head> Confraria Floydstock: divulgação
Mostrando postagens com marcador divulgação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador divulgação. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 1 de dezembro de 2022

Dan Brooklyn lança seu álbum de estreia "The Great Beast", dedicado a Aleister Crowley e com cover de Ozzy

Trabalho chegou hoje em diversas plataformas

1º de dezembro de 2022. Este dia é mais do que apenas o começo do fim de um ano agitado, é também o aniversário da morte do homem mais perverso do mundo.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Enquanto o mestre ocultista Aleister Crowley tem sido tema de inúmeras canções, obras de arte e histórias de fundo de alguns dos lançamentos de metal e rock mais influentes de todos os tempos, o artista de metal industrial holandês Dan Brooklyn continua sendo aquele que realmente lança o vermelho (ou melhor, o preto) ) tapete para Crowley.

Com novas influências góticas e Nu-Metal, variando de gigantes da cena como Alice Cooper ou Rob Zombie até Rammstein, Dan Brooklyn entrelaça a saga musical de gelar o sangue em torno de um dos homens mais notórios e infames que já caminharam na terra. Naturalmente, o próprio Dan Brooklyn não hesita em quebrar barreiras e encontrou seu nicho como um dos nomes mais esperançosos da Europa em Shock Rock. Imagens explícitas, letras perturbadoras, parcialmente retiradas dos próprios escritos de Crowley e instrumentais assombrosos, todos constroem o epos que é seu primeiro álbum, "The Great Beast". Com a ajuda de Caleb Bingham (ex-Five Finger Death Punch) do Athanasia como produtor e colega músico no disco, Brooklyn conseguiu criar seu próprio som característico que faz as cabeças virarem imediatamente.

No álbum, Dan Brooklyn leva o ouvinte a uma jornada pela vida e práticas de Crowley, sem nunca glorificar, mas sim aumentar a conscientização sobre os atos e filosofias de Aleister Crowley. Sobre o próprio Sr. Crowley e a história do álbum, Dan Brooklyn diz: “Crowley era temido por seus contemporâneos tementes a Deus; celebrado como um pensador pioneiro e livre pela geração da contracultura dos anos 60 e 70. Mas qual das muitas faces é a verdadeira face de Crowley? Ele foi o pioneiro libertino e incompreendido que abriu caminho para a Era de Aquário? Ou ele era o narcisista egoísta, viciado em sexo e drogas que seus críticos afirmam que ele é? Ouça "The Great Beast" e descubra por si mesmo!” Como faixa de encerramento do álbum, Dan Brooklyn colocou o toque de Midas no que talvez seja a música mais conhecida já escrita sobre Aleister Crowley: "Mr. Crowley", que será lançada como single em 3 de dezembro no 74º aniversário de Ozzy Osbourne, não é apenas um favorito constante na lista de reprodução de todos os metalheads, mas ganha um novo apelo por meio dos vocais no estilo Rammstein e dos instrumentais lindamente construídos. Mas há mais: 6 de dezembro marca o aniversário do Sr. Randy Rhoads, então ele será homenageado com o lançamento do videoclipe de "Mr. Crowley". Uma coisa é certa: você nunca ouviu Ozzy dessa maneira. Dan Brooklyn sublinha: “Acho que conseguimos criar um cover sombrio, original e cinematográfico dessa música; diferente de qualquer um que já se ouviu antes!"

Em seu recente clipe, "Chamber of Nightmares", Dan Brooklyn prova sua habilidade como um compositor promissor, combinando sua mistura de estilo de metal industrial, gótico e rock chocante com uma grande porção de cativante, tornando a faixa um verdadeiro destaque de "The Great Beast". A música também tem algumas surpresas reservadas, um excelente exemplo disso sendo um solo altamente melódico que não pareceria deslocado em uma música moderna do In Flames, apresentada na primeira metade da faixa. Brooklyn diz o seguinte sobre sua inspiração subjacente: “'Em 1920, Crowley fundou a Abadia de Thelema em Cefalu, Sicília. Um templo, centro espiritual e anti-mosteiro, que ele queria transformar em um centro global de devoção mágica. Aleister cobriu suas paredes com murais surrealistas; imagens enormes e coloridas de ciclopes, duendes e outras criaturas. Ele se referia ao seu quarto como 'Chambre des Cauchemars' - a 'Câmara dos Pesadelos' - e às vezes trancava seus devotos em seu quarto por horas a fio depois de dar-lhes alucinógenos. Os psicodélicos provavelmente deram vida aos murais, e Crowley fez isso para que seus devotos “superassem seus medos”. A música é sobre os eventos descritos acima e provavelmente a faixa mais amigável para o rádio do disco. Apresenta amostras de Crowley dizendo 'Coragem!' e 'Ou como flores em sua beleza, para a câmara da justiça'."

Ouça o álbum "The Great Beast", de Dan Brooklyn aqui: https://orcd.co/danbrooklyn


Tracklist:

01 93 (The Dawn of an Enigma)
02 Boleskine House
03 The Power of Darkness is More Than Just a Superstition  
04 The Midnight Flower Unfurled 
05 The Equinox of the Gods
06 Droppings From the Host of Heaven
07 The Great Beast
08 The Most Powerful Being in the World
09 Chamber of Nightmares
10 Scattered Through the Galaxy Like Grains of Sand 
11 Liber XLIV (The Mass of the Phoenix)
12 The Poet
13 Mr. Crowley.

terça-feira, 29 de novembro de 2022

Godsmack divulga clipe para “Surrender”; assista

Faixa estará em “Lighting Up The Sky”, oitavo trabalho do grupo.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Após anunciar seu oitavo álbum de estúdio “Lighting Up the Sky”, o Godsmack lança o clipe para o single “Surrender”, um dos destaques deste novo trabalho. Previsto para o dia 24 de fevereiro de 2023, o disco promete seguir a história de sucesso de seu antecessor, “When Legends Rise” (2018), que alcançou quatro singles #1 consecutivos. O clipe está disponível no canal do YouTube da banda e apresenta os bastidores de sua turnê e a conexão com o público.

Assista ao clipe de “Surrender”:

Faça pré-save de “Lighting Up The Sky”: https://Godsmack.lnk.to/LightingUpTheSkyPR

Produzido pelo vocalista e guitarrista Sully Erna em parceria com Andrew “Mudrock” Murdock (Avenged Sevenfold, Alice Cooper), “Lighting Up The Sky” irá apresentar uma narrativa poderosa. “Gosto quando um disco leva você a uma trajetória contada de trás para frente. Percebi que há toda uma história aqui sobre a jornada de um homem, os altos e baixos”, diz Erna, que chega com o Godsmack em sua primeira passagem pelo Brasil  em abril de 2023.

Além dele, a banda de Massachusetts é formada por Tony Rombola (guitarra), Robbie Merrill (baixo) e Shannon Larkin (bateria). Com mais de 20 anos de sucesso, Godsmack se consolidou como um dos maiores nomes do rock no século XXI. Até o momento, os músicos alcançaram impressionantes 11 singles #1 nas rádios de rock americanas, incluindo “Bulletproof”, “Unforgettable”, “When Legends Rise” e “Under Your Scars”, todos do álbum mais recente. O grupo marcou presença com 20 hits no Top 10 nessas mesmas rádios, mais do que qualquer artista desde o fim dos anos 90 -, bem como quatro indicações ao Grammy. A banda ainda foi indicada na categoria Artista de Rock do Ano do Billboard Music Awards em 2001.

Acredito que ‘Lighting Up The Sky’ traz uma história com a qual todos se conectarão, em um nível humano, porque todos passamos por coisas na vida”, Sully Erna continua, ao contar que o disco dialoga com relacionamentos humanos, política e a ideia de legado. O vocalista e guitarrista revela ainda que pensa este álbum como último trabalho de estúdio da banda. 

Com mais de 20 milhões discos vendidos em todo o mundo, Godsmack prepara sua nova fase. Os singles “Surrender” e “You And I” estão disponíveis em todas as plataformas de música via BMG.

Tracklist:

You And I

Red White & Blue

Surrender

What About Me

Truth

Hell’s Not Dead

Soul On Fire

Let’s Go!

Best Of Times

Growing Old

Lighting Up The Sky.

Trio Zaravi realiza nesta quinta (1º) o último show do projeto “A Viola Caipira e suas possibilidades”

O espetáculo acontece em Guaxupé (Minas Gerais), no Teatro Municipal Arlete Souza Mendes, com entrada gratuita.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O grupo paulista Trio Zaravi se apresenta nesta quinta-feira, 1º de dezembro, na cidade de Guaxupé, Minas Gerais, com o show do projeto "A Viola Caipira e suas possibilidades".

O show traz a essência da alma brasileira e a sua diversidade através da música instrumental, com composições e arranjos que combinam rusticidade e requinte. A apresentação que acontece no Teatro Municipal "Arlete Souza Mendes" e terá entrada gratuita.

Com Dalga Larrondo no zarb e percussão, Bruno Menegatti nas rabecas e Thiago Rossi na viola, o Trio Zaravi transporta o ouvinte a uma experiência atemporal, ilustrativa de uma cultura viva e seu rico processo de transformação, com o repertório destacam compositores brasileiros contemporâneos como Almir Sater, Levi Ramiro, Anderson Baptista, Zé Gramani, entre outros.

Este é o último show da série iniciada na cidade de Cosmópolis, onde surgiu o projeto "A Viola Caipira e suas possibilidades". O Trio Zaravi escolheu a cidade mineira de Guaxupé para encerrar as apresentações deste ano.

A Viola Caipira e suas possibilidades

A viola caipira, um instrumento brasileiro, marcado pela representatividade em manifestações populares e transmissão de conhecimento através da oralidade, vem ao longo dos tempos ganhando novos espaços e cenários no país. Desde 2005, a viola está na Academia, com a criação do primeiro curso de música, com bacharelado em viola caipira, pela USP (Universidade de São Paulo). Diante deste cenário, esse instrumento passa a transitar em diversas manifestações e segmentos musicais diferentes. Ao mesmo tempo em que o instrumento vem conquistando novos horizontes, não se pode negar as raízes.

Segundo o violeiro Thiago Rossi, tocar um instrumento pode ser algo que fortalece as pessoas, nas suas identidades, amplia repertório de vida, desenvolve competências numa fase de construção de identidade. “Acreditamos que o domínio de um instrumento musical, é mais completo quando o foco do ensino é voltado às tradições inicialmente. Valorizando e utilizando técnicas e repertórios tradicionais, só faz aumentar a possibilidade de criação do novo. Se conectar às origens para então traçar novos caminhos”, afirma.

Mais que uma série de shows, o projeto, que tem o incentivo federal, através do Ministério do Turismo, oferece aulas de viola na Escola Municipal de Música de Cosmópolis, Villa Musical, em parceria com a secretaria de educação e patrocínio da Stoller do Brasil.

Trio Zaravi

Nos últimos anos, o trio tem participado de inúmeros projetos, entre formação solo ou em colaboração com outros artistas, a exemplo de Gabriel Sater, João Paulo Amaral e Ricardo Matsuda.

Dalga Larrondo, Bruno Menegatti e Thiago Rossi estão envolvidos diretamente com a educação, em que imprimem um viés educativo ao trabalho, o que possibilitou a participação em projetos com a Orquestra de Violas das Oficinas de Música Caipira de Joaquim Egídio, com a Cia de Dança de Campinas no projeto Dança e Cidadania, e em oficinas musicais com o Projeto Primeira Nota em Campinas.

Atualmente, encontra-se no processo de finalização de seu primeiro CD.

Zavari é:

Jão Dalga (zarb)

Bruno Menegatti (rabecas)

Thiago Rossi (violas).

sábado, 26 de novembro de 2022

Pitty e Nando Reis lançam o EP “As Suas, As Minhas e As Nossas”

Show de lançamento acontece no dia 3 de dezembro no Vibra São Paulo e será gravado para um futuro DVD.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Em turnê pelo Brasil desde agosto, o projeto PittyNando cresceu. As apresentações ao vivo foram tão emocionantes, tanto para o público como para os artistas, que Pitty e Nando Reis decidiram gravar 5 músicas em estúdio. O EP “As Suas, As Minhas e As Nossas” (Deck) chega aos aplicativos de música na próxima quinta-feira (1/12) e, para marcar o lançamento, eles se apresentam no Vibra São Paulo no dia 3 de dezembro. A data se torna ainda mais especial porque será feito o registro audiovisual do show para edição de álbum ao vivo e DVD em 2023.

Titãs: integrantes e ex-integrantes confirmam shows com todos reunidos.

O repertório do EP, assim como o do show, traz versões completamente novas de sucessos que foram revisitados, ganhando arranjos bem diferentes dos originais a partir de uma pesquisa minuciosa. “Primeiro fiz um setlist gigantesco com todas as minhas músicas e as do Nando. Depois fomos observando quais eram as músicas que combinavam mais e que as pessoas gostariam de ver a gente cantando junto e, principalmente, que músicas se mesclavam umas às outras de forma orgânica. Então o público vai ouvir no EP, assim como no show, canções que são conhecidas, mas de uma forma que nunca escutaram antes” – conta Pitty, que assina a produção do EP em parceria com Paulo Kishimoto.

"Esse projeto é uma alegria intensa que irradia do palco e agora das músicas gravadas nesse EP. Ficamos muito felizes em poder registrar algumas das canções tocadas na turnê e a inédita 'PittyNando’, que além de ser nossa primeira parceria, traduz bem o espírito, que não é nem Pitty nem Nando e sim a junção de nossos trabalhos e de nossa forma de fazer música” – comenta Nando Reis.

Além da parceria “PittyNando” (Pitty/ Nando Reis), composta durante a turnê, “Os Cegos do Castelo” (Nando Reis), “Temporal” (Pitty), “Luz dos Olhos” (Nando Reis) e “Na Sua Estante” (Pitty) são as canções que compõe o EP.

Pitty e Nando são acompanhados pela banda formada por Martin Mendonça (guitarra), Daniel Weksler (bateria), Paulo Kishimoto (lap steel e percussão), Felipe Cambraia (baixo) e Alex Veley (teclados).

Serviço:

Show: Pitty e Nando Reis - Lançamento do EP "As Suas, As Minhas e As Nossas"

Data: 3 de dezembro (sábado)

Horário: 22h

Local: Vibra São Paulo

Endereço: Av. das Nações Unidas, 17955 - Vila Almeida -  São Paulo/SP

Ingressos: A partir de R$ 60

Compra de ingressos: https://uhuu.com/evento/sp/sao-paulo/pitty-e-nando-turne-as-suas-as-minhas-as-nossas-10712

Classificação: Livre (menores de 16 anos acompanhados de pais ou responsáveis)

Ficha técnica

Criação: Pitty e Nando Reis

Direção geral e artística: Pitty

Direção musical: Pitty e Paulo Kishimoto

Direção de arte: Tito Sabatini

Videos: Fabrizio Martinelli e Otavio Sousa

Realização: Setevidas, Relicário e Elemess.

quinta-feira, 24 de novembro de 2022

Hei’An lança o álbum "Imago" e libera o clipe de "Noises"; assista

Trabalho conceitual Post-Progressive-Metal chegará amanhã, 25/11.

A espera acabou: Hei'An está finalmente lançando seu monumental álbum pós-progressivo "Imago", e a peça final na pentalogia da banda de clipes cuidadosamente elaborados, intitulado "Noises". Contrariando o título de uma forma inesperada, os ruídos começam lentos e de forma digna, adicionando camadas peça por peça até que tudo irrompe em um crescendo festivo com uma mensagem positiva escondida no fundo:

 “Provavelmente nossa música favorita do disco, é nossa a música mais 'moderna', com muitos sintetizadores e pads, belas orquestrações e melodias cativantes, com alguns elementos progressivos escondidos lá, mas muito elegantes, então se você não estiver prestando atenção, parece bastante 'simples'. Parece enorme, no entanto, a música inteira é um grande acúmulo em direção a uma resolução majestosa para o final da música. Estamos realmente ansiosos por este, é essencialmente sobre encontrar a paz dentro de si mesmo.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O vídeo animado oficial de "Noises" cria a atmosfera perfeita para esta música sobre uma viagem ao seu próprio coração (e cabeça): “Agora estou sentado em uma sala / ruídos são meus únicos amigos / prefiro focar no que é verdade / do que os mesmos velhos cânticos das pessoas”. As imagens em movimento rápido e as cores fortes e escuras manifestam a luta interior pela paz de uma forma impressionante e profundamente comovente, com algumas animações que lembram o teste da mancha de tinta de Rorschach, enquanto outras cenas mostram indivíduos solitários em ambientes abandonados, absorvidos pela música e seus próprios pensamentos.

Uma ótima maneira de encerrar o ciclo de singles e mover os fãs para a jornada maior e transformadora que é a "Imago".

"Imago" será lançado amanhã, 25 de novembro via SAOL e está disponível para pré-venda aqui: https://orcd.co/heian_imago

Hei'An e "Imago": masterclass pós-moderna

Originalmente um projeto de um homem só do músico esloveno Matic Blagonič, o Hei'An agora evoluiu para um verdadeiro coletivo de artistas empenhados em trazer o metal esloveno para nossas cabeças e corações e com sucesso! A banda, que gosta de pensar em sua produção como “Post-Progressive-Metal”, impressionantemente consegue equilibrar sons pesados e emoções ternas que florescem em um campo de paisagens arcanas pós-metal. Através da inspiração de nomes como Alcest, Leprous ou Together To The Stars, especialmente os ouvintes de músicas sonhadoras e de deep metal apreciarão muito o próximo álbum imago.

O álbum conceitual, que será lançado em 25 de novembro de 2022, retrata uma jornada pelo inferno interior de um homem e o desafio de superar demônios e traumas internos. Tocando em tópicos vis, mas infelizmente muito comuns, como relacionamentos tóxicos, depressão, perda ou vício, imago direciona o ouvinte através de vários círculos de tormento e tribulações, no caminho para ressurgir com um padrão positivo e refletido.

O título "Imago", que também é o nome da faixa final, vem da última fase de desenvolvimento do crescimento dos insetos. Enquanto as lagartas passam pelo estágio de imago, elas se tornam borboletas, criaturas livres com cores únicas e um passado. Resumindo a essência do álbum, Blagonič diz: “É uma metáfora para passar por um monte de dificuldades, mas no final, abrir suas asas como uma linda borboleta e seguir em frente melhor, mais forte, mais conectado consigo mesmo e mais bonito, especialmente dentro. É por isso que há uma borboleta na capa do nosso álbum. Mas, como você notará, a borboleta ainda tem as asas levemente queimadas e danificadas, isso porque, ao passar por dificuldades, você nunca pode simplesmente 'esquecer' ou 'apagar' o que passou, o trauma sempre ficará com você, para sempre . Mas se você aceitar, entender (e a si mesmo) e aprender com isso, você ainda pode desabrochar em uma linda borboleta, cheia de amor e cheia de vida.

A jornada musical do Hei'An pode ter apenas começado, mas com sua abordagem artística altamente lírica em relação à música pesada, eles devem ter um futuro brilhante no metal pós-moderno.

Tracklist

01 semita tenebrarum

02 inferno feat. Oəlka (Malorshiga)

03 embers

04 can't get out of my skin

05 escape

06 dreamer feat. Joe Buras (Born Of Osiris)

07 in the cold 

08 time to go feat. Matic Štemberger

09 shut my eyes

10 at the break of dawn

11 noises

12 imago

13 ko te ni

14 preteklost feat. Gregor Strasbergar - Štras (Mrfy)

15 ne iščem več besed.

terça-feira, 22 de novembro de 2022

Fenômeno da internet, Carniçal fará abertura dos shows do Hypocrisy e Samael em São Paulo

Banda de metal extremo de Nova Odessa ganhou destaque nas redes sociais por sua música e carisma.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Um dos grandes fenômenos da internet na atualidade quando o assunto é metal extremo, a banda Carniçal, de Nova Odessa, foi confirmada pela Honorsounds como atração de abertura dos shows do Hypocrisy e do Samael, que acontece na Audio, dia 11 de dezembro (domingo).

O grupo de black metal Carniçal, formado por jovens músicos, ganhou grande exposição nas redes sociais, principalmente pela plataforma TikTok, com vídeos despojados mostrando a rotina de trabalho e shows, ou mesmo vídeos apenas se divertindo. Mesmo com uma postura menos sombria que outras bandas do estilo, musicalmente o trio formado por Matheus “Sototos” Castilho (vocais e guitarra), Felipe “Sombra” Rocha (bateria) e João “Mortificado” Siqueira (baixo/vocais) entrega um black metal cru e direto, com letras em português.

O Carniçal tem um álbum lançado, intitulado Inquisição Espiritual, de 2020. Porém, apenas depois de explodirem no TikTok é que o trabalho alcançou o grande público.

Hypocrisy e Samael

Os gigantes europeus do metal extremo, Hypocrisy e Samael, realizam e uma única apresentação no Brasil em dezembro. 

Os ingressos estão disponíveis através da plataforma Ticket360 e nos pontos de venda autorizados.

Todos os setores têm ingressos disponíveis na modalidade solidária, na qual qualquer pessoa pode adquirir doando 2 kg de alimentos não perecíveis para a campanha #corridacontrafome, iniciativa que une a paixão pela música com a caridade e a conscientização com a coleta de doações.

Lenda sueca do death metal, o Hypocrisy retorna ao país após oito anos, divulgando o aclamado álbum "Worship", lançado mundialmente pela Nuclear Blast e no mercado brasileiro pela Shinigami Records, e que obteve excelente retorno de público e crítica. No repertório, grandes clássicos de mais de trinta anos de carreira.

O Samael vem pela segunda vez ao Brasil, após uma década, trazendo um repertório especial, no qual executam na íntegra um de seus mais importantes registros: "Passage" (1996), até hoje é considerado por grande parcela dos fãs como o melhor disco da longa carreira do grupo suíço formado em 1987. A banda também promete tocar faixas importantes de outros álbuns.

Esta oportunidade única de conferir dois expoentes em ação é uma realização conjunta da Honorsounds em parceria com a Till Dawn They Count Brazil.

SERVIÇO

Data: 11 de dezembro 2022 (domingo)

Show principal: Samael, Hypocrisy

Abertura: Carniçal

Local: Audio

Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 694 – Água Branca – SP

Abertura da casa: 17h

Classificação: 18 anos (menores acompanhados dos pais ou responsável)

Capacidade da casa: 3.000 pessoas

Acesso para deficientes: sim

Área PNE: sim

Local para alimentação: sim

Wifi: sim

Onde comprar: https://www.ticket360.com.br/evento/25951/ingressos-para-samael-e-hipocrisy-worship-tour-2022

Funcionamento bilheteria Audio: Segunda a sábado das 13h às 20h (exceto feriados) – sem taxa.

Destaque da cena alagoana, Gato Negro faz uma ponte entre o passado e o presente em “Mestiço”

Este é o segundo álbum da banda.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Se na mitologia grega Cérbero, o cão de três cabeças, guarda o submundo, para a banda alagoana Gato Negro, sua contraparte felina guarda o paraíso. E é por isso que ela estrela a capa de “Mestiço”, segundo álbum de estúdio do trio, onde mergulha fundo nos grooves mais psicodélicos e dançantes dos anos 70, mesclando ao rock alternativo e ao blues.

Ouça “Mestiço”: https://linktr.ee/gatonegromusica

‘Mestiço’ é a evolução natural de ‘Cio’, nosso disco de estreia. Uma mistura de sentimentos aguçada pelo isolamento da pandemia e uma vontade louca de emanar energias positivas”, conta o vocalista e guitarrista Paulo Franco, que também assina a produção musical.

Além dele, a banda conta com Wilson Silva na bateria e André Damasceno no baixo. O disco ainda traz Natan no trompete e flugelhorn. Iniciada em 2007, a Gato Negro reuniu um repertório autoral que une funk, soul, rock e blues indo de Tim Maia até Led Zeppelin. Seu disco de estreia, “Cio”, foi lançado em 2015, e durante a pandemia eles se inspiraram na vontade de trazer algo novo, algo luminoso.

Disponível em todas as plataformas musicais e com capa assinada pela artista plástica Ana Noronha, “Mestiço” é um disco para se ouvir no fim de noite ou para relaxar em casa e mostra uma nova página de um grupo que quer se reinventar para se aproximar do público.

A Banda:

Wilson Silva: Bateria

André Damasceno: Baixo

Paulo Franco: Voz, Guitarra, Piano, synth, pad.

Natan: Trompete e flugelhorn

Gravação e mixagem: Joaquim Prado 

Produção musical, arranjos e edição: Paulo Franco.

Reckoning Fest traz 9 bandas para o Rio de Janeiro

Festival busca incentivar o retorno do rock para a noite carioca.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O rock está firme e forte no retorno do Reckoning Fest, que acontece nos dias 9 e 10 de dezembro, no Imperator, na Zona Norte do Rio. Com nove bandas em seu lineup, esta é a maior edição do festival que ficou dois anos parado devido à pandemia. Idealizado pela Reckoning Hour, banda de metalcore do Rio, o evento traz diversos subgêneros do heavy metal para o palco no Méier, a fim de agradar todos os públicos: metal sinfônico, thrash e death metal, power metal, hardcore, grunge, entre outros!

No dia 9 de dezembro, o Reckoning Fest recebe as bandas Hatefulmurder, Lyria, Innocence Lost e Unnature, o detalhe é que todas elas contam com mulheres entre as integrantes. Já no dia seguinte, 10 de dezembro, os intervalos serão comandados pela DJ Cammy, enquanto o evento traz as bandas Circus, Impavid Colossus, AXTY, Odeon e a Reckoning Hour, que encerra o festival. O apresentador nos dois dias será Renan Sparrow.

Destaque da sexta-feira (9/12) o Lyria é o maior nome do metal sinfônico nacional e apresenta no palco do Imperator as canções dos discos “Immersion” (2018) e “Catharsis” (2014). Criada em 2012 por Aline Happ (voz), a banda traz  refrãos marcantes, arranjos bem trabalhados e temas de superação, o que levou a banda a acumular nas redes fãs de todos os cantos do globo, principalmente na Europa, Estados Unidos e Brasil. Além de Aline, o Lyria é formado por Rod Wolf (guitarra), Thiago Zig (baixo) e Thiago Mateu (bateria).

Assista “Let Me Be Me”, do Lyria: 

Subindo ao palco no sábado (10/12), a Reckoning Hour traz 10 anos de experiência para o palco, sendo ela hoje uma das bandas de destaque da cena carioca de música pesada. Durante a sua trajetória, o grupo teve o reconhecimento de bandas internacionais e nacionais ao tocar junto ao Dream Theater, In Flames, As I Lay Dying, Sepultura, Angra, Rhapsody, Sabaton, Children of Bodom, Suicide Silence, The Black Dahlia Murder, Septic Flesh e Fleshgod Apocalypse. No repertório da apresentação, canções dos álbuns “Beyond Conviction” (2020) e “Between Death and Courage” (2016), além do novo single, inédito, que marca a nova fase da banda carioca. A Reckoning Hour é formada por Philip Leander (guitarra e backing vocal), JP (vocal), Cavi Montenegro (baixo), Johnny Kings (bateria) e Lucas Brum (guitarra).

Assista “Away from the Sun”, do Reckoning Hour: 

O Reckoning Fest é uma realização da Striker Produções em parceria com a Lighthouse Productions. O festival conta com apoio do Tomarock Produções, do Imperator - Centro Cultural João Nogueira e da SECEC - Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro.

Serviço:

Reckoning Fest 2022

Data: 9 e 10 de dezembro de 2022 (sexta-feira e sábado)

Horário: 17h (abertura dos portões)

Ingressos: R$ 50 (meia-entrada) l R$ 80 (passaporte dois dias*) l R$ 100 (inteira)

Compre online: https://www.sympla.com.br/evento/reckoning-fest-2022-reckoning-hour-bandas-convidadas/1719015

Classificação: 16 anos

Local: Imperator - Centro Cultural João Nogueira

R. Dias da Cruz, 170 - Méier - Rio de Janeiro/RJ

*valor mediante a doação de 1kg de alimento não perecível.

segunda-feira, 21 de novembro de 2022

Marfa Motel lança o álbum "Wild Life Strangers" e libera clipe de "How Much It Hurts"; assista

Trabalho é o 1º full-lenght do trio de alternative rock.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

"Wild Life Strangers", o primeiro álbum do trio de rock alternativo Marfa Motel, criado no Texas e sediado na Alemanha, já está disponível em todas as plataformas.

Depois de seu primeiro clipe, subliminarmente perturbador, "Feel It", e o vídeo descaradamente arrogante de "They Call Me The Devil", o Marfa Motel comemora o lançamento do álbum com outro vídeo de performance visualmente impressionante para sua faixa emocionante "How Much It Hurts".

Taylor Chess comenta: “Esta é mais uma pequena história de amor. Conheci essa garota em Bali e nos encontramos na Europa alguns anos depois e tivemos uma noite infernal… Basicamente passamos por todas as fases de um relacionamento que existe em um único dia. Na manhã seguinte eu a vi voltar para Nova York, deixando meu quarto com sua mala se despedindo de mim. Isso meio que deixou um todo no meu coração. Eu sabia que era uma noite, mas ainda assim, senti cada emoção 100% e foi assim que How Much It Hurts ganhou vida.

Para traduzir essa história visualmente, a banda trabalhou com o cineasta Mirko Witzki no Witzki Visions. Chess lembra que “eu queria combinar um tipo de performance mais popular com uma verdadeira volta às raízes do rock para construir uma ponte entre esses dois estilos. Eu senti que precisava de um quarto enorme neste vídeo para ter o vazio que senti no meu coração e alma se destacar quando acenei adeus àquela aquela mulher. E mesmo que as cores exalem uma vibração fria, os visuais são tão vivos porque estão cheios de emoções verdadeiramente sentidas.

Os riffs de guitarra selvagens, as seções rítmicas insanamente apertadas e a emoção humana crua oferecem "muitas coisas para envolver sua cabeça e coração", comenta Taylor Chess.

Por mais de duas décadas, Taylor Chess vem temperando sua marca de rock arrebatador com uma mistura eclética de influências sonoras e visuais. Desde seu EP de estreia "Inside Out" em 2019, o Marfa Motel evoluiu de uma banda de rock fortemente influenciada pelo skate punk para um território verdadeiramente desconhecido: com o independente "Give Me Fire", de 2021, o grupo se estabeleceu como a encarnação contemporânea dos deuses do Rock'n' Roll que vivem no Monte Bling, com a capacidade de fazer você suar profusamente em um segundo e olhar profundamente em sua alma no próximo. Sua composição visceral é alimentada por letras cruas e sem censura, riffs de rock'n'roll grossos e quentes e bateria direta e enérgica.

A banda lançou dois EPs e um single independente desde seu início em 2019. "Wild Life Strangers", incluindo singles independentes "Give Me Fire", "Feel It", o recente "They Call Me The Devil" e o mais recente lançamento comemorativo de "How Much It Hurts", foi gravado por Markus Born, Dirk André e Jakob Morschewski nos estúdios AZF, mixado por Tobias Schirmann e masterizado por Howie Weinberg em Los Angeles. A arte foi feita por Kamil Wilde na Heart Taped Designs. Cada um dos vídeos eletrizantemente vibrantes dos singles foi criado por Mirko Witzki no Witzki Visions.


A banda também está lançando uma série (às vezes hilária) Track-By-Track em seu canal do YouTube, abordando como cada música é feita e inspirada. Marfa Motel planeja lançar outro videoclipe para "Down By The River" no início de janeiro de 2023, fique atento.

Tracklist:

01 Down By The River
02 Feel It
03 Give Me Fire
04 How Much It Hurts
05 Riding High
06 Take Me Home
07 They Call Me The Devil
08 This Is America
09 What You Gonna Do.

Eamonn McCormack: Tire o chapéu para o clipe do single "Hats Off To Lemmy"

Um tributo de blues para o "Mês do Lemmy"!

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Nós éramos uma banda de blues realmente. Embora tocássemos a mil milhas por hora, era reconhecível como blues, pelo menos para nós era; provavelmente não foi para mais ninguém.” Lemmy não poderia estar mais certo e mais errado ao mesmo tempo quando refletiu sobre os primeiros anos do Motörhead em sua autobiografia. Mr. Kilmister tem fãs e admiradores na cena do blues; ele sempre teve.

A máquina de blues irlandesa Eamonn McCormack ama Lemmy tanto pelo tipo de cara que canta afiado e fala direta que ele era quanto pelas novas maneiras radicais que ele e o Motörhead pavimentaram para o futuro do blues rock. McCormack, que fez turnês, tocou e gravou com lendas extensivamente ao longo de sua vida, agora sublinha isso de uma vez por todas com sua própria saudação "Hats off to Lemmy". O novo single de vídeo dá testemunho de uma grande batida motörheart neste baú de blues. “Dezembro está chegando”, explica McCormack, “o mês que Deus nos deu Lemmy e infelizmente, o mês em que ele o tirou de nós. E não é também o mês que nos faz olhar mais para dentro, pensando nos amigos e familiares, e nas pessoas que nunca saberão o quanto somos gratos pelo que fizeram? Lemmy foi e continuará sendo o hard rocker mais autêntico de todos os tempos. O homem revolucionou o blues, o rock e o metal, enquanto vivia essa persona 24 horas por dia, 7 dias por semana, sem ato. De jeito nenhum eu iria embora sem esclarecer isso primeiro: ele era o cara, um blueser e um roqueiro. Saudações do lado blues das coisas!

Consequentemente, o vídeo é uma carta de amor divertida e irônica para Lemmy e para o toque do Motörhead no blues, brincando com referências enquanto empurra os limites do blues rock em direção a um som edificante e fortemente estimulante no espírito e como um tributo à assinatura de alta energia do Motörhead. Curiosidade para os fãs: o maníaco irlandês de seis cordas gravou "Hats off to Lemmy" explodindo sua guitarra através de um velho Marshall 4x12, que já havia sido transportado pelo ex-guitarrista do Motörhead Brian “Robbo” Robertson para uma turnê completa com Eamonn.

O single será lançado em 9 de dezembro em todas as plataformas e já está disponível como um videoclipe no YouTube.


Sobre Eamonn McCormack

Eamonn McCormack nasceu no centro de Dublin, capital da Irlanda, e cresceu em um subúrbio do lado norte. Ele começou no violão aos seis anos de idade. Impulsionado pela performance acústica de seu colega de escola Gerry Leonard (David Bowie, Suzanne Vega), suas primeiras influências incluíram Slade, Cat Stevens, Neil Young e Rory Gallagher. Aos doze, ele cantava junto com seu violão e se apresentava nas missas folclóricas da igreja.

Logo, achando a música da igreja um pouco restritiva, o jovem adolescente adquiriu sua primeira guitarra elétrica (uma Guild Starfire), progrediu para guitarra principal e se juntou a uma banda cover de garagem local antes de fazer seu primeiro show pago. Até agora as influências se estenderam a Jimi Hendrix, Eric Clapton, Thin Lizzy e ao grupo holandês Focus. Aos dezesseis anos, Eamonn se apresentou ao vivo em um programa de rádio nacional irlandês. Nessa época, ele também ganhou uma grande competição do ensino médio, apresentando seu próprio material.

Depois de um curto período tocando em várias bandas em toda a Irlanda, Eamonn partiu para os EUA, onde se apresentou extensivamente. Ele se juntou a uma banda na Califórnia que era uma ramificação do Canned Heat e JJ Cale uma vez apareceu para tocar com eles. Lá ele ampliou seus horizontes musicais, ganhou experiência de palco vital e absorveu a música americana fresca e influências culturais. Tudo isso combinava muito bem com sua forte herança irlandesa.

Retornando à Irlanda depois de quatro anos viajando e se apresentando nos Estados Unidos, o estilo e o som únicos de Eamonn já começaram a aparecer, diferenciando-o do blues rock usual da época. Ele, consequentemente, solidificou essa assinatura, colocando-a à prova em uma extensa série de apresentações ao vivo sob o nome artístico de Samuel Eddy, estabelecendo-se em toda a Europa. Samuel Eddy e sua banda foram recompensados ​​por seus esforços, pois conquistaram a reputação de favoritos dos principais festivais de música europeus.

Eamonn, também conhecido como Samuel Eddy, assinou com a Universe Productions/Virgin Records e depois com a SPV Records em todo o mundo. Três álbuns de estúdio aclamados pela crítica, que venderam fenomenalmente bem, confirmaram que um excitante e promissor guitarrista de classe mundial estava emergindo da Irlanda.

As duas décadas seguintes viram um jovem Eamonn tocar, excursionar e gravar com muitas de suas primeiras influências de guitarra, como Rory Gallagher, Johnny Winter, Jan Akkerman (ex. Focus), Pat Travers, George Thorogood & The Destroyers, Walter Trout, Brian “Robbo” Robertson (Thin Lizzy, Motöread) e Nils Lofgren. Outro destaque desse período foi a apresentação inesquecível de Eamonn e sua banda no Parkpop Festival na Holanda para um público de cerca de meio milhão de pessoas, dividindo a conta com Robert Plant e muito mais. Eamonn também tocou no prestigiado WDR Rockpalast na Alemanha no show com Lynyrd Skynyrd & The Band, que foi televisionado e transmitido por toda a Europa.

Em sua própria gravadora, Eamonn decidiu lançar um álbum do tipo best of, consistindo principalmente de faixas remasterizadas de Samuel Eddy e oito novas músicas inéditas projetadas em Dublin por Paul Thomas (U2, Phil Lynott), antes de terminar um grande ano com sucesso abertura do show para o lendário ZZ Top em Amsterdã. Neste momento, ele também decidiu abandonar seu antigo nome artístico e voltar ao seu nome verdadeiro Eamonn McCormack. Seu melhor álbum Kindred Spirits, com faixas mais antigas com convidados especiais Rory Gallagher, Jan Akkerman, Herman Brood e Keith Donald, obteve grande reconhecimento.

Após o sucesso de Kindred Spirits, Eamonn decidiu dar um tempo da estrada, viajar pelo mundo, escrever material novo e tocar com vários artistas nos EUA, México e Hong Kong antes de retornar ao estúdio, desta vez na Alemanha, para gravar seu quinto álbum "Heal My Faith for In-Akustik". O álbum foi muito bem recebido e o colocou firmemente de volta à estrada como um artista de gravação/turnê em tempo integral.

Eamonn seguiu com um álbum duplo gravado e produzido no Reino Unido pelo produtor indicado ao Grammy Chris Tsangarides (Black Sabbath, Thin Lizzy). Sua banda agora consistia em Jonathan Noyce (Jethro Tull, Gary Moore) no baixo e Darrin Mooney (Gary Moore, Primal Scream) na bateria. O álbum "Like There's No Tomorrow" literalmente alcançou cinco críticas de estrelas em todas as categorias: um disco cheio de elétrico e outro baseado em acústico, mais uma vez provou o talento de Eamonn como um compositor e intérprete acústico competente e mostrou suas outras habilidades em gaita e bandolim.

Seguiram-se mais turnês e aparições em festivais alucinantes, levando a uma nova administração e uma nova gravadora. Para completar, Eamonn foi convidado para se apresentar mais uma vez no WDR Rockpalast na Alemanha, desta vez ao lado de Kenny Wayne Shepherd. Após este show explosivo, Eamonn e sua jovem banda foram direto para o estúdio junto com o produtor alemão Arne Wiegand e gravou seu sétimo álbum "Storyteller" com onze faixas originais versáteis, com Edgar Karg no baixo e Max Jung-Poppe na bateria e percussão.

"Storyteller" foi lançado na Europa e no Reino Unido em maio de 2020, onde alcançou o primeiro lugar nas paradas de blues em mais de meia dúzia de países. Um lançamento posterior nos Estados Unidos seguiu em 2021 com uma ótima resposta.

Um novo álbum auto-intitulado foi gravado em junho de 2022: "Eamonn McCormack" será lançado em 3 de fevereiro de 2023.

quinta-feira, 17 de novembro de 2022

Projeto "A Viola Caipira e suas possibilidades" celebra 20 anos da Orquestra Filarmônica de Violas

O concerto acontece neste sábado, 19, às 20h, no Auditório 15 de Outubro, com entrada gratuita.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

A Orquestra Filarmônica de Violas completa 20 anos de criação e, para celebrar esse momento especial, realizará neste sábado (19) uma apresentação em Cosmópolis, às 20h, no Auditório 15 de Outubro. O concerto especial, parte do projeto "A Viola Caipira e suas possibilidades", tem entrada gratuita e trará repertório de músicas que marcaram diversas fases do grupo.

O concerto será um resumo/tributo à história do grupo, reunindo clássicos do cancioneiro caipira e da MPB, além de composições de seus integrantes.

No repertório, o público poderá conferir “Vide Vida Marvada” de Rolando Boldrin, “Fé Cega, Faca Amolada” de Milton Nascimento e Fernando Brant, “Lamento Sertanejo” de Gilberto Gil e Dominguinhos, “Tocando em Frente” de Almir Sater e Renato Teixeira, entre outros arranjos que trazem uma atmosfera de profunda emoção e encantamento.

Com direção artística de João Paulo Amaral e contando com 16 integrantes, a Filarmônica de Violas é reconhecida como o mais inovador grupo musical em seu segmento, tendo esse ano recebido o Prêmio Inezita Barroso da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

Segundo o maestro Nelson Ayres, "a Filarmônica já tem atrás de si uma história brilhante, em cada nota ponteada ouve-se aquilo que é a grande marca do grupo, a música feita com paixão."

O projeto "A Viola Caipira e suas possibilidades" ainda terá mais uma apresentação, marcada para o dia 1º de dezembro, na cidade mineira de Guaxupé.

Orquestra Filarmônica de Violas

O grupo surgiu por sua iniciativa a partir de uma oficina de aprendizado da viola para interessados da região de Campinas, teve seu formato dos arranjos orquestrais implementado no início do grupo em 2001, pelo seu idealizador, o renomado violeiro e pesquisador Ivan Vilela. Utilizando a estrutura equivalente aos naipes orquestrais, os arranjos permitem ao grupo tocar de forma semelhante a uma orquestra sinfônica convencional, com seus naipes de cordas, madeiras, metais e percussão, no entanto, utilizando apenas subgrupos de violas caipiras.

Utilizando a combinação minuciosa de diferentes linhas musicais, o conjunto das linhas, executadas com uma cuidadosa e lapidada interpretação, produz um resultado sonoro rico em detalhes, arrojado e ao mesmo tempo popular, colorido por uma ampla gama de sonoridades, texturas e nuances, assumindo funções melódicas, harmônicas e rítmicas.

Ao longo desses anos o grupo gravou três álbuns, dos quais recebeu diversos prêmios, indicações, homenagens e realizou gravações e diversas apresentações em espaços como a Sala São Paulo, além de tocar com nomes como Tinoco, Irmãs Galvão, Ana Luiza, Ná Ozetti, Suzana Salles, Paulo Freire, Renato Braz, Tetê Espíndola, Ana Gilli, Lenine Santos, Nailor Proveta, Toninho Ferragutti, Ricardo Herz, Alexandre Ribeiro, Crythian Dozza e Fabio Presgrave.

A Viola Caipira e suas possibilidades

A viola caipira, um instrumento brasileiro, marcado pela representatividade em manifestações populares e transmissão de conhecimento através da oralidade, vem ao longo dos tempos ganhando novos espaços e cenários no país. Desde 2005, a viola está na Academia, com a criação do primeiro curso de música, com bacharelado em viola caipira, pela USP (Universidade de São Paulo). Diante deste cenário, esse instrumento passa a transitar em diversas manifestações e segmentos musicais diferentes. Ao mesmo tempo em que o instrumento vem conquistando novos horizontes, não se pode negar as raízes.

Segundo o violeiro Thiago Rossi, tocar um instrumento pode ser algo que fortalece as pessoas, nas suas identidades, amplia repertório de vida, desenvolve competências numa fase de construção de identidade. “Acreditamos que o domínio de um instrumento musical, é mais completo quando o foco do ensino é voltado às tradições inicialmente. Valorizando e utilizando técnicas e repertórios tradicionais, só faz aumentar a possibilidade de criação do novo. Se conectar às origens para então traçar novos caminhos”, afirma.

Mais que uma série de shows, o projeto, que tem o incentivo federal, através do Ministério do Turismo, oferece aulas de viola na Escola Municipal de Música de Cosmópolis, Villa Musical, em parceria com a secretaria de educação e patrocínio da Stoller do Brasil.

Trio Zaravi

Nos últimos anos, o trio tem participado de inúmeros projetos, entre formação solo ou em colaboração com outros artistas, a exemplo de Gabriel Sater, João Paulo Amaral e Ricardo Matsuda.

Dalga Larrondo, Bruno Menegatti e Thiago Rossi estão envolvidos diretamente com a educação, em que imprimem um viés educativo ao trabalho, o que possibilitou a participação em projetos com a Orquestra de Violas das Oficinas de Música Caipira de Joaquim Egídio, com a Cia de Dança de Campinas no projeto Dança e Cidadania, e em oficinas musicais com o Projeto Primeira Nota em Campinas.

Atualmente, encontra-se no processo de finalização de seu primeiro CD.

Zavari é:

Jão Dalga (zarb)

Bruno Menegatti (rabecas)

Thiago Rossi (violas)

Mais informações: www.instagram.com/zaravitrio.

quarta-feira, 16 de novembro de 2022

Godsmack anuncia seu novo álbum de estúdio, “Lighting Up The Sky”

Marcado para o dia 24 de fevereiro, este será o oitavo trabalho do grupo.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Destaque do hard rock e sucesso de público e crítica, o Godsmack anuncia seu oitavo álbum de estúdio, “Lighting Up the Sky”, que será lançado em 24 de fevereiro de 2023. O disco promete seguir a história de sucesso de seu antecessor, “When Legends Rise” (2018), que alcançou quatro singles #1 consecutivos. O anúncio chega junto do single “You and I”, faixa que abre o álbum.

Ouça “You and I” e faça pré-save de “Lighting Up The Sky”: https://Godsmack.lnk.to/LightingUpTheSkyPR

Assista ao visualizer de “Surrender”: 

Produzido pelo vocalista e guitarrista Sully Erna em parceria com Andrew “Mudrock”(Avenged Sevenfold, Alice Cooper), “Lighting Up The Sky” traz uma narrativa poderosa. “Gosto quando um disco leva você a uma trajetória contada de trás para frente. Percebi que há toda uma história aqui sobre a jornada de um homem, os altos e baixos”, diz Erna, que tem sua primeira passagem pelo Brasil remarcada para abril de 2023.

Além dele, a banda de Massachusetts é formada por Tony Rombola (guitarra), Robbie Merrill (baixo) e Shannon Larkin (bateria). Com mais de 20 anos de sucesso, Godsmack se consolidou como um dos maiores nomes do rock no século XXI. Até o momento, os músicos alcançaram impressionantes 11 singles #1 nas rádios de rock americanas, incluindo “Bulletproof”, “Unforgettable”, “When Legends Rise” e “Under Your Scars”, todos do álbum mais recente. O grupo marcou presença com 20 hits no Top 10 nessas mesmas rádios - mais do que qualquer artista desde o fim dos anos 90 -, bem como quatro indicações ao Grammy. Godsmack ainda foi indicada na categoria Artista de Rock do Ano do Billboard Music Awards em 2001. 

Acredito que ‘Lighting Up The Sky’ traz uma história com a qual todos se conectarão, em um nível humano, porque todos passamos por coisas na vida”, Sully Erna continua, ao contar que o disco dialoga com relacionamentos humanos, política e a ideia de legado. O vocalista e guitarrista revela ainda que pensa este álbum como último trabalho de estúdio da banda. 

Com mais de 20 milhões discos vendidos em todo o mundo, Godsmack prepara sua nova fase. “Surrender” e “You And I” estão disponíveis em todas as plataformas de música via BMG.

Tracklist:

You And I

Red White & Blue

Surrender

What About Me

Truth

Hell’s Not Dead

Soul On Fire

Let’s Go!

Best Of Times

Growing Old

Lighting Up The Sky.

U2 em versão celta: ouça cover de Aline Happ

Vocalista do Lyria inclui elementos e instrumentos da música celta em releitura.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Uma das canções mais populares do U2, “With or Without You”, ganha uma releitura celta na voz de Aline Happ. A cantora conhecida por seu trabalho à frente da banda de metal sinfônico, Lyria, trouxe synths, elementos orquestrais, vocais etéreos e percussão celta para um cover da banda irlandesa. A canção já está disponível em formato de vídeo no  canal de Aline Happ no YouTube.

Assista o vídeo de “With or Without You”:

A música “With or Without You”, do U2, foi lançada em 1987 e faz parte do álbum “The Joshua Tree”. A canção alcançou o topo da Billboard Hot 100 nos Estados Unidos durante três semanas, elogiada entre os críticos, a música fala sobre a dualidade que Bono Vox, o vocalista da banda, sentia ao trabalhar com música e fazer turnês mundiais, ao mesmo tempo, em que queria ser um homem caseiro e curtir a sua família.

Além de ser vocalista, Happ também produz as músicas, o instrumental, grava e edita os vídeos. Os conteúdos publicados no canal de Aline Happ contam com o apoio de fãs no Patreon e no Padrim. Líder, vocalista e compositora do Lyria, Aline Happ é hoje uma das vozes mais famosas do Metal brasileiro. Em seu projeto solo, a artista promove releituras Gothic/Folk/Celtic de canções do Rock e do Metal mundial que estão disponíveis em seu canal no YouTube. Graças ao apoio dos fãs, a cantora arrecadou mais de 200% da meta do financiamento coletivo para o seu disco solo de estreia, que será lançado neste ano.

Além do trabalho solo, Aline é fundadora, vocalista e uma das principais compositoras do Lyria. Conhecidos mundialmente, a banda de Metal Alternativo Sinfônico foi fundada em 2012. De lá pra cá, o grupo lançou dois discos com apoio de crowdfunding, "Catharsis" (2014) e "Immersion" (2018) e tocou em diversas cidades, além de ser pioneira no Brasil na transmissão de shows online com venda de ingressos para o mundo todo.

Adquira o álbum em pré-venda: https://www.lyriaband.com/alinehappbr

segunda-feira, 14 de novembro de 2022

Pixies lança vídeo ao vivo para “There’s a Moon On”; assista

Faixa é um dos destaques do oitavo álbum de estúdio da veterana banda.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

A icônica banda Pixies lança um vídeo ao vivo para “There’s a Moon On”, um dos singles de seu oitavo álbum de estúdio, “Doggerel”. O disco caminha entre os extremos sonoros que marcam a carreira do grupo, porém trazendo uma faceta mais sombria e madura ao lado de melodias pop e momentos folk. O vídeo foi gravado no Band on the Wall, em Manchester (Inglaterra).

Assista ao vivo ao vivo de “There’s a Moon On”:

Ouça “Doggerel”: https://pixies.ffm.to/doggerel 

Estamos tentando fazer coisas muito grandes, ousadas e orquestradas. O material punk eu realmente gosto de tocar, mas você simplesmente não pode criar artificialmente. Há outra maneira de fazer isso, há outras coisas que podemos fazer com essa energia extra que estamos encontrando”, reflete o guitarrista e vocalista Black Francis, que divide a produção do álbum com Tom Dalgety (Royal Blood, Ghost). 

Assista ao lyric video “There’s a Moon On”: 

Assista ao clipe “Vault of Heaven”: 

Desta vez nós crescemos. Não temos mais músicas com menos de dois minutos. Temos pequenas pausas, arranjos mais convencionais, mas ainda nossas reviravoltas”, complementa o guitarrista Joey Santiago. Além dele e de Francis, a banda é formada pelo baterista David Lovering e pela baixista Paz Lenchantin. Recentemente a banda passou pelo Brasil com um show no Rio de Janeiro e um em São Paulo, como co-headliners do Popload Festival. 

Doggerel” já está disponível em todos os serviços de streaming via BMG.

Tracklist:

1. Nomatterday

2. Vault of Heaven

3. Dregs of the Wine

4. Haunted House

5. Get Simulated

6. The Lord Has Come Back Today

7. Thunder and Lightning

8. There’s A Moon On

9. Pagan Man

10. Who’s More Sorry Now?

11. You’re Such A Sadducee

12. Doggerel.

quarta-feira, 9 de novembro de 2022

Doyle (ex-Misfits) estreia solo em São Paulo dentro do Oxigênio Festival 2022

Festival em São Paulo acontece entre os dias 18 e 20 de novembro, no Aeroclube Campo de Marte; são mais de 30 atrações.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O primeiro dia do Vans Apresenta: Oxigênio Festival 2022, dia 18 de novembro, uma sexta-feira, já terá uma atração internacional e de peso: será a estreia solo na capital paulista do Doyle, o lendário ex-guitarrista da banda de horror punk Misfits. O fest acontece no Hangar do Aeroclube Campo de Marte e se estende até o dia 20/11, com mais de 30 atrações.

Além de Doyle, o primeiro dia do Oxigênio Festival 2022 terá Zumbis do Espaço, Carbona, Excluídos e Corazones Muertos, além da discotecagem de Thiago DJ (apresentador do programa Heavy Pero no Mucho, da Rádio 89 FM).

Ainda tem ingresso para todos os dias do Oxigênio Festival, garanta a entrada aqui: www.oxigeniofestival.com.br

Doyle, ou Wolfgang von Frankenstein, como também é conhecido, é uma personalidade do punk mundial e traz pela primeira vez ao Brasil a turnê The World As We Die World.

Doyle é um guitarrista de riffs implacáveis, como pode se conferir em hits como “Headhunter” e “Land of the Dead”. Já “Dreamingdeadgirls” traz um swing de blues enegrecido, e “Love Like Murder”, carregada de desgraça, mostra uma apreciação saudável por todas as coisas do Black Sabbath. “Blood Stains” se move do lodo primitivo para o thrash fora do tempo com facilidade.

Além de São Paulo, com show exclusivo no Oxigênio Festival, ele e sua banda ainda tocam em São Luís, no Maranhão (dia 12/11, no Maranhão Open Air, MOA), e em Belo Horizonte, em Minas Gerais (dia 12, no Mister Rock).

O inédito giro também passará por outras partes da América Latina, como Buenos Aires (Argentina, 8/11), Montevidéu (Uruguai, 9/11), Santiago (Chile, 20/11), Bogotá (Colômbia, 23/11), San José (Costa Rica, 25/11), Cidade do México (México, 27/11) e Monterrey (México, 29/11).

Vans Apresenta: Oxigênio Festival 2022

O Oxigênio Festival, um dos mais queridos e concorridos eventos da música independente de São Paulo, acontece já nos próximos dias 18, 19 e 20 de novembro no Hangar do Aeroclube Campo de Marte. O evento terá dois palcos ao ar livre para receber mais de 30 artistas, entre nomes nacionais e dois internacionais: Doyle (Misfits) e Helmet.

Assim como nas últimas edições, o Oxigênio Festival 2022 terá estrutura semelhante aos grandes festivais gringos, com ampla área externa para receber o público e dispostos um de frente para o outro, mas distantes o suficiente para que tudo aconteça de forma independente e em horários alternados.

Na sexta-feira (18/11), o Oxigênio Festival 2022 terá Doyle, Zumbis do Espaço, Carbona, Excluídos e Corazones Muertos, além da discotecagem de Thiago DJ.

Contando com 14 shows, o segundo dia de festival começa às 12h e terá Di Ferrero, Supercombo, Kamaitachi, Glória, Menores Atos, Pe Lanza, Cefa, Axty, Odeon, Meu Funeral, Ravel, Impavid Colossus e Fake Honey. A noite também contemplará o já tradicional karaokê do Oxigênio, com a banda Karaokillers.

O terceiro e último dia, domingo (20/11), também abrirá às 12h e será a vez de mais 14 bandas se apresentarem no Aeroclube – com mais um nome internacional de peso: Helmet, ícone do rock alternativo formado em 1989 na cidade de Nova Iorque (EUA) e com um estrondoso sucesso na década de 1990, além de ter sido e ainda ser influência para novas bandas de indie, punk e até metal.

Junto ao Helmet, CPM 22 na turnê dos 27 vitoriosos anos de carreira, Pense com nova formação, Garage Fuzz, Gritando HC, DFC, Colligere, The Mönic, Flicts, Forgotten Boys, Abraskadabra, Der Baum, Tara Bipolar e mais uma edição do Karaokillers.

A realização é da GIG Music com o Hangar 110. O Oxigênio Festival 2022 ainda conta com patrocínio da Monster Energy, Instax Fuji Film e Xeque Mate.

Serviço:

Vans Apresenta: Oxigênio Festival 2022

Data: 18, 19 e 20 de novembro

Horário: 19h (sexta-feira) e 12h (sábado e domingo)

Local: Aeroclube Campo de Marte

Endereço: Avenida Olavo Fontoura, 650, Santana - São Paulo, SP

Ingressos para cada dia de evento (3º Lote)

R$140 (pista - promocional e meia entrada)

R$230 (pista - inteira)

R$240 (camarote – promocional e meia entrada)

R$360 (camarote – inteira)

Vendas e informações: www.oxigeniofestival.com.br

*mediante à apresentação da carteira de estudante OU a doação de 1kg de alimento não perecível (menos sal e açúcar), a ser entregue no dia do festival.

Classificação etária: 18 anos | entrada de menores de 18 será permitida somente acompanhados pelos pais ou responsável legal.

Realização: Gig Music e Hangar 110

quinta-feira, 3 de novembro de 2022

O poder da progressão lenta: Rook Road completa sua tetralogia de clipes com "Paradox"; assista

A Rook Road está apresentando o quarto e último vídeo do single a caminho do lançamento de seu álbum auto-intitulado. Quatro músicas foram selecionadas sabiamente para fazer um ponto: "Diversity" é o coringa do rock'n'roll no baralho, e provavelmente a verdadeira razão pela qual, depois de tantas décadas, as cordas, percussões, teclas e vozes musculosas ainda culminam em suor . Hoje, o rock pesado é uma força a ser reconhecida como sempre foi e muito provavelmente, sempre será.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Quatro canções, quatro cantos de uma caixa que guarda o legado unido de gerações. A beleza da complexidade; um golpe no queixo transformado em música; o telão mostrando uma balada épica de amor e sacrifício. E agora "Paradox", uma cerimônia de opostos magistralmente executada no espectro musical, e uma mensagem clara cantada com tremenda devoção e grande alcance tonal. A música direta e poderosa é impulsionada por uma execução de baixo simples, mas eficaz, que carrega uma interação quase sonhadora de guitarra e órgão. Cresce e decai para frente e para trás como um pulmão respirando pesadamente, um coração pulsante: o canto do cisne inescrutável e melancólico está bombeando sua mensagem na mente do ouvinte. “"Paradox" é a nossa despedida dos valores éticos que costumavam contribuir tanto para todos os nossos caminhos de vida individuais”, explica a banda. “Uma expressão do puxão que sentimos, cercados por todas as pessoas que caçam todas as tendências em um círculo de mídia social idiota que está inflando para uma bolha gigante de bobagens. Esta bolha não vai entrar em colapso de uma vez, apenas cospe as pessoas de volta. Quebrados e meio digeridos, eles percebem que as tendências os estavam caçando, e não o contrário."

O grande finale nesta quadrilogia de canções pede uma grande ascenção, é claro, e "Paradox" entrega de uma forma inesquecível, colocando o poderoso órgão Hammond lá em cima contra o solo de guitarra mais uma vez. Os fãs de Uriah Heep compartilharão o amor que sangra em cada nota no solo de Hammond resultante.

"Paradox" é o quarto e último vídeo single do próximo álbum auto-intitulado da Rook Roads que será lançado em 11 de novembro de 2022 via SAOL e já está disponível para pré-venda: https://orcd.co/rookroad1

A música se alinha ao lado de seu terceiro single, Às vezes, uma peça na veia de uma balada de rock clássico e puro, evocando as impressões comoventes de devoção, amor e auto-sacrifício, ao mesmo tempo em que renuncia ao kitsch ou rabiscos desnecessários, mas mostra muita alma.

O segundo single da banda, ""Talk Too Much", é o principal exemplo de um gancho emocionante soprando bem na sua cara sem mais delongas, um verdadeiro power rocker mesmo para os padrões de Rook Road: o que está escrito em seus rostos: um abismo de ignorância”. "Kinda Glow", que marcou o primeiro sinal do novo álbum, é uma música bastante complexa que lida com a revolução enquanto incentiva a se defender e ouvir suas próprias necessidades em vez de seguir os outros cegamente, dando aos ouvintes algo real e tangível para sentir.


Tracklist:

1 Talk too much 
  
2 Sick to the bone 
  
3 Sometimes   

4 Romeo  
 
5 Paradox   

6 Kinda Glow  
 
7 Deny   

8 Sam Rogers   

9 Celebration/Feels like   

10 Tower   

11 Egyptian Girl.

terça-feira, 1 de novembro de 2022

Baterista de rock progressivo faz workshop interativo no Lab Sound em Piracicaba

O baterista Alex Curi, músico da banda carioca de rock progressivo Organic Reaction e com relevante currículo na indústria musical nacional, realiza um workshop interativo nesta quinta-feira (3) no estúdio Lab Sound, em Piracicaba, considerado um dos mais modernos e técnicos espaços para ensaio e gravação do interior do estado de São Paulo.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O evento em Piracicaba faz parte do 'Prog tour Work', uma série de workshop que Alex realiza pelo Brasil, sempre na companhia do guitarrista Dallton Santos, companheiro na Organic Reaction.

No Lab Sound, Alex e Dallton tocarão músicas do Organic Reaction e também comentarão sobre o processo de composição, gravação e outros assuntos sobre a vida de um músico profissional.

"Além disso, vamos explicar as partes mais complexas dos arranjos e convidar pessoas da plateia para uma experiência na prática", complementa Alex.

Alex Curi, carioca, é multi-instrumentista, produtor, arranjador e desenvolvedor de produtos em uma empresa de instrumentos musicais. Começou na música aos 9 anos e já passou por várias formações, inclusive na Bacamarte, em que é o baterista desde 1999, banda considerada referência no rock progressivo nacional. Já tocou no Doutor Silvana e Cia, Jorge Vercillo, Rogério Skylab, entre outros.

Serviço:

Workshop interativo no estúdio Lab Sound

Data: 3 de novembro de 2022 (quinta0-feira)

Horário: 20h

Local: estúdio Lab Sound

Endereço: Avenida Presidente Kennedy, 1091, Nova Piracicaba

Ingresso: R$ 20,00 (+ R$ 2,50 taxa)

Venda on-line: https://www.sympla.com.br/evento/prog-work-tour-2022/1774968

Mais informações: www.instagram.com/alexcuriof

Revengin lança o clipe do novo single "Sublime Awakening"; assista

O ano de 2022 tem sido um ano muito especial para a banda de Symphonic Metal Revengin. Após 2 grandes shows em São Paulo e São José dos Campos em abril e julho respectivamente, os cariocas fizeram um show muito aclamado no Rock in Rio no dia 02/09, mesmo dia de Iron Maiden, Dream Theater, Gojira, Sepultura entre outras bandas.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Neste mesmo dia, a banda apresentou com exclusividade, uma música nova, intitulada "Sublime Awakening", que estará no novo álbum da banda, ainda sem previsão de lançamento.

E agora, pouco menos de um mês do show no Rock in Rio, a banda acaba de lançar o vídeo clipe da "Sublime Awakening". A música foi gravada  e produzida por Rômulo Pirozzi, no Piro-z Studios e gravada, mixada e masterizada no Tellus Studio. O vídeo foi produzido pela própria banda e editado por Thomas Abrantes.

Abaixo você pode conferir o vídeo clipe de "Sublime Awakening":