head> Confraria Floydstock: elton john
Mostrando postagens com marcador elton john. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador elton john. Mostrar todas as postagens

domingo, 20 de novembro de 2022

Elton John: último show nos EUA será transmitido ao vivo hoje pelo Disney+

Estamos chegando ao fim da “Yellow Brick Road”.

Elton John, 74, fará hoje à noite no  Los Angeles Dodger Stadium, local do lendário show de 1975, que cimentou seu status de estrela, o último de seus 4 shows finais nos EUA como parte de sua turnê de despedida, a “Farewell Yellow Brick Road Tour”.

O show de 20 de novembro terá um significado especial para John: será seu 2.000º show nos EUA e o último na América do Norte.

Sir Elton John também contém a ansiedade:

“É o último show da minha última turnê na América, então vamos terminar com um estrondo, certo?”  ele compartilhou no Instagram.

As estrelas Dua Lipa, Kiki Dee e Brandi Carlile se juntarão a John para seu canto do cisne nos EUA.

E ainda poderá até haver mais convidados especiais, especialmente considerando que o show de 20 de hoje será transmitido ao vivo no Disney+.

Depois que John tocar todos os sucessos que você conhece e adora — "Bennie and the Jets", "Tiny Dancer", "Your Song" e tantos outros, no Dodger Stadium, ele ainda não vai pendurar seu casaco esporte de lantejoulas.

De abril a maio, John tem 10 shows agendados na O2 Arena de Londres.


Transmissão no Disney+


O Disney+ transmitirá o concerto de de três horas ao vivo hoje, as 23h30 (horário de Brasília) e prestará homenagem ao seu icônico show no Dodger Stadium de 1975 no processo, com tudo isso sendo abrangido no documentário vindouro “Goodbye Yellow Brick Road: The Final Elton John Performances And the Years That Made His Legend

quarta-feira, 16 de novembro de 2022

Paul McCartney, Elton John, Roger Waters e outros falam sobre Abbey Road em documentário: assista ao trailer

"If These Walls Could Sing", de Mary McCartney, chega ao Disney+ no próximo mês.

O primeiro trailer de "If These Walls Could Sing", o novo documentário de Mary McCartney sobre o Abbey Road Studios, estreou hoje (via Rolling Stone). O filme chega ao Disney+ em 16 de dezembro, se alinhando com o 90º aniversário dos estúdios. Os entrevistados no trailer incluem Paul McCartney, Elton John, Ringo Starr, Nile Rodgers, Noel Gallagher, Roger Waters, Celeste e George Lucas, cujas trilhas sonoras de Star Wars foram parcialmente gravadas no Abbey Road. Assista abaixo.

No início deste mês, Paul McCartney (que é o pai de Mary) anunciou uma caixa de vinil contendo 80 singles de 7". O documentário de Peter Jackson "Let It Be, Get Back", saiu no ano passado.

Assista ao trailer:

quarta-feira, 5 de outubro de 2022

Elton John: “Goodbye Yellow Brick Road” e o fim da ingenuidade

Ele já era uma estrela, mas "Goodbye Yellow Brick Road", de 1973, fez dele uma mega estrela. Um álbum duplo repleto de singles de sucesso e faixas de álbuns fascinantemente diversas, parece ainda mais impressionante quando você considera que foi gravado em apenas duas semanas na França. “Eu escrevia no café da manhã à mesa”, lembrou Elton John à BBC. “A banda se juntava. E quando o café da manhã acabava, escrevemos e ensaiamos duas músicas, e fomos para o estúdio e as gravamos. Os meninos fizeram os backing vocals enquanto eu estava na cama. Foi o auge de nossos poderes.

A música do álbum variou de suítes de músicas ambiciosas (“Funeral For A Friend/Love Lies Bleeding”) a pop pateta (“Bennie And The Jets”) e roqueiras arrasadores (“Saturday Night's Alright (For Fighting)”. No entanto, é a faixa-título, uma balada de piano ansiosa com letras ternas e oprimidas do colaborador de longa data de John, Bernie Taupin, que serve como o núcleo emocional do álbum.

Houve um período em que eu estava passando por toda aquela coisa de 'tenho que voltar às minhas raízes', o que gerou muitas músicas com ideias semelhantes nos primeiros dias, sendo essa uma delas”, diz Taupin sobre as origens do “Goodbe Yellow Brick Road”. “Eu não acredito que eu estava virando as costas para o sucesso ou dizendo que não o queria. Eu só não acredito que eu já fui tão ingênuo. Eu acho que eu estava apenas esperando que talvez houvesse uma maneira feliz de existir com sucesso em um ambiente mais tranquilo. Minha única ingenuidade, eu acho, foi acreditar que eu poderia fazer isso tão cedo. Eu tive que percorrer um longo caminho e visitar a escola de batidas duras antes que eu pudesse chegar perto de alcançar esse objetivo.

Na interpretação de Taupin, a Estrada de Tijolos Amarelos é um caminho para o artifício e o engano, muito distante das corujas, sapos e arados da fazenda de onde o narrador veio. Ele propositadamente exagera o ato de caipira como uma forma de excitar um parceiro romântico controlador que queria apoiá-lo em sua cobertura “onde os cães da sociedade uivam”.

Algumas das críticas de Taupin, pelo menos no papel, parecem as mais desagradáveis diatribes de Dylan (“Há muitos como eu para serem encontrados / Mongrels que não tem um centavo / Farejando petiscos como você no chão.”) No entanto, quando cantada por John, sua voz se arqueando de um cantarolar resignado para um falsete arranha-céu, essas linhas parecem nada mais do que uma despedida gentil. Se alguma coisa, Elton transforma a música em uma declaração de liberdade pessoal duramente conquistada: “Oh, eu finalmente decidi minhas mentiras futuras / Além da estrada de tijolos amarelos”.

Goodbye Yellow Brick Road” chegou ao segundo lugar nas paradas dos EUA após seu lançamento, apenas mais um grande sucesso em uma longa série deles para este artista lendário. O que faz essa faixa se destacar entre essa impressionante coleção de músicas é a maneira comovente como ansiava por um tempo mais simples e fundamentado no exato momento em que Elton John estava subindo às alturas vertiginosas do estrelato.

Via American Songwriter.

sexta-feira, 26 de agosto de 2022

Elton John e Britney Spears lançam "Hold me Closet", versão de "Tiny Dancer"; ouça

Canção marca o retorno artístico da cantora, que nada lançava desde 2016.

A cantora americana Britney Spears, finalmente livre judicialmente de seu pai, vem retomando aos poucos a direção de sua própria vida, incluindo agora a artística, dando o pontapé inicial desse processo com o lançamento de hoje: uma versão de "Tiny Dancer" sucesso enorme do cantor bretão Elton John, contando com a participação do próprio, agora com o título de "Hold me Closet".

Sobre isso, Sir Elton John declarou:

Ela está longe há tanto tempo – há muito medo ali, porque ela foi traída tantas vezes e não esteve oficialmente no radar do público por tanto tempo. Estamos segurando a mão dela durante todo o processo, assegurando-lhe que tudo vai ficar bem. Estou muito animado por poder fazer isso com ela, porque se for um grande hit – e acho que pode ser -, isso lhe dará muito mais confiança do que ela já tem e ela perceberá que as pessoas realmente a amam.