Confraria Floydstock: alternative rock

1XBET

1XBET
UTILIZE O CÓDIGO PROMOCIONAL 1x_431349 PARA DOBRAR SEU 1º DEPÓSITO
Mostrando postagens com marcador alternative rock. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador alternative rock. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 18 de junho de 2021

The Pretty Reckless lança clipe de “Only Love Can Save Me Now”; assista

Only Love Can Save Me Now” integra "Death By Rock and Roll", 4º full-lenght da banda The Pretty Reckless, que chegara no dia 12 de fevereiro último, via Century Media Records / Fearless Records (EUA).

A faixa conta com as colaborações de Matt Cameron and Kim Thayil, ambos do Soundgarden.

The Pretty Reckless libera clipe de "And So It Went", canção de seu novo álbum, com Tom Morello; assista.

The Pretty Reckless libera clipe de "25", canção de seu novo álbum; assista.

The Pretty Reckless lança clipe de "Broomsticks", seu single de Halloween. Assista.

Assista ao clipe no player abaixo:

Ouça o álbum na íntegra:

Tracklist:

1. Death By Rock And Roll
2. Only Love Can Save Me Now
3. And So It Went
4. 25
5. My Bones
6. Got So High
7. Broomsticks
8. Witches Burn
9. Standing At The Wall
10. Turning Gold
11. Rock And Roll Heaven
12. Harley Darling

sexta-feira, 28 de maio de 2021

Counting Crows lança seu novo EP “Butter Miracle, Suite One”

Sinfonia pop é primeiro lançamento da banda em 7 anos

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Counting Crows está de volta com “Butter Miracle,  Suite One”, um EP composto como uma espécie de sinfonia pop de nossos tempos. Um dos destaques do pop rock alternativo dos últimos 30 anos, a banda americana se reinventa em seu primeiro trabalho de inéditas em sete anos e que está disponível em todas as plataformas de música digital via BMG.

Counting Crows tem mais de 20 milhões de álbuns vendidos no mundo todo e teve a carreira catapultada pelo seminal álbum “August and Everything After”, de 1993. Com hits globais como “Mr. Jones”, “A Long December”, “Big Yellow Taxi” e a faixa indicada ao Oscar “Accidentally in Love”, a banda californiana busca um novo caminho em seu novo EP, composto de um modo que as canções fluam de uma música para outra, sem interrupções.

Enquanto escrevia o final de ‘The Tall Grass’, fiquei tocando os dois principais acordes para frente e para trás por um tempo, apenas curtindo a maneira como a música terminava em um loop. Por capricho, mudei os acordes e me vi cantando uma melodia diferente. As palavras simplesmente vieram direto à minha cabeça e percebi imediatamente que era o começo de uma música diferente. Foi quando me ocorreu que eu poderia escrever uma série de músicas, cada uma tocando perfeitamente a anterior e fluindo juntas como uma longa música. Uma suíte. Depois que pensei nisso, era tudo o que eu queria fazer”, conta o vocalista Adam Duritz.

Com produção musical de Brian Deck (Iron & Wine, Modest Mouse, The Shins), o projeto foi completamente composto ainda no começo de 2019, antes da pandemia, em uma fazenda remota no interior do Reino Unido e traz uma banda com vigor renovado.

Eu fiquei realmente exausto com a indústria da música algumas vezes na minha carreira, e muito deprimido com o que significa estar neste meio. Eu me senti assim novamente depois de alguns anos de turnê com o nosso último disco ‘Somewhere Under Wonderland’. Nenhuma razão específica real: o negócio da música é simplesmente muito feio às vezes e eu fico desiludido. Esse é um sentimento que vem e vai. Pensei muito nisso quando comecei a escrever esta suíte porque, por mais que odeie o mundo da música, ainda amo música de verdade e queria escrever sobre isso de algumas perspectivas diferentes, especificamente em 'Elevator Boots'. A faixa conta a história de um cara em uma banda e sua vida se passa entre diferentes cidades e diferentes amantes. É sobre ele passar a vida fazendo algo que significa tudo para ele, mesmo sabendo quando partes disso não são realmente ideais. A música veio até mim muito rápido e então eu simplesmente vaguei pela fazenda cantando para mim mesmo com meu telefone para fazer anotações. Depois de ter a música, o resto demorou muito pouco tempo”, revela Duritz.

Assista ao lyric video de “Elevator Boots”:

O EP contará com um curta-metragem estrelado pelo ator Clifton Collins Jr. (Westworld, Ballers, Era Uma Vez Em... Hollywood, Veronica Mars) a ser lançado em breve. “Butter Miracle,  Suite One” já pode ser ouvido em todos os serviços de música digital.

Ouça “Butter Miracle,  Suite One”: https://countingcrows.lnk.to/ButterMiracleSuiteOne

Tracklist:

1. The Tall Grass

2. Elevator Boots

3. Angel of 14th Street

4. Bobby and the Rat-Kings


sexta-feira, 21 de maio de 2021

Garbage luta contra seus monstros internos no single “Wolves”

Novo álbum “No Gods No Masters” será lançado no dia 11 de junho

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Uma das principais bandas do rock alternativo dos últimos 30 anos, o Garbage continua a apresentar novidades de seu primeiro álbum em meia década. “Wolves” é uma das faixas mais pop do álbum e dialoga com o conceito de múltiplos demônios e bestas que carregamos internamente em um eterno processo de luta. O single já está disponível em todas as plataformas de música digital pela gravadora BMG. O vídeo é obra do artista chileno Javi MiAmor, responsável pelo vídeo de “The Men Who Rule The World”.

Garbage lança “No Gods No Masters”, faixa que dá nome ao seu sétimo álbum de estúdio.

Essa música me lembra de quando era mais jovem e havia dois lados da minha personalidade. Eu machuquei muitas pessoas na minha vida, tanto consciente quanto inconscientemente, tenho certeza. Mas quando você é jovem e está tentando sobreviver, é como um filhote de uma cascavel, que não tem ideia de quão forte é o seu veneno. Ainda assim, seu veneno tem o poder de matar. Essa música é uma ode à ideia de: Quem você quer ser? Você vai ser uma escrota ou alguém que faz algo de bom no mundo?”, conta a vocalista Shirley Manson.

A faixa continua as bases politizadas e pesadas de “The Men Who Rule The World” e “No Gods No Masters” e casa com as bandeiras que a banda levanta nos palcos e fora deles desde o início de sua carreira.

‘No Gods No Masters’ é o nosso sétimo disco e esse número e seus múltiplos significados afetaram o DNA do conteúdo do trabalho. As sete virtudes, as sete dores da religião, os sete pecados capitais. Foi nosso modo de tentar achar algum sentido nessa loucura que é o mundo e esse caos sem limites que nos metemos”, reflete Manson.

Garbage lança “The Men Who Rule The World”, 1º single de seu 7º álbum de estúdio.

Além dela, a banda conta as guitarras e baixos de Duke Erikson, as guitarras e teclados de Steve Marker e as baterias e produção musical de Butch Vig. Desde sua fundação, em 1993, o Garbage acumula 25 milhões de discos vendidos em todo o mundo e verdadeiros hinos geracionais como “Only Happy When It Rains”, “Push It” e “I Think I'm Paranoid”.

O lançamento marcará uma nova página na sua história e foi produzido pela banda com o colaborador de longa data Billy Bush. Os singles já estão disponíveis em todos os serviços de música digitais e o álbum, que será lançado no dia 11 de julho, já pode ser adquirido em pré-venda.

Assista ao vídeo de “Wolves”:

Ouça “Wolves”: https://garbage.lnk.to/wolvesPR

Faça pré-save do álbum: https://garbage.lnk.to/NoGodsNoMastersPR


sábado, 1 de maio de 2021

Garbage lança “No Gods No Masters”, faixa que dá nome ao seu sétimo álbum de estúdio

Álbum será lançado dia 11 de junho

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Garbage, uma das principais bandas do rock alternativo dos últimos 30 anos, continua a apresentar novidades de seu primeiro álbum em meia década. “No Gods No Masters” dá nome ao novo trabalho e já está disponível em todas as plataformas de música digital pela gravadora BMG. A faixa chega com um clipe dirigido por Scott Stuckey e editado por Andy DeLuca.

Com capa inspirada na versão de Caravaggio da história de Davi e Golias,  faixa foi inspirada no Chile inspirada nas convulsões e lutas sociais dos nossos vizinhos. “Estava em Santiago durante os protestos ali, que foram muito emocionantes. Andávamos pela cidade e ela estava coberta de pichações, em todos os antigos museus e palácios. E eu fiquei chocada. Foi nesse momento que as pessoas incríveis com quem eu estava disseram: ‘Mas por que você está tão chocada? Estamos protestando contra a violência a vidas humanas e as propriedades, edifícios e monumentos que foram danificados aqui que te chocaram’. E, de fato, os seres humanos estão sendo massacrados, e é nisso que você deve se concentrar. Isso foi como um tapa na cara”, conta a vocalista Shirley Manson.

Para ela, as imagens da música faz uma ponta com as estátuas confederadas sendo derrubadas nos Estados Unidos e as lutas reais dos marginalizados na sociedade. "Todas essas pessoas têm mais valor do que um monumento aos traficantes de escravos, mas não têm mais valor na consciência da sociedade. Acho isso obsceno e desumano. Quero que o poder seja desmantelado e a sociedade re-imaginada. Então, essa música é sobre repensar nossa sociedade para o futuro, para nossos filhos e para que não cometamos os mesmos erros repetidamente, permitindo que a ganância corrompa nosso pensamento”, ela diz.

Após a incisiva crítica ao capitalismo como base para o racismo e sexismo em “The Men Who Rule The World”, eles se inspiram em um slogan anarquista britânico do século XIX para mais um momento altamente politizado da discografia do Garbage. A expressão, ligada à libertação pessoal de viver “sem deuses ou mestres” chegou aos EUA no início do século passado e se tornou uma das bases para o movimento feminista americano. Toda essa história casa com as bandeiras que a banda levanta nos palcos e fora deles desde o início de sua carreira.

‘No Gods No Masters’ é o nosso sétimo disco e esse número e seus múltiplos significados afetaram o DNA do conteúdo do trabalho. As sete virtudes, as sete dores da religião, os sete pecados capitais. Foi nosso modo de tentar achar algum sentido nessa loucura que é o mundo e esse caos sem limites que nos metemos”, reflete Manson.

Além dela, a banda conta as guitarras e baixos de Duke Erikson, as guitarras e teclados de Steve Marker e as baterias e produção musical de Butch Vig. Desde sua fundação, em 1993, o Garbage acumula 25 milhões de discos vendidos em todo mundo e verdadeiros hinos geracionais como “Only Happy When It Rains”, “Push It” e “I Think I'm Paranoid”.

O lançamento marcará uma nova página na sua história e foi produzido pela banda com o colaborador de longa data Billy Bush. Os singles já estão disponíveis em todos os serviços de música digitais e o álbum, que será lançado no dia 11 de julho, já pode ser adquirido em pré-venda.

Assista ao clipe de “No Gods No Masters”: 

Ouça “No Gods No Masters”: https://Garbage.lnk.to/nogodsofficialvidPR

Faça pré-save do álbum: https://garbage.lnk.to/NoGodsNoMastersPR

Confira o clipe de “The Men Who Rule The World”:

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Bernardo amadurece seu jazz alternativo no segundo EP “Wasn’t there, someone told me”

Lançamento da cantora inglesa é da Seloki Records

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

A vocalista, guitarrista e produtora de jazz alternativo de Londres Sonia Bernardo revela seu novo EP, “Wasn’t there, someone told me”, uma coleção de quatro faixas onde explora vertentes do indie, dream pop e até da bossa nova. O trabalho foi produzido por Bernardo e por Dave Maclean, do Django Django, e é um lançamento da Seloki Records juntamente do clipe para a faixa “Lovers Praise”.

O EP foi antecipado pelos singles e clipes “All You Leave is Love” e “Almost A Mother”. Além delas e “Lover’s Praise”, o álbum acompanha a intensa “Migraine Daze”. Após essa série de lançamentos, um remix feito por Django Django será revelado no dia 09/04.

Depois de excursionar pelo mundo, tendo trabalhado com Phil Manzanera (Roxy Music) e abrindo o programa de Jools Holland, Sonia Bernardo recrutou algumas das mentes musicais mais requisitadas de Londres, incluindo Skinny Pelembe, Luke Wynter (Nubyan Twist, Roller Trio) e Oscar Robertson (Sunglasses For Jaws) para dar vida ao seu segundo trabalho solo.

Bernardo é filha de portugueses. Nascida em Londres, ela mudou-se com os pais para uma aldeia no interior do país ibérico antes de retornar à Inglaterra. Suas primeiras composições surgiram ainda aos 10 anos, influenciada pelos grandes nomes do fado. No auge da onda indie que mexeu com o Reino Unido, a artista retornou para Londres, onde passou a se aprimorar como produtora e guitarrista e a descobrir a própria voz enquanto compositora e intérprete.

Seu primeiro EP, “Panic Prayers”, foi lançado em fita cassete e digitalmente em 2019, mesclando um lado pop e sensual para a música de guitarra underground londrina. O trabalho colocou de vez Bernardo entre os nomes em ascensão no cenário. 

Já em “Wasn’t There, Someone Told Me”, a artista mergulha fundo nas melodias que adora criar, atravessando o dream pop, o pós-punk e dub da cena de Londres e o soul psicodélico com inspirações na bossa nova. As canções exploram temáticas que vão de pertencimento e identidade a autoconhecimento e foram todas compostas por Sonia Bernardo e co-produzidas pela artista ao lado de Dave Maclean. A mixagem é de Alexis Smith, no Dan Careys Studio, em Streatham.

Wasn't there, someone told me” chega às principais plataformas de streaming via Seloki Records.

Assista a “Lovers Praise”:

Ouça “Wasn’t there, someone told me”: https://smarturl.it/BernardoEP


terça-feira, 30 de março de 2021

Stereotrilhos aborda rotina e sentimentalidade em novo single "A Última Música"

Não é novidade que a pandemia do COVID-19 trouxe novos hábitos e rotinas. E com o virtual à frente do presencial, é comum se sentir perdido. Esse é o tema do novo single da banda Stereotrilhos, intitulado "A Última Música." O lançamento é disponibilizado através do selo Elevarte Music e antecipa o álbum Uma Forma de Sonhar, previsto para o segundo semestre deste ano. 

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Assista ao lyric video de "A Última Música":

No âmbito melódico, a faixa remete-se ao rock alternativo. A faixa foi majoritariamente gravada em home studios. Assim, cada integrante do grupo gravou a sua parte da casa. A produção ficou a cargo do baixista Rodrigo Murasawa, que ainda realizou a mixagem e a masterização. 

Para o vocalista Juliano Arruda, "A Última Música" consiste em trazer o ouvinte para um momento de reflexão. “A música é sutil e marcante à medida que remete-se às lembranças da vida antes da pandemia. Isso tende a tocar o coração, já que todo mundo carrega uma história”.

Além de Rodrigo e Juliano, a Stereotrilhos é formada pelo baterista Gabriel Freitas e pelos guitarristas Lucas Almeida e Raul Faria. Os três ainda colaboram com backing vocals. Anteriormente neste ano, a banda lançou o single "Janelas". Agora, o quinteto já prepara um novo lançamento para o mês de abril.

Garbage lança “The Men Who Rule The World”, 1º single de seu 7º álbum de estúdio

No Gods No Masters” será lançado dia 11 de junho

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Um dos principais nomes do rock alternativo dos últimos 30 anos, o Garbage lança “The Men Who Rule The World”, seu incisivo novo single e primeira faixa de seu próximo álbum de estúdio. Primeiro trabalho de inéditas do grupo em cinco anos, “No Gods No Masters” tem lançamento previsto para o dia 11/06 e já está em pré-venda pela gravadora BMG.

A faixa é um convite a ação, a sair da apatia e traz uma crítica direta ao capitalismo sem-visão que é base para uma sociedade racista, sexista e misógina. É um contundente cartão de visitas para uma nova fase da banda.

Esse é o nosso sétimo disco e esse número e seus múltiplos significados afetaram o DNA do conteúdo do trabalho. As sete virtudes, as sete dores da religião, os sete pecados capitais. Foi nosso modo de tentar achar algum sentido nessa loucura que é o mundo e esse caos sem limites que nos metemos”, reflete a vocalista Shirley Manson.

Além dela, a banda conta as guitarras e baixos de Duke Erikson, as guitarras e teclados de Steve Marker e as baterias e produção musical de Butch Vig. Desde sua fundação, em 1993, o Garbage acumula 25 milhões de discos vendidos em todo mundo e verdadeiros hinos geracionais como “Only Happy When It Rains”, “Push It” e “I Think I'm Paranoid”.

O lançamento marca uma nova página na história da banda. “The Men Who Rule The World” foi produzido pela banda com o colaborador de longa data Billy Bush e chega com um vídeo dirigido pelo cineasta, pintor e animador chileno Javier.MiAmi. A faixa está disponível em todas as plataformas de streaming.

Ouça “The Men Who Rule The World”: https://garbage.lnk.to/TMWRTWPR

Faça pré-save do álbum “No Gods No Masters”: https://garbage.lnk.to/NoGodsNoMastersPR