dia 10 de dezembro.

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Mini entrevista com o jornalista musical Igor Miranda

Jornalista conversou novamente com a Confraria Floydstock.

Há 3 anos, em plena ascensão, era já uma referência dentro do jornalismo musical brasileiro, especialmente dentro do universo do rock e metal.

Nessa época, Igor Miranda, responsável pelo igormirandasite.com.br , co-fundador da Van do Halen, redator efetivo do Whiplash.Net e editor-chefe da revista Guitarload, gentilmente concedera uma muito bacana entrevista aqui para a Confraria Floydstock. (LEIA AQUI).

LEIA TAMBÉM: Van do Halen: entrevista com o jornalista musical João Renato Alves.

Agora, com um volume de trabalho muito maior e milhares de seguidores a mais, ele novamente reservou um tempinho para nos responder cinco perguntas, numa mini-entrevista.

Confira nas linhas abaixo:

1 - Boa tarde. Primeiramente o meu muitíssimo obrigado por você novamente doar um pouco do seu tempo para responder mais algumas perguntas da Confraria Floydstock.

Estamos (pensando positivamente) chegando no fim da pandemia da COVID-19. O show business sofrera um baque enorme nesses 2 anos últimos, mas como você mesmo tem divulgado, os shows estão sendo gradativamente remarcados para 2022. Como você acha que será esta retomada, os artistas e bandas apostarão veementemente, cada vez mais, nos concertos e agora nem tanto nos materiais de estúdio? Como você vê o mundo da música pós-pandemia?

Sou eu quem agradeço pelo convite, é sempre bom trocar uma ideia com um amigo, especialmente para publicação em um site parceiro.

Acho que a retomada será como já estamos observando: todo mundo ao mesmo tempo. A demanda por shows será maior. Ninguém vai querer ficar parado em 2022.

Acredito até mesmo que teremos muitos álbuns sendo lançados. Em 2021, senti que o número de discos divulgados foi maior do que em 2020, onde ainda vivíamos um período de muitas incertezas. E provavelmente vários artistas gravaram materiais durante a pandemia, mas não lançaram ainda e estão segurando para 2022.

Mas é difícil fazer qualquer projeção com segurança, porque a situação pode mudar conforme cada região. Há turnês nos Estados Unidos e Europa sendo adiadas agora devido ao avanço da variante Delta. O próprio Sepultura postergou suas datas no continente europeu em função disso. Então, por mais positivos que pareçam ser os próximos meses, não dá para cravar nada.

2 - Neste cenário, para você a situação dos artistas iniciantes no Brasil e no mundo, quanto à divulgação e expansão de seus trabalhos tende a melhorar?

Acho que não muda muita coisa em termos de divulgação e expansão.

Logicamente, para os artistas, é bom estar na estrada. É a forma mais precisa de se ganhar dinheiro com sua música, tendo em vista que as plataformas de streaming não pagam bem e pouca gente compra mídia física nos dias de hoje.

Entretanto, a divulgação virtual, quando bem feita, rende frutos inimagináveis. E há o acaso. Se falássemos em 2020 que uma banda como o Maneskin tocaria no Rock in Rio 2022, seríamos taxados de loucos - mas eles vão. Houve um "empurrão" do Eurovision, mas a popularidade deles basicamente gira em torno da internet, de trabalhos virais, de pensar a música além do musical.

O que a volta aos palcos representa é, acima de tudo, o restabelecimento da renda dos artistas. Como aparato de divulgação, nem tanto.

3 - Falando em iniciantes, o que de novo você tem ouvido e gostaria de recomendar?

Sempre estou buscando novidades, até mesmo para o trabalho em meu site, com a playlist de lançamentos e o calendário de álbuns que são divulgados semana a semana. Mas vou destacar artistas que comecei (ou voltei) a ouvir em 2021 e que, em minha opinião, merecem destaque.

- Inglorious, excelente banda de hard rock do Reino Unido (e com um baixista brasileiro), que tem apostado mais no peso e disponibilizou o disco “We Will Ride”;

- Mammoth WVH, projeto de Wolfgang Van Halen, que liberou seu trabalho homônimo de estreia e arrebentou em turnê com o Guns N' Roses;

- Cardinal Black, uma dessas descobertas aleatórias de plataformas de streaming que te puxam pelo cabelo, que publicou um EP homônimo;

- The Moon City Masters, banda nova-iorquina que cheira a anos setenta e virou sensação no streaming aqui no Brasil, com seus singles divulgados a cada dois meses;

- The Georgia Thunderbolts, ótima banda de southern rock, que lançou seu álbum de estreia “Can We Get a Witness” há pouco tempo;

- The L.I.F.E. Project e Paralandra, ambos projetos com a vocalista Casandra Carson, que canta muito (o primeiro também traz Josh Rand, do Stone Sour);

- Black Pumas, que não chegou a lançar nada em 2021, mas é uma das melhores coisas que descobri nos últimos anos;

- E por último, mas não menos importante, The Dead Daisies, agora com Glenn Hughes e responsável por um dos melhores álbuns que ouvi neste ano: “Holy Ground”.

4 - Após muito tempo cobrindo intensamente o universo do rock (e você ainda o faz), quem lhe segue provavelmente percebeu que você vem abrindo bastante o leque e expandindo suas publicações pelos diversos estilos musicais. Como foi este processo? Isso se deu naturalmente ou em algum momento você refletiu e decidiu sobre tal mudança?

Foi um processo natural, mas gradual. Sempre quis abordar outros gêneros musicais e até mesmo falar sobre outras expressões artísticas, como cinema e literatura, bem como pautas que conectem a música ao contexto sócio-político no qual estamos inseridos. Mas como falo sobre rock e metal na internet desde 2007, tenho um público que me acompanha exclusivamente por isso.

Aos poucos, fui identificando os outros gêneros admirados por esse público já formado, fiz o "pareamento" com o meu gosto pessoal e comecei a expandir o leque.

Hoje em dia, embora o rock e o metal deem a tônica do meu trabalho, já não me limito mais a isso. Também falo sobre pop, blues, jazz, MPB, filmes, séries, livros, instrumentos musicais, produção musical... abordo o que der na telha, o que eu sentir que é relevante/interessante para meu público e o que eu me sentir seguro para abordar com precisão.

5 - Pra fechar, uma mais descontraída: o igormirandasite.com.br está sempre informando quase que em tempo real tudo o que acontece no meio musical. Você produz tudo sozinho, né? Como você consegue ser rápido no gatilho da informação sem deixar a qualidade cair? Tem um chip na cabeça? (risos)

Por incrível que pareça, não produzo tudo sozinho há algum tempo, já que preciso me dividir entre outros projetos - também atuo como redator efetivo do Whiplash.Net e editor-chefe da revista Guitarload.

Dessa forma, tenho colaboradores que atuam comigo no IgorMiranda.com.br: André Luiz Fernandes, no site e nas redes; João Renato Alves (Van do Halen), no site; minha esposa, Cínthia Villarrubia, nas redes; Pedro de Hollanda e João Marcello Calil, na transcrição e tradução de entrevistas; além de colaboradores esporádicos (e teremos mais novidades quanto a isso nos próximos tempos). Foi necessário expandir para gerar um volume maior de conteúdo.

No entanto, tudo o que está em IgorMiranda.com.br (site, redes sociais e YouTube) passa por mim - seja ao pautá-lo, seja ao editá-lo. A ideia é deixar a produção com a linguagem e a dinâmica que me acostumei a entregar para o meu público, mesmo que a redação (que é apenas uma das etapas do processo) não seja de minha assinatura.

Aliás, deixo sempre claro que tudo isso é feito em prol do público, a quem sempre devo eternos agradecimentos por acompanhar o que faço. Há uma ponta de satisfação pessoal em trabalhar com o que gosto, mas nada disso seria possível sem ter pessoas consumindo o conteúdo que produzo.


terça-feira, 26 de outubro de 2021

E o Led Zeppelin chegou ao Tik Tok

O TikTok anunciou hoje que a música do Led Zeppelin já está disponível para sua comunidade. A banda também lançou sua própria conta oficial no TikTok (@ledzeppelin), que contará com a arte e os gráficos, apresentações clássicas ao vivo e outros conteúdos de vídeo.

Os usuários do TikTok agora podem criar vídeos com trilha sonora de qualquer música da discografia completa da banda, abrangendo mais de 100 músicas em seu estúdio histórico e álbuns ao vivo, incluindo algumas de suas faixas mais lendárias, como "Whole Lotta Love", "Stairway To Heaven", "Immigrant Song", "Rock And Roll", "Black Dog", "Ramble On" e "Kashmir".

O grupo continua sendo um dos grupos mais inovadores e populares da música moderna, tendo vendido mais de 300 milhões de álbuns em todo o mundo. A banda foi fundada em 1968 por Jimmy Page. Junto com Robert Plant, John Bonham e John Paul Jones, eles começaram um reinado de 12 anos durante os quais o grupo foi amplamente considerado a maior e mais inovadora banda de rock do mundo. 8 de novembro marcará o 50º aniversário de seu quarto álbum "Led Zeppelin IV", produzido por Page, que continua a ser um dos álbuns mais influentes artisticamente e comercialmente bem-sucedidos na história da música e o sexto álbum mais vendido de todos os tempos nos EUA, o Led Zeppelin continua a ser homenageado por seu papel fundamental na história da música, contando com uma indução no Hall da Fama do Rock And Roll, um Grammy Lifetime Achievement Award e o Polar Music Prize entre suas muitas premiações.

A banda lançara apenas oito álbuns de estúdio e nenhum single ao longo de sua carreira de 12 anos, mas até o momento existem mais de 1.000 singles e 2.000 LPs no mercado.

A performance do Led em 10 de dezembro de 2007 durante o concerto de tributo a Ahmet Ertegun fora trazida no CD e DVD "Celebration Day" (2012) da banda. O set, que contou com Jason Bonham substituindo seu falecido pai John Bonham na bateria, marcou Plant, Page e Jones no primeiro show em grande escala, juntos desde a morte de seu baterista em 1980.

Via Blabbermouth.

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Empreendedorismo musical é tema de série documental no YouTube

Muito além do faça você mesmo, existe o façamos juntos. A partir da ideia de que apenas unidos é possível transformar a realidade dos artistas da música surgiram ao redor do país diversas cooperativas musicais, que estimulam a criação de políticas públicas voltadas à cultura, em especial na música. Em quatro episódios, a série documental “Empreendedorismo Afinado: As Estratégias das Cooperativas Musicais Brasileiras” acompanha o nascimento, história e legado das iniciativas desenvolvidas no Brasil nas últimas duas décadas. 

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Segundo Simone Pereira de Sá, coordenadora do projeto: “são dados inéditos, que preenchem uma lacuna importante da história da nossa cultura.” O documentário teve estreia do primeiro episódio no dia 01 de outubro, gratuitamente no canal do grupo de pesquisa LabCult, no YouTube.

Assista ao primeiro episódio:

A série documental Empreendedorismo Afinado analisa os impactos econômicos e sociais do cooperativismo na música brasileira. Enquanto a indústria da música passa por reconfigurações diversas nas últimas décadas, é no Brasil que as organizações coletivas em torno da música se destacam. De Norte a Sul, o grupo de pesquisadoras vai em busca de registros sobre o funcionamento destas organizações, enquanto investigam a relevância das mesmas no impulsionamento de projetos relacionados à indústria criativa.


A fim de compreender a importância destas cooperativas musicais, as pesquisadoras ouvem no primeiro episódio os relatos de Esso Alencar (Cooperativa da Música Potiguar), Makely Ka (Cooperativa da Música de Minas), Luis Felipe Gama (Cooperativa de Música do Estado de São Paulo), Téo Ruiz (Paraná) e Márcio Xavier (Espírito Santo) sobre as origens e o contexto político que propiciaram o florescimento das cooperativas. 

 
E Simone destaca a importância das políticas culturais implementadas pelo Ministério da Cultura, nas gestões de Gilberto Gil e Juca Ferreira. “Fica explícita através das entrevistas a relação entre as políticas culturais de Gil e Ferreira e os coletivos de música, que passam a se organizar para responderem ao debate proposto pelo Ministro”.


A série documental “Empreendedorismo Afinado: As Estratégias das Cooperativas Musicais Brasileiras” é fruto do trabalho de pesquisa do LabCult, grupo de pesquisa da UFF (Universidade Federal Fluminense) e contou com as pesquisadoras: Simone Pereira de Sá (coordenadora), Simone Evangelista, Júlia Silveira e Luiza Bittencourt. O roteiro foi elaborado por Simone Evangelista, e contou com direção de Simone Pereira de Sá e Leonam Dalla Vecchia.  A montagem foi de Leonam Dalla Vecchia. 

O Empreendedorismo Afinado também virou e-book e pode ser baixado gratuitamente em: https://bit.ly/cooperativismo-afinado


Assista a todos episódios do Empreendedorismo Afinado:

 

Episódio 02: https://youtu.be/CB5W3MfuNGg

Episódio 03: https://youtu.be/FkhVpuKFxRI

Episódio 04: https://youtu.be/HxrmwMjf1v4

quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Pink Floyd: Nick Mason "pasmo" com as alegações de bullying de Roger Waters

O baterista do Pink Floyd, Nick Mason, disse que ficou "pasmo" com as afirmações de Roger Waters de que foi intimidado enquanto estava na banda.

Mason recentemente conversou com o veterano escritor musical Jim DeRogatis na Coda Collection para discutir sua carreira de mais de 50 anos. Em um ponto, DeRogatis trouxe uma velha entrevista na qual Waters disse ao apresentador de podcast Marc Maron que o guitarrista David Gilmour e o tecladista Richard Wright "principalmente estavam sempre tentando me derrubar" e "estavam sempre tentando me derrubar".

"Estou um pouco pasmo com isso", respondeu Mason. “Eu acho que é uma forma um pouco emocional demais de colocar que havia algum tipo de divisão dentro da banda sobre ... Porque Roger sempre estava olhando além da música, de certa forma.

Acho que foi artificial, mas acho que possivelmente havia o lado que queria fazer infláveis ​​e filmes, além de música, e aqueles que só queriam fazer música”, continuou. "Mas eu não acho que eles foram maus com ele, particularmente. É difícil imaginar ser mau com Roger."

Fazendo uma última crítica a seu ex-colega de banda, Mason brincou: "Stalin foi intimidado".

Em outra parte da entrevista, Mason elogiou o falecido baterista dos Rolling Stones Charlie Watts, que ele não conhecia muito bem, mas ainda admirava muito. “Ele era [um] personagem absolutamente encantador, e eu só queria dizer algo sobre o que ele forneceu, suponho, para a banda”, disse Mason. "Porque alguém pode ficar um pouco empolgado com a técnica, particularmente com a bateria de certa forma. ... Eu não acho que Charlie jamais fez um solo de bateria com os Stones. Isso diz muito, eu acho, porque não era necessário. O que realmente importava era manter aquele ritmo para a banda. É um pouco o mesmo com Ringo [Starr], eu acho, que as pessoas subestimam o quão bom eles são naquele papel em particular."

Via UCR.

Elton John: ""Rocketman" é melhor do "Bohemian Rhapsody" - O meu é verdadeiro"

Para Sir Elton John, sua cinebiografia é superior a de Freddie Mercury e o Queen

Elton continua orgulhoso de seu filme, produzido por seu marido David Furnish e dirigido por Dexter Fletcher. Até mesmo muitos fãs do Queen criticaram o filme do Queen e Freddie Mercury, por reorganizar as linhas do tempo e manipular certos momentos da história da banda. Alguns também acusaram o filme de encobrir as partes mais problemáticas da vida de Freddie. Elton, que conhecia bem Freddie, acrescentou sua opinião forte.

Elton John e Stevie Wonder lançam a canção inédita “Finish Line”; ouça.

A Bíblia da indústria americana, Variety, perguntou a Elton o que ele realmente pensava dos dois filmes:

"A nossa fala a verdade - embora seja uma fantasia ... Minha vida não pode ser açucarada, e eu não queria que fosse."

As estrelas do Queen, Brian May e Roger Taylor, responderam às críticas de seu filme explicando que sua intenção era fazer um filme para toda a família que celebrasse seu colega de banda e amigo, capturando o espírito de sua vida ao invés de cada pequeno detalhe.

Mas Elton admitiu que lutou para assistir alguns momentos dolorosos do filme.

O filme não foge de alguns dos momentos mais angustiantes da vida da estrela, representados na tela por Taron Egerton.

Elton disse: "Minha vida era assim e eu não queria encobrir isso. E é difícil assistir porque pensei: 'Deus, eu não quero voltar para lá. Graças a Deus eu saiu disso'.

O sucesso foi fantástico, e então eu não consegui lidar com isso. E você não pode deixar de lado o ruim.

O filme é uma visão ousada e corajosa da vida de uma lenda viva que de alguma forma mudou tudo e encontrou o amor e a família com David Furnish e seus dois filhos.

Mostra-o hospitalizado após outro colapso e Elton descreveu os pontos mais baixos com detalhes francos e destemidos.

Ele disse: "Eu teria uma crise epiléptica e ficaria azul, e as pessoas me encontrariam no chão e me colocariam na cama. Então, 40 minutos depois, eu estaria cheirando outra linha (de cocaína)."

Elton acrescentou: "Era tão desolador assim, eu ficava acordado, fumava charro, bebia uma garrafa de Johnnie Walker e depois ficava acordado por três dias."

No entanto, ele ainda tinha elogios a Bohemian Rhapsody: "Foi um filme para todos e funcionou de forma brilhante.

Trouxe a ótima música de Freddie Mercury para um monte de pessoas que nunca teriam ouvido falar dele. Estou emocionado pelos caras (Queen)."

"Bohemian Rhapsody" arrecadou $ 903,6 milhões na bilheteria mundial, enquanto "Rocketman" arrecadou $ 195 milhões.

Via Express.

quinta-feira, 2 de setembro de 2021

Revengin: Banda lança videoclipe de “When Fate Calls”

Uma das grandes referências do Symphonic Metal no Brasil, a banda Revengin lançou na última sexta o videoclipe do single “When Fate Calls” em seu canal no Youtube.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

When Fate Calls” é o mais novo lançamento da banda e fará parte do “Inner Dark” que está previsto para sair em mídia física.

A produção do vídeo foi feita pela própria banda, edição por Max Volta da Volta Team da Argentina e a produção e gravação da música foi feita por Romulo Pirozzi no Piro-Z Studios no Rio de Janeiro, com mixagem e masterização por René Heimans da MaXxive Productions da Holanda.

A gravação do videoclipe foi realizada na Escola de Bateristas Jorge Casagrande no Rio de Janeiro.

Confira abaixo o videoclipe de “When Fate Calls”:

quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Darkwoods My Betrothed lança "In Evil, Sickness and in Grief', canção de seu 1° álbum em 23 anos e trazendo Tuomas Holopainen como integrante; ouça

Os cult finlandeses Darkwoods My Betrothed estão de volta com "Angel of Carnage Unleashed", seu primeiro álbum em 23 anos e o quarto no geral, desta vez com o tecladista do Nightwish, Tuomas Holopainen, como membro de pleno direito pela primeira vez depois de ter contribuído com seus três álbuns anteriores como um músico de sessão.

Neste próximo álbum, que será lançado em 12 de novembro próximo pela Napalm Records, a banda também recrutou o baterista do Nightwish Kai Hahto, como um membro da sessão, enquanto o restante da formação original da banda, Pasi Kankkunen (vocal, guitarra), Jouni Mikkonen (guitarra) e Teemu Kautonen (baixo, backing vocals), todos voltaram no ano passado, quando  a Darkwoods My Betrothed anunciou sua reunião.

Sobre o status de Holopainen como membro em tempo integral, Mikkonen comentou:

"Tuomas foi apresentado como tecladista de sessão em todos os álbuns anteriores. Desta vez, ele estava totalmente a bordo desde o momento em que decidimos fazer este álbum e, portanto, foi natural para ele tornar-se um membro pleno da banda. Ele também fez uma contribuição substancial para o processo criativo. "

"In Evil, Sickness and in Grief' é nosso primeiro novo lançamento desde 1998. Para o retorno após 23 anos de silêncio, escolhemos uma música que mostra tudo o que a banda trata - batidas explosivas assassinas, riffs cativantes temperados com melodias assustadoras , gritos viciosos contrastados por vocais e coros limpos, teclados majestosos e camadas de vozes femininas assustadoramente bonitas ", começou a banda em um comunicado à imprensa.

"Esses ingredientes fornecem a tela musical para uma letra que apresenta um diálogo entre um soldado camponês recrutado à força para o exército sueco e o Santo Anjo da Guerra do Massacre, que exige atos tão horríveis do soldado que ele acaba com uma alma destroçada",  Darkwoods my Betrothed continuou, aludindo ao tema do álbum enraizado em The Great Northern War, que aconteceu entre 1700 e 1721.

"As letras são baseadas no trabalho do renomado historiador finlandês Teemu Keskisarja. Sua pesquisa nos inspirou a incorporar cuidadosamente todas as letras no contexto histórico apropriado e trazer a dimensão humana ao se concentrar em histórias de pessoas individuais e como elas vivenciaram este período talvez mais sombrio da história finlandesa", comentou Kautonen."

O vocalista Kankkunen acrescentou: "Foi muito importante para nós ter a formação original no álbum de retorno. Também concordamos logo no início do processo em compartilhar a composição em proporções iguais - assim como fizemos no álbum clássico de 1996, Autumn  Roars Thunder."

Ouça "In Evil, Sickness and Grief" abaixo e veja a capa e tracklist de "Angel of Carnawal Unleashed" mais adiante na página.  Para pré-encomendar o álbum, clique aqui.

Via Loudwire.


Tracklist:

1. "Name the Dead"

2. "In Evil, Sickness and in Grief"

3. "Murktide and Midnight Sun"

4. "You Bitter Source of Sorrow"

5. "Where We Dwell"

6. "In Thrall to Ironskull’s Heart"

7. "Massacre"

8. "Black Fog and Poison Wind"

9. "Outro"

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

Joe Bonamassa lança clipe de "The Heart That Never Waits", canção de seu novo álbum; assista

"The Heart That Never Waits" integra "Time Clocks", novo álbum de Joe Bonamassa, que chegará no dia 29 de outubro próximo.

Joe Bonamassa lança clipe de "Notches", sua nova canção; assista.

Assista no player abaixo:


Tracklist:

1. Pilgrimage
2. Notches
3. The Heart That Never Waits
4. Time Clocks
5. Questions And Answers
6. Mind's Eye
7. Curtain Call
8. The Loyal Kind
9. Hanging On A Loser
10. Known Unknowns


Jinjer libera clipe de "Wallflower", canção de seu novo álbum; assista

"Wallflower" é o nome do novo álbum da banda Jinjer, que chegará no dia 27 de agosto próximo, em diversos formatos, via Napalm Records.

Jinjer libera clipe de "Mediator", canção de seu novo álbum; assista.

Jinjer libera clipe de "Vortex", canção de seu novo álbum; assista.

Assista ao clipe no player abaixo:

Tracklist:

01 Call Me a Symbol

02 Colossus

03 Vortex

04 Disclosure!

05 Copycat

06 Pearls and Swine

07 Sleep of the Righteous

08 Wallflower

09 Dead Hands Feel No Pain

10 As I Boil Ice

11 Mediator

Edge of Paradise lança clipe de "The Unknow", faixa-título de seu novo álbum; assista

"The Unknow" é o nome do 4º álbum da banda Edge of Paradise, que chegará no dia 17 de setembro próximo, via Frontiers Music Srl.

Edge of Paradise lança clipe de "My Method Your Madness", canção de seu novo álbum; assista.

Edge of Paradise lança clipe para o single "Digital Paradise"; assista.

Assista ao clipe no player abaixo:

Tracklist:

Digital Paradise

My Method Your Madness

Tidal Wave

The Unknown

Believe

False Idols

You Touch You Die

One Last Time

Leaving Earth

Bound To The Rhythm

My Method Your Madness (Industrial Remix) Bonus Track

Homem fotografado como bebê na capa de 'Nevermind' processa o Nirvana, alegando pornografia infantil

A foto faz o bebê parecer "um trabalhador do sexo", disse um advogado de Spencer Elden, o homem retratado na capa enquanto criança.

O homem que foi fotografado nu debaixo d'água quando bebê e mais tarde acabou na capa do álbum icônico do Nirvana, "Nevermind", entrou com um processo na terça-feira última alegando que ele foi vítima de pornografia infantil.

A capa do álbum mostra Spencer Elden, agora com 30 anos, em uma piscina quando era bebê, com o pênis exposto.

A imagem usada para a capa do segundo álbum do Nirvana em 1991 inclui uma imposição digital de uma nota de um dólar em um anzol que o bebê parece estar tentando agarrar. A capa foi amplamente considerada uma repreensão ao capitalismo.

Fotos nuas não sexualizadas de bebês geralmente não são consideradas pornografia infantil perante a lei. Mas o advogado de Elden, Robert Y. Lewis, alega que a inclusão de moeda na foto faz com que o bebê pareça "um trabalhador do sexo".

Kurt Cobain "escolheu a imagem de Spencer - como um trabalhador do sexo, agarrando uma nota de um dólar que está posicionada pendurada em um anzol na frente de seu corpo nu com seu pênis explicitamente exposto", declarou no processo, movido no Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o Distrito Central da Califórnia.

Elden está pedindo pelo menos $150.000 (quase R$800mil) de cada um dos réus, que incluem os membros sobreviventes da banda Dave Grohl e Krist Novoselic; Courtney Love, a executora do espólio de Cobain; Guy Oseary e Heather Parry, gerentes da propriedade de Cobain; fotógrafo Kirk Weddle; o diretor de arte Robert Fisher; e várias gravadoras existentes ou extintas que lançaram ou distribuíram o álbum nas últimas três décadas.

O baterista original do Nirvana, Chad Channing, também é citado como réu, embora tenha sido substituído por Grohl em 1990, antes que o álbum fosse gravado ou a fotografia da capa fosse tirada.

A Entertainment Weekly relatou em 1992 que Elden, com 4 meses de idade, foi escalado para a filmagem junto com outros quatro bebês. Cobain encomendou a filmagem depois de ver um documentário sobre bebês nascendo debaixo d'água e "pensar que a imagem daria uma capa legal", disse Fisher à revista na época. "Essa visão era um pouco gráfica demais, então optamos pelo bebê nadador."

Weddle tirou as fotos em uma piscina olímpica no centro aquático Pasadena, na Califórnia.

"Weddle tirou uma série de fotos sexualmente explícitas de Spencer", diz o processo. "Para garantir que a capa do álbum desencadearia uma resposta sexual visceral do espectador, Weddle ativou o 'reflexo de vômito' de Spencer antes de jogá-lo debaixo d'água em poses destacando e enfatizando os órgãos genitais expostos de Spencer.

Weddle produziu essas imagens sexualmente gráficas com o objetivo de aprimorar e aumentar o sucesso comercial do Nirvana, o álbum "Nevermind" de L.L.C.", disse o processo."

O álbum vendia cerca de 300.000 cópias por semana quando alcançou o primeiro lugar na Billboard 200 dos Estados Unidos no início de 1992. O álbum, com os clássicos "Smells Like Teen Spirit" e "Come as You Are", passou pelo menos 335 semanas no total no Billboard 200.

A imagem da capa recebeu resistência, momento em que Cobain concordou em lançar o álbum com um adesivo sobre os órgãos genitais de Elden que dizia: "Se você está ofendido com isso, você deve ser um pedófilo enrustido."

"O adesivo, no entanto, nunca foi incorporado à capa do álbum", segundo o processo.

Como resultado, Elden "sofreu e continuará a sofrer ferimentos pessoais" e "danos permanentes", incluindo "sofrimento emocional extremo e permanente com manifestações físicas, interferência em seu desenvolvimento normal e progresso educacional, perda ao longo da vida da capacidade de ganho de renda, perda de salários passados ​​e futuros, despesas passadas e futuras com tratamento médico e psicológico, perda de gozo de vida e outras perdas ”, afirma a ação.

Via NBCNEWS.COM

terça-feira, 24 de agosto de 2021

Lucifer confirma novo álbum para outubro trazendo capa "antipatriarcado"

"Lucifer IV" chegará em 29 de outubro, via Century Media Records, em uma capa "chocante", sobretudo para os mais conservadores.

O trabalho traz a frontwoman Johanna Sadonis crucificada, em protesto à opressão sofrida pelo sexo feminino desde sempre.

Em nota, ela mesma explicara:

Quando criança, eu era fascinada por ‘Like a Prayer’, da Madonna. Uma mulher de negócios sexualmente livre e muito poderosa dançando na frente de cruzes em chamas. Mas isso era considerado autoindulgente e uma blasfêmia por muitos homens – e infelizmente também para algumas mulheres. Era a provocação definitiva de uma ‘prostituta’.

Para mim, figuras como ela e tantas outras mulheres que tentam se expressar livremente e a reação em seguida são simbolizadas pela bruxa que é colocada na fogueira e deve ser queimada até a morte. Como uma mulher neste mundo e nos negócios, tive minha própria cota de abusos emocionais e físicos. Isso não me deixou amargurada, mas me deu uma personalidade muito desafiadora.

A capa desse álbum, assim como parte do conteúdo lírico dele, é meu ‘f*da-se’ pessoal ao patriarcado, aos homens e suas mulheres co-dependentes que menosprezaram, silenciaram, agrediram emocionalmente e espalhar mentiras sobre mim – aquelas psesoas que tentaram me impedir de fazer música. Eu tive que assinar um contrato para me manter em silêncio no passado? Sim, eu tive. Mas, aqui estou eu, continuando a fazer um álbum após o outro com meus grandes colegas no Lucifer. Tente me colocar na fogueira e eu vou rir da sua cara.

Uma das minhas fotógrafas favoritas, Ester Segarra, captou para a capa, com maestria, a cena que veio da minha ideia, que consistia em um Jesus de madeira em um crucifixo incendiado por baixo para simbolizar o fogo ardente da estaca. Se você vê esta capa como uma zombaria do Cristianismo, ótimo, como quiser. Mas é muito mais do que isso. E essa é apenas a capa. Mal posso esperar para deixar a música falar.

Assista ao lyric video da canção “Wilde Hearses”.


Tracklist:

Archangel Of Death

Wild Hearses

Crucifix (I Burn For You)

Bring Me His Head

Mausoleum

The Funeral Pyre

Cold As A Tombstone

Louise

Nightmare

Orion

Phobos

Rolling Stones: morreu Charlie Watts

O baterista dos Rolling Stones, Charlie Watts, morreu aos 80 anos, disse seu assessor de imprensa em Londres, Bernard Doherty, em um comunicado.

O comunicado diz:

"É com imensa tristeza que anunciamos a morte de nosso amado Charlie Watts.

Ele faleceu pacificamente em um hospital de Londres hoje cedo cercado por sua família.

Charlie era um marido, pai e avô querido e também como membro dos Rolling Stones um dos maiores bateristas de sua geração.

Pedimos gentilmente que a privacidade de sua família, membros da banda e amigos próximos seja respeitada neste momento difícil."

No início de agosto, o Sr. Watts foi submetido a uma cirurgia de emergência por "um problema médico não especificado".

Ele fez tratamento para câncer de garganta em 2004.

sábado, 21 de agosto de 2021

Pink Floyd: Roger Waters anuncia seu quinto noivado aos 77 anos de vida

Roger Waters está noivo ... de novo. Será a quinta vez que o astro do rock se casará.

Uma fonte nos contou que Waters, 77, estava jantando nos Hamptons na semana passada quando o ouviram apresentar sua companheira de jantar a um amigo como sua “noiva”.

Nossa fonte diz que sua companheira é a mesma mulher que apareceu no tapete vermelho com ele no festival de cinema de Veneza 2019 para seu filme concerto, "Us + Them". 

Informamos exclusivamente em 2015 que Waters se separou de sua quarta esposa, Laurie Durning. O casal se casou em 2012 depois de morar junto por 10 anos.

O divórcio multimilionário foi tão amargo, Durning disse a Waters enquanto testemunhava no tribunal: "Que idiota você é" - e acrescentou um Rolex de $ 35.000 que estava no limbo durante o rompimento enquanto era consertado: "Eu quero meu relógio. Isso é tudo." (Um juiz os fez assinar um acordo de que o relógio de Daytona era dela.)

Roger Waters testemunhou na época que o relacionamento havia “rompido irremediavelmente”.

A dupla teve o que foi descrito como um acordo pré-nupcial “generoso”. Quando questionada se ela estava feliz com o pagamento, Dunning disse na época: “Sim, eu não lutei contra isso”.

Waters, que tem pontos de vista controversos sobre Israel , mudou-se brevemente com a autora e ativista palestina Rula Jebreal. Mas foi de curta duração.

Uma fonte disse à Page Six em 2016:

Tudo acabou tão rápido quanto começou - embora eles concordassem em muitas questões, não conseguiam encontrar um terreno comum em outras. Além disso, suas famílias não se davam bem.” Ela também havia sido casada com um amigo dele.

Waters também foi casado com a ceramista Judith Trim, bem como com a aristocrata britânica Lady Carolyne Christie, e com a atriz de “Frankie and Johnny” Pricilla Phillips.

Um representante do roqueiro não comentara o assunto até agora.

Via Page Six.

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

Anette Olzon lança "Fantastic Fanatic", 3ª canção de seu novo álbum; ouça

"Fantastic Fanatic" integra "Strong", 2º álbum solo da vocalista Anette Olzon (Nightwish, The Dark Element, Allen/Olzon), que chegará no dia 10 de setembro próximo, via Frontiers Music Srl.

Anette Olzon lança canção dedicada a quem sofreu abusos e maltratos; ouça.

Anette Olzon celebra seus 50 anos com clipe de música nova; assista.

Todo álbum consiste em canções da própria Anette em parceria com o músico e produtor Magnus Karlsson, guitarrista do Primal Fear.

Ouça "Fantastic Fanatic" no player abaixo:


Tracklist:

1 Bye Bye Bye

2 Sick of You

3 I Need to Stay

4 Strong

5 Parasite

6 Sad Lullaby

7 Fantastic Fanatic

8 Who Can Save Them

9 Catcher of My Dreams

10 Hear Them Roar

11 Roll the Dice

A Banda:

Anette Olzon – vocal

Magnus Karlsson – guitarra

Johan Husgafvel – baixo

Anders Köllerfors – bateria


quinta-feira, 19 de agosto de 2021

Iron Maiden divulga 'Stratego", 2ª canção de seu novo álbum; ouça

Banda lançará primeiro álbum em seis anos em setembro.

Na esteira de seu single bíblico "The Writing on the Wall", o Iron Maiden anunciara "Senjutsu", seu 17º álbum de estúdio e o primeiro da banda em seis anos.

Agora chegou o single "Stratego", 2ª canção do novo trabalho, que você pode conferir no player mais abaixo.

"Senjutsu", chegará em 3 de setembro, como um álbum duplo com duração de 82 minutos. O álbum foi gravado em Paris com o produtor de longa data da banda Kevin Shirley e co-produzido por Steve Harris. O título japonês se traduz livremente em "tática e estratégia", e a obra de arte inspirada em samurai foi criada por Mark Wilkinson a partir de uma ideia de Harris.

Escolhemos gravar no Guillaume Tell Studio na França novamente porque o lugar tem uma vibração muito relaxada”, diz Harris. “A configuração lá é perfeita para as nossas necessidades; o prédio costumava ser um cinema e tem um teto muito alto, então há um ótimo som acústico. Gravamos este álbum da mesma forma que fizemos com The Book of Souls, em que escreveríamos uma música, ensaiaríamos e, em seguida, montaríamos imediatamente enquanto tudo estava fresco em nossas mentes.

Ele acrescenta: “Existem algumas músicas muito complexas neste álbum que deram muito trabalho para que soassem exatamente como queríamos, então o processo às vezes foi muito desafiador, mas Kevin é ótimo em capturar a essência do banda e acho que valeu a pena! Estou muito orgulhoso do resultado e mal posso esperar que os fãs ouçam.

O vocalista Bruce Dickinson disse: “Estamos todos muito animados com este álbum. Gravamos no início de 2019 durante uma pausa na turnê Legacy para que pudéssemos maximizar nossa turnê, mas ainda assim teríamos um longo período antes do lançamento para preparar uma ótima arte de álbum e algo especial como um vídeo. Claro, a pandemia atrasou mais as coisas, tanto para os melhores planos, ou deveriam ser ‘estratégias’!? As canções são muito variadas, e algumas delas são bastante longas. Há também uma ou duas canções que soam bem diferentes do nosso estilo usual, e acho que os fãs do Maiden ficarão surpresos - no bom sentido, espero!”.

Tracklist:

1. Senjutsu

2. Stratego

3. The Writing on the Wall

4. Lost in a Lost World

5. Days of Future Past

6. The Time Machine

7. Darkest Hour

8. Death of the Celts

9. The Parchment

10. Hell on Earth

"Se Floor Jansen sair do Nightwish a banda acaba", diz Tuomas

O líder do Nightwish, Tuomas Holopainen, disse que a banda se separaria se a vocalista Floor Jansen decidisse sair.

Holopainen, que formou o grupo em 1996 com o guitarrista Emppu Vuorinen e a vocalista original Tarja Turunen, fez o comentário enquanto discutia a recente saída do baixista/vocalista de longa data Marko "Marco" Hietala.

Pressionado pela revista britânica Metal Hammer sobre sua declaração de 2019 de que a banda se separaria se outro membro optasse por sair, Tuomas disse: "Foi assim que me senti em 2019, e também como me senti quando Marko saiu. Retiro minhas palavras quando se trata disso. Mas se for a Floor indo embora, é o fim do Nightwish. Com certeza, 100%."

Questionado sobre como ele se sentiria sobre o fim se a banda desistisse amanhã, ele disse: "Se o NIightwish acabar, foi uma grande corrida, uma aventura maravilhosa de 25 anos. Então eu teria que inventar algo novo."

Jansen fez sua estréia ao vivo como a vocalista do Nightwish em 1º de outubro de 2012 no Showbox Sodo em Seattle, Washington após a saída abrupta da vocalista da banda por cinco anos, Anette Olzon.

Jansen se juntou oficialmente ao grupo em 2013 e fez sua estreia em estúdio no álbum "Endless Forms Most Beautiful" de 2015.

Turunen foi demitida no final da turnê da banda em 2005 ao ser "presenteada" com uma carta aberta que foi publicada no site oficial ao mesmo tempo. Na carta, os outros membros do Nightwish escreveram: "Para você, infelizmente, negócios, dinheiro e coisas que nada têm a ver com emoções tornaram-se muito mais importantes."

Holopainen mais tarde chamou a decisão de se separar de Turunen de "a coisa mais difícil que já tive de fazer". Por sua vez, Tarja disse que a maneira como foi expulsa do grupo provou que seus ex-companheiros de banda não eram seus amigos. "Talvez um dia eu perdoe, mas nunca esquecerei", disse ela.

Em 2019, Turunen provocara especulações na Internet sobre seu possível retorno depois de sua reunião no palco em dezembro de 2017 com Hietala durante um show "Raskasta Joulua" em Hämeenlinna, Finlândia.

"Eu sei que muitos fãs adorariam ver algo acontecer, mas é uma distância muito longa", disse ela à Kerrang! “Pessoalmente, não vejo nada acontecendo comigo e com eles, para ser sincera. Marko entrou um pouco mais tarde na banda; ele não estava lá desde o início. Ele sempre foi um cara de quem eu era próxima. Tuomas Holopainen, no entanto, não nos vemos há muito tempo ... mas temos estado em contato. Não é ruim. O passado é o que é; não podemos mudar isso. Só podemos mudar o futuro."

Via Blabbermouth.