Confraria Floydstock: Metal
Mostrando postagens com marcador Metal. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Metal. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 22 de setembro de 2022

Adam Levine, vocalista do Maroon 5, afirma que "não há garotas gostosas" ouvindo metal

O vocalista do Maroon 5, Adam Levine, se viu em apuros recentemente. Agora, ele recebeu mais críticas por fazer alguns comentários equivocados e misóginos sobre o gênero metal. Embora ele seja ostensivamente uma estrela pop, foi alegado que Levine acredita que “nenhuma garota gostosa” ouve metal.

Em 2021 o cantor proclamou que “não há mais bandas, e eu sinto que elas são uma raça em extinção”, mas agora ele deu um passo adiante e, com razão, atraiu a ira de muitos.

O cantor chegou às manchetes no início desta semana depois que a modelo Sumner Stroh revelou uma série de mensagens compartilhadas entre os dois, sugerindo que eles tiveram um caso. Stroh até afirmou que Levine, que é casado com a modelo da Victoria Secret, Behati Prinsloo, pediu permissão para ela nomear seu filho ainda não nascido Sumner em um ponto. Depois que Stroh fez suas alegações, outras mulheres seguiram, compartilhando capturas de tela e gravações de tela de suas interações com o músico de 'This Love'.

No entanto, foi Alyson Rose quem afirmou que Levine havia feito seu comentário estranho sobre mulheres ouvindo metal. Em uma captura de tela compartilhada on-line, Rose disse: “Eu também sou tão estranha e só ouço metal”, antes de Levine responder: “Nenhuma garota gostosa além de você”.

Levine foi ao Instagram em 20 de setembro para responder às acusações feitas por Stroh sobre ele trair. “Eu usei pouco julgamento ao falar com qualquer pessoa que não fosse minha esposa de QUALQUER tipo de flerte. Eu não tive um caso, no entanto, cruzei a linha durante um período lamentável da minha vida”, escreveu ele.

Levine acrescentou: “Em certos casos, tornou-se inapropriado. Eu abordei isso e tomei medidas proativas para remediar isso com minha família. Minha esposa e minha família são tudo o que me importa neste mundo. Ser tão ingênuo e estúpido o suficiente para arriscar a única coisa que realmente importa para mim foi o maior erro que eu poderia cometer. Eu nunca vou fazer isso novamente. Assumo total responsabilidade. Vamos passar por isso e vamos passar por isso juntos”.

Via FAR OUT.

terça-feira, 20 de setembro de 2022

Summer Breeze Brasil: confira os preços de todos os ingressos

1ª edição no Brasil acontecerá no Memorial da América Latina, em São Paulo, nos dias 29 e 30 de abril próximos.

Summer Breeze Brasil anuncia suas primeiras atrações para a sua 1ª edição no país.

Confira abaixo o valor de todos os ingressos do evento:

Summer Card - Um dia de festival

Preço: R$ 700,00 (inteira) / R$ 350,00 (meia entrada)

Vendas em Outubro.

Summer Pass - Dois dias de festival

Preço: R$ 1300,00 (inteira) / R$ 650,00 (meia entrada)

Vendas dia 27/09, às 14 horas.

Summer Lounge Card - Pulseira de acesso ao lounge para um dia de festival, com ingresso vendido separadamente.

Preço: R$ 550,00 (sem meia-entrada)

Vendas em Outubro.

Summer Lounge Pass - Pulseira de acesso ao lounge para os dois dias de festival, com ingresso vendido separadamente.

Preço: R$ 1.000,00 (sem meia-entrada)

Vendas em Outubro.

segunda-feira, 22 de agosto de 2022

Summer Breeze Brasil anuncia suas primeiras atrações para a sua 1ª edição no país

Mais atrações e informações sobre ingressos serão anunciadas em breve.

A organização do Summer Breeze, festival germânico tradicional de metal e rock que estreará no Brasil no Memorial da América Latina, em São Paulo, nos dias 29 e 30 de abril próximos, anunciou neste fim de semana suas primeiras atrações.

Diferentemente do festival na Alemanha, por aqui o evento não se restringirá apenas à música pesada, abrindo o leque para outros estilos também.

Como bem apurou o IGORMIRANDASITE, serão três palcos para shows, além de atrações à parte envolvendo gastronomia diversa e com culinária alemã presente, feira geek, feira de cultura urbana e tatuagens e espaços kids com monitores. Também estão programadas sessões de autógrafos com músicos que se apresentarão, além da instalação de lojas com produtos ligados à temática principal do festival, bem como merchandising das bandas participantes.

Estão previstos ainda shows paralelos com algumas das atrações acontecendo na Audio, casa de eventos de São Paulo. As performances devem ser realizadas antes e após às datas do festival.

Confira abaixo as atrações já confirmadas:

Stone Temple Pilots

Avantasia

Kreator

Accept

Stratovarius

Sepultura

Testament

Marc Martel

Skid Row

Grave Digger

H.E.A.T

Shaman + Viper + Felipe Andreolli e Rafael Bittencourt celebrando Andre Matos

Benediction

Perturbator

Voodoo Kiss

Beast In Black

Project46

Crypta

João Gordo & Brutal Brega.

terça-feira, 2 de agosto de 2022

Wacken Open Air 2022: confira os shows que terão transmissão online

Maior festival de rock e metal da Europa retorna amanhã na Alemanha.

Após 3 anos de pausa, o festival germânico Wacken Open Air está de volta em 2022.

Com as edições de 2020 e 2021 canceladas devido à pandemia da COVID_19, a administração do evento, que acontece desde 1990, promete entregar sua edição mais pujante, pra voltar em grande estilo.

E uma mostra disso é o número de concertos que serão mostrados online desta vez, o maior até aqui, confira nos diagramas abaixo a nota oficial e todas as apresentações dos artistas e bandas que serão transmitidas ao vivo, pelo site magenta musik, lembrando que o fuso-horário de Brasília, cada show começará 5 horas antes do indicado nas imagens.

"Finalmente Wacken novamente! Tivemos que ficar sem ele por tanto tempo, agora está finalmente de volta - o festival de heavy metal mais famoso do mundo. De 4 a 6 de agosto de 2022 e em 3 de agosto, a vila Schleswig-Holstein de Wacken se tornará uma meca para os metaleiros. A Telekom mostra o W:O:A 2022 na MagentaTV ou na transmissão ao vivo gratuita na MagentaMusik.

Finalmente! Depois de dois anos sendo forçado a fazer uma pausa devido à pandemia, Wacken está fazendo mosh novamente como planejado. Com muitos especiais: Duas transmissões garantem a sensação final do festival: Além das apresentações nos Palcos Harder e Faster, os destaques do Palco Louder e do Bullhead City Circus serão exibidos em uma transmissão adicional. Além disso, a Telekom já está transmitindo o programa bônus no Wacken Wednesday. Seja online ou no local : as transmissões de cinco estágios fazem os dispositivos tremerem.

Palcos Harder, Faster, Louder - o line-up:

Ansiosos por velhos conhecidos, novos destaques e músicos realmente excepcionais - o line-up do W:O:A 2022 tem muito a oferecer: pela terceira vez no Wacken Open Air deste ano, a banda finlandesa Lordi apresentará momentos metálicos. Pela primeira vez, mas de forma alguma desconhecida, é a banda Slipknot. Corey Taylor, Shawn Crahan & Co vão realmente esquentar e, junto com outras bandas como Thundermother, Powerwolf e Rose Tattoo, vão garantir experiências espetaculares em shows. Se você quiser ainda mais variedade musical, confira os shows de Alligatoah e Ann Wilson.

Devido à situação atual, ainda pode haver mudanças no programa."

Os shows transmitidos e seus respectivos horários no horário central europeu (em Brasília 5 horas a menos):

Quarta-feira (03/08)


Quinta-feira (04/08)


Sexta-feira (05/08)


Sábado (06/08)

sexta-feira, 29 de julho de 2022

Weight of Emptiness: Chilenos virão ao Brasil pela primeira vez para shows em 3 cidades

Os chilenos do Weight of Emptiness tem se consolidado a cada ano como uma das principais bandas de seu país e com grande ascensão em toda a América do Sul. Em 2021, a banda foi agraciada com o prêmio "Escuchar" (um dos mais importantes da música independente chilena) de Melhor Disco de Metal Extremo, com o álbum "Conquering The Deep Cycle" (lançado em 2019).

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Trazendo um poderoso Progressive Death Doom, a banda tem arrebatado fãs por onde passa e logo após anunciar que o seu novo disco foi finalizado (ainda sem previsão de lançamento), a banda acaba de anunciar a sua nova tour, que passará nos meses de Agosto, Setembro e Outubro por Argentina, Brasil e Peru respectivamente.

No Brasil, o Weight of Emptiness fará 3 shows, nas cidades de São Paulo (dia 23/09 no C.I.A.M.), Jandira (dia 24/09 no Caveira Velha) e em São José dos Campos (dia 25/09 na Hocus Pocus Studio). Em breve serão anunciadas as bandas que irão acompanhar os chilenos em cada show, assim como adquirir a sua entrada para os shows.

Se você ainda não conhece a Weight of Emptiness, confira abaixo o vídeo clipe da música "Chucao", lançado no último álbum da banda "Conquering Deep Cycle":

quarta-feira, 20 de julho de 2022

InRaza (SP) volta ao Rio de Janeiro ao lado de Lowd e Far Beyond Empire

Os paulistanos da banda InRaza retornarão ao Rio de Janeiro para uma única apresentação dia 30 de julho no PrudaFest, que acontecerá na casa Audio Rebel, zona sul do Rio de Janeiro. O evento também contará com as bandas locais Far Beyond Empire e Lowd.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

A ideia do fest foi elaborada por Marcelo Prudêncio, famoso por divulgar bandas independentes de todo Brasil em suas redes sociais. O objetivo do evento é intensificar a troca de experiências entre as cenas independentes das cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo e, além disso, contará também com exposições de pequenos empreendedores.

Dados do evento:

PRUDAFEST

Atrações: InRaza (groove metal, SP), Far Beyond Empire (death metal, RJ), Lowd (metal, RJ)

Local: Áudio Rebel

Endereço: Rua Visconde de Silva, 55, Botafogo, Rio de Janeiro.

Ingresso: antecipado 30 reais via pix ou 40 reais na hora via pix, cartão ou picpay.

Classificação etária: livre

Mais informações: 

(21)972790882

Instagram do evento: http://instagram.com/prudafest

Facebook: https://fb.me/e/2BGisowqk

Projeto "Come to Latin America" traz diversidade de estilos da capital do metal mundial

O Ministério da Educação e Cultura da Finlândia promove nova safra do heavy metal através de um intercâmbio cultural com a América Latina trazendo diversidade de estilos e oportunidade para novos artistas.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O Heavy Metal é um estilo muito presente na Finlândia e atualmente é um país considerado a capital do estilo no Mundo todo. O júri do concurso 'Come To Latin America' possui mais de cem especialistas em música. Entre eles há músicos latino-americanos, jornalistas, radialistas, organizadores de festivais e profissionais ligados ao entretenimento ao vivo, votaram em três bandas finalistas. Mas para que estas três pudessem ser escolhidas, tivemos dez semifinalistas filtrados de uma lista de mais de 136 bandas escolhidas por jornalistas e especialistas em música da Finlândia.

Abaixo um pouco mais dos dez semifinalistas que fazem parte da campanha 'Come To Latin America' e que estão conectados pelo mesmo desejo — vir á América Latina:

BLAME ME!

Blame Me! é um quarteto finlandês de Helsinki. O grupo é liderado pela vocalista Bini Silvennoinen e o grupo faz um rock alternativo contagiante. Com seu álbum de estreia 'The Invisible You' lançado em 2021, receberam a atenção da grande mídia especializada em seu país. Eles possuem hoje em dia 46.029 ouvintes apenas no Spotify e foi uma das dez, selecionadas para fazer parte da campanha “Come To Latin America".

As canções 'Fears Don't Matter', 'In The Shadows' e o ousado cover para a canção 'All The Things She Said', que ficou famosa com as russas do TaTu., tocadas em todas as rádios em seu país.

Recentemente a banda lançou um novo single chamado 'Musket Fire'. A canção já é a mais bem sucedida na plataforma digital Spotify, pois já foi escutada por mais de 15.000 vezes em uma semana apenas após lançamento. BLAME ME! está pronto para o Mundo e estão ansiosos para conhecer você.

FATAL EFFECT

FATAL EFFECT é um quinteto finlandês de Oulu. Liderada pelo vocalista Jim Junkkari a banda é uma grande pedrada nos seus tímpanos. O Thrash Metal de primeiríssima qualidade é apenas um dos pontos que chamou atenção dos jurados. Eles também fazem parte da seleção de dez bandas finalistas para a campanha Come To Latin America e hoje se prepara para lançar músicas inéditas em Julho. Os finlandeses têm se apresentado em festivais europeus como o Nummirock 2022 que ocorreu em 25 de Junho e também se apresentará no Qstock 2022 que ocorre no dia 29 de Julho.

Filmagens de bastidores estão sendo produzidas agora. O material usado para fazer um videoclipe para uma segunda música ainda está em desenvolvimento. Durante o festival Nummirock a banda fará o show que concorre para conseguir uma das vagas na final do Wacken Metal Battle na Finlândia. Se conseguirem consagrar-se campeões irão para o famoso festival Wacken Open Air disputar o lugar de campeão entre todas as bandas do Mundo.

Seu álbum mais recente, a pedrada “Roadkill” (2021) é um grande exemplo de como esta banda se preocupa em entregar violência com rapidez e absoluto peso!

FEASTEM

FEASTEM é uma banda de grindcore com fortes influências de bandas como NAPALM DEATH e NASUM. Rápidas e curtas, as faixas possuem elementos o suficiente para te manter interessado na música. Influências também do death e do trash metal são de fácil identificação. Músicas bem estruturadas e muito coerentes deixam ainda mais evidente de que o grindcore é o foco para estes finlandeses altamente agressivos.

'Fear In Concrete' lançado em 2011, é a menina dos olhos azuis da discografia e audição obrigatória para aqueles que ainda não sabem da existência da banda. O álbum mais recente da banda, o poderoso 'Graveyard Earth' (2020) foi destacado na imprensa finlandesa como um soco no estômago e eleito um dos melhores álbuns em seu estilo.

GARDENHEAD

O trio de Helsinki acabou de gravar e mixar o álbum de estreia auto-intitulado e estão procurando uma gravadora para ajudar no lançamento do material. Enquanto isto não acontece, a banda está se preparando para lançar no dia oito de Julho o próximo single chamado “Ghost to Ghost”. Como eles mesmo destacam a nova faixa ela será “mais açucarada e progressiva” do que as anteriores. O grupo já tem duas músicas disponíveis com seus respectivos videoclipes. Músicas como “Devoured” e “The Ordeal” possuem uma influência forte do stoner rock que remete muito a bandas como TOOL, The Queens Of The Stone Age e The Mars Volta.

I REVOLT

Um dos grupos mais pesados desta campanha COME TO LATIN AMERICA, I REVOLT é um quinteto que tem influências fortes de bandas como Lamb Of God, As I Lay Dying e Hatebreed trazendo um forte foco em riffs muito pesados. Já fizeram parte do Festival Pulse Of The Maggots Fest em 2020, um braço do consagrado festival Knotfest e do famoso Tuska Festival 2019 na Finlândia são algumas das conquistas das quais a banda se orgulha muito. A música “The Deep End” emplacou na lista de 50 músicas mais ouvidas no Spotify da Finlândia e com isto atingiram a impressionante quantidade de mais de um milhão de audições para a faixa. Os finlandeses terminaram as gravações do álbum de estreia e atualmente procuram uma forma de lançar ele.

LUNA KILLS

LUNA KILLS lançou o novo single “here for the drama” em Março deste ano e foi muito bem recebido por fãs e pela mídia. A música foi escolhida por uma das maiores rádios em seu país YleX como a melhor da semana (Uuden Musiikin X) e eles nomearam a banda como como a mais empolgante da cena rock finlandês.

Seu mais recente álbum “not to be bitter, but it helps” (2021) também gerou bastante barulho, pois o single “liar, liar” foi incluído em diversas playlists editoriais do Spotify. Notados com interesse pela mídia europeia com a faixa “honey trap” e ovacionada pela maior revista online de rock/metal Loudwire, LUNA KILLS é suave, mas agressivo ao mesmo tempo. Possuem uma forte influência do rock alternativo e recebe constantes comparações com bandas de renome como DON BROCO e Arctic Monkeys. Em entrevistas a banda costuma dizer que uma das maiores inspirações para sua música são os artistas Mick Gordon e Muse.

NOIRA

NOIRA possui um visual impactante e possui uma forte influência de ícones do new metal como KORN, DEFTONES com fortes elementos de MARILYN MANSON. Com a impactante “Parasite”, NOIRA produziu e masterizou este single com Jacob Hansen no estúdio Hansen, na Dinamarca. Um dos grandes destaques da banda é a interpretação da femme fatale Inka Inkinen em que ela mistura vocais gritados aos mais melódicos. Um detalhe curioso para ‘Parasite’ foi que os corais de crianças foram gravados numa escola primária perto de onde a banda mora, na Finlândia.

Parasite” possui letras baseadas em experiências da vocalista em que ela escreve sobre pessoas que apenas se interessam por você quando percebe que há valor para elas. O script para a música foi feito pela banda e eles queriam apresentar um curta para o tema clássico do cinema “vingança é um doce veneno” com uma pitada NOIRA. O clipe, filmado numa fábrica abandonada, dirigido, parcialmente filmado e editado pelo baterista Petri Inkinen.

ROJU

Alguém pediu por Nu-Metal? ROJU foi formada no meio da pandemia em 2020. Eles têm forte influência do nu-metal e muitos elementos também do metalcore, djent e do metal moderno. Riffs pesados e melodias cativantes destacam-se nesta talentosa banda da Finlândia. Com riffs pesados e melodias cativantes, o grupo motiva o público a cantar e criar rodas de mosh. Apesar de o grupo ser novo, estão inspirados e em pouco tempo de atividade já lançou quatro singles e um EP.

O single chamado apenas de "#9" lançado este ano, traz muita referência a bandas como Deftones, Korn e Slipknot. O videoclipe ‘Salvation’ lançado em Janeiro deste ano, traz um lyric video que faz uma reflexão sobre o preço que um Humano precisa pagar ao seguir um líder e caminhar para a prometida salvação. Tudo relacionado á banda hoje é criado e produzido por eles.

SACRED DIMENSION

SACRED DIMENSION é um quarteto que se identifica com o metalcore melódico. Os membros do grupo tocam junto há pelo menos dez anos e cada integrante tem uns 25 anos cada um. Com guitarra, baixo, bateria, um baixo e uma guitarra-teclado a banda projetou seu estilo para ter melodias memoráveis. Acrescente a elas breakdowns com solos de guitarra e muita mudança de ritmo. Uma receita que conforme eles sempre é bem vinda pelo público nos diversos palcos que tem pisado.

Os vocais são interpretados por três vocalistas diferentes deixando muito espaço para gritos, vocais guturais e cantos limpos. SACRED DIMENSION lançou este ano um novo single chamado 'White Dove's Crown' e a faixa já foi escutada 42.972 vezes na plataforma digital Spotify.

WHERE'S MY BIBLE

Um dos três finalistas desta campanha, WHERE'S MY BIBLE é a banda que mescla death e black metal com elementos do metal moderno e punk rock. Musicalmente, este quinteto possui um som muito complexo e cheio de detalhes. Com seu EP mais recente chamado 'Circle', a banda quis trazer á tona um tema recorrente no Mundo da música que são as doenças da mente e o problema ligado á depressão. Registro que possui quatro músicas, assimila este estado da mente às quatro estações do ano — Verão, Inverno, Primavera e Outono. WHERE'S MY BIBLE fez clipes para o EP que narram isto numa espécie de curta.

'Circle' é para a banda um marco histórico, pois é o momento em que decidiram fazer a música que estava em seus corações e que sentiam que precisava ser exposto para o Mundo. WHERE'S MY BIBLE tem orgulho de sua presença de palco e a considera muito enérgica como também notou a mídia especializada e aqueles que tiveram a chance de ver um show deles.

Para votar nos três finalistas, que são as bandas Luna Kills, Noira e Where's My Bible, uma plataforma interativa foi criada e já está no ar. Votos já estão liberados em: www.cometolatinamerica.fi

terça-feira, 28 de junho de 2022

Governo finlandês promove o heavy metal e o intercâmbio com a América Latina


Projeto “Come to Latin America” busca o fomento cultural e a quebra de preconceitos contra o estilo.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O Metal pode ser considerado um pária em muitas nações do globo, entretanto, na Finlândia este é um estilo musical presente na cultura e bastante prestigiado pela população, com ampla presença nas grandes mídias, rádios e, portanto, na vida dos habitantes do país.

Uma das ações de maior abrangência do governo para fomentar à cultura local é o financiado de projetos através do Ministério da Educação e Cultura. Em pauta neste momento temos o concurso “Come to Latin America”, destinado a bandas emergentes de metal finlandês, com o objetivo de difundir a música, promover a cultura do país e colaborar com a quebrar alguns preconceitos que ainda existem em torno o estilo de música, heavy metal. O projeto em formato híbrido prevê alcançar aproximadamente 10 milhões de pessoas entre jurados, público participante e atrações. 

O júri do concurso "Come to Latin America", formado por mais de 100 músicos latino-americanos, jornalistas, radialistas, organizadores de festivais e profissionais ligados ao entretenimento ao vivo, escolheu as três bandas finalistas e agora será a vez do público latino-americano escolher o vencedor. O prêmio será um acordo de distribuição com a Nuclear Blast – por meio da subsidiária Blood Blast –, uma das maiores gravadoras de nicho do mundo e que atua como parceira nesta iniciativa.

Para votar nos três finalistas, que são as bandas Luna Kills, Noira e Where's My Bible, uma plataforma interativa foi criada e estará no ar á partir de 28 de Junho de 2022. 

Finlândia e América Latina conectados pelo Metal

O rock e o heavy metal se tornaram um produto de exportação finlandês. Principalmente desde a virada do milênio, inúmeras bandas do país vêm se posicionando no circuito internacional, no qual Brasil, Chile, Argentina, México e Uruguai tem uma grande fatia. De acordo com o relatório global de música da IFPI, a América Latina é o mercado mais importante para música, incluindo o metal finlandês, registrando 85% dos downloads nas plataformas de streaming, com um crescimento de 31% em 2021, em relação ao ano anterior.

O ministro da Ciência e Cultura da Finlândia, Petri Honkonen, comenta: “O mercado de música em rápido crescimento da região também está atraindo novas bandas. Além disso, eles têm uma base de fãs leais na América Latina, o que cria uma forte plataforma para o sucesso. O intercâmbio cultural é especialmente importante agora, dada a instabilidade que vivemos na Europa, levando os artistas a terem incertezas em vários sentidos”.

A empresária Niina Fu, idealizadora do projeto, teve inspiração ao residir nos países Chile e Brasil e comparar as similaridades entre o países latinoamericanos e a Finlândia: “Apesar da distância e diferenças culturais, existe uma cena metal muito forte e profunda em ambos os países. Isso me chamou muito a atenção e é por isso que tive a ideia de desenvolver este projeto”.

Ela acrescenta que sua motivação é ampliar o impacto da cultura na sociedade moderna: “Acredito que atualmente o mundo é medido demais por conquistas e por indicadores financeiros. Ao estudar Administração de Empresas na Getúlio Vargas em São Paulo, Brasil, entendí que precisamos ampliar o espaço da cultura. O heavy metal é o presente da Finlândia para o grande e diversificado acervo cultural do Brasil, com o objetivo de aumentar a participação no cotidiano das pessoas deste lindo país”.

"Está nos planos da banda vencedora uma turnê na América Latina. Estamos solicitando mais financiamento para este projeto. Continuaremos a cooperar com o Brasil – um dos maiores exportadores de boa música do mundo", promete Fu.

O heavy metal e a Finlândia

De acordo com o banco de dados online Metal Archives, o país tem mais de duas mil bandas do estilo. Ainda segundo a plataforma, há uma década, a Finlândia tinha o maior número de bandas de heavy metal per capita do mundo, com 54 a cada 100 mil habitantes. Os países vizinhos Suécia e Noruega vinham logo atrás, com 27. Hoje esse número ultrapassa os 60, mantendo o primeiro lugar geral

Este cenário sólido se explica pelo empenho do governo finlandês em apoiar a cultura local e o heavy metal. Não à toa, que a primeira ministra finlandesa, Sanna Marin, aparece em diversas cerimônias oficiais usando sua inseparável jaqueta de couro, no melhor estilo Rock and Roll. A primeira ministra finlandesa já declarou abertamente seu grande amor pelo heavy metal.

Isto não é apenas um reflexo da moda, mas também de uma atitude de vida, uma vez que esse gênero musical permeia profundamente a sociedade finlandesa. O alcance do estilo chega também ao mundo empresarial. A multinacional finlandesa Nokia, que possui forte presença no mercado mundial de tecnologia, vem demonstrando entusiasmo e apoio ao projeto “Come to Latin America”, e tem em seu quadro de colaboradores pessoas que apreciam o estilo, como o CEO da Nokia Brasil, Ailton Santos Filho, músico, matemático por formação e apontado como padrinho do “Come to Latin America”. 

Uma das coisas que diferencia a arte da tecnologia é que esta sempre busca o perfeccionismo, enquanto a música é uma forma de expressão mais humana, onde podemos ousar ser nós mesmos, com nossas virtudes e erros. Por isso, decidi apoiar nossos jovens colegas músicos em seu processo de desenvolvimento, além de entrar na cena metal finlandesa”, explica o gestor, que complementa: “A música é universal e conecta as pessoas”.

Indo além da intenção de promover o desenvolvimento de novos e emergentes artistas e bandas finlandesas, Santos Filho conta como o estilo reflete em outros pontos da vida e do âmbito profissional: “Liderar uma banda e tocar em um palco colaborou muito com minha carreira no mundo corporativo. Estar conectado por um propósito comum, que é a forma como a música nos educa, pois é uma linguagem universal, permite que tudo isso seja aplicado à liderança de uma empresa, organização e/ou qualquer tipo de trabalho”.

Outro nome ligado ao estilo e que atual com grande destaque na área da saúde, é Ville Vänni, que por anos integrou a importante banda Insomnium. O ex-guitarrista, que agora atua como médico-cirurgião, comenta: “Hoje o metal está em todos os níveis da sociedade; não é para a elite, nem para a classe média, nem para quem tem menos recursos. É algo enraizado e que faz parte da nossa cultura”.

Por sua vez, o brasileiro Daniel Medeiros, hoje community manager da Supercell, empresa finlandesa de desenvolvimento de videogames, conta que quando jovem, sua banda favorita era HIM: “Fiquei sabendo que o HIM era da Finlândia, país conhecido pelo alto nível de ensino e qualidade de vida. Mais tarde, quando quis encontrar um emprego na indústria de videogames, a Finlândia imediatamente me veio à mente. Em outras palavras, se eu não estivesse inicialmente interessado na Finlândia por causa do HIM, e não soubesse que a Finlândia é um dos melhores países do mundo para se viver, eu nunca teria vindo trabalhar aqui”, diz.

O “Come to Latin America” é um projeto que visa o intercâmbio e o fomento cultural da Finlândia para o mundo, e que cujo capítulo que estamos vivendo agora é o primeiro de muitos outros.

Outras informações: 

Acesse: www.cometolatinamerica.fi

quinta-feira, 16 de junho de 2022

Tradicional festival de metal alemão, Summer Breeze, terá edição no Brasil em 2023

Informação foi adiantada em vídeo pelo jornalista @jnflesch .

Inaugurado em 2006, na cidade de Dinkelsbuhl, estado da Bavária, Alemanha, o festival Summer Breeze se tornou um dos maiores e mais tradicionais do circuito do metal.

De lá para cá as fronteiras foram ampliadas e edições em outros países começaram a acontecer.

Agora a organização anunciou a chegada em 2023 da 1ª edição brasileira do icônico festival germânico, ainda sem entregar nenhuma atração do cast, mas já adiantando que o evento será realizado no Memorial da América Latina, em São Paulo, nos dias 29 e 30 de abril do ano que vem, com direito a 3 palcos e a inclusão de outros sub-gêneros do rock, não sendo uma atração somente de metal, como sempre é o evento original.

Este ano, na Alemanha, o Summer Breeze acontecerá entre 17 e 20 de agosto e dentre as atrações principais do cast estão Within Temptation, Arch Enemy, Static-X, Hatebreed, Cannibal Corpse, Alestorm, Blind Guardian, Paradise Lost, Dark Tranquillity e Napalm Death.

sexta-feira, 3 de junho de 2022

Rock in Rio confirma Gojira no Palco Mundo em substituição ao Megadeth

Banda francesa se apresentará na mesma noite que o Iron Maiden, Dream Theater e Sepultura.

A organização do Rock in Rio confirmou ontem que o Gojira, banda francesa, expoente do metal contemporâneo, irá tocar na noite de abertura do festival em 2 de setembro próximo, no Palco Mundo, juntamente com o Sepultura, Dream Theater e os headliners Iron Maiden.

Esta será a segunda passagem do grupo pelo festival carioca. A primeira aconteceu na edição de 2015.

Agora eles vem trazendo a divulgação do álbum "Fortitude", que chegou no ano passado, além de outros sucessos.

Gojira lança clipe da canção "Amazonia", expondo as inúmeras queimadas na região; assista.

Programação do Rock in Rio (com informações do IGORMIRANDASITE):

2 de setembro

Palco Mundo:


Iron Maiden

Dream Theater

Gojira

Sepultura + Orquestra Sinfônica Brasileira


Palco Sunset:


Bullet For My Valentine

Living Colour + Steve Vai

Metal Allegiance

Black Pantera + Devotos


Rock District:


Oitão

Noturnall

Eminence

Sioux 66


New Dance Order:


02:00 – 04:00 Len Faki

00:30 – 02:00 Renato Ratier Vs Diogo Aciolly

23:00 – 00:30 Ananda

21:30 – 23:00 Victoria Engel

20:00 – 21:30 Valentina Luz

18:30 – 20:00 Binaryh

17:00 – 18:30 Flo Masse Vs Craig Ouar

16:00 – 17:00 Chang Rodrigues Live


3 de setembro

Palco Mundo:


Post Malone

Marshmello

Jason Derulo

Alok


Palco Sunset:


Racionais

Criolo convida Mayra Andrade

Xamã convida Brô MC’s

Papatinho + L7nnon convidam MC Hariel e MC Carol


Rock District:


Rock Street Band

Wilson Sideral – Tropical Blues

Malvada


Supernova:


TETO


New Dance Order:


03:00 – 04:00 Chris Lorenzo

01:30 – 03:00 Bhaskar

00:30 – 01:30 Malifoo

23:30 – 00:30 Carola

22:15 – 23:30 Groove Delight

20:45 – 22:15 Kvsh

19:15 – 20:45 Illusionize

18:00 – 19:15 Victor Lou

17:00 – 18:00 Almanac

16:00 – 17:00 Fluxzone


4 de setembro

Palco Mundo:


Justin Bieber

Demi Lovato

Migos

Iza


Palco Sunset:


Gilberto Gil

Emicida e convidados

Luísa Sonza convida Marina Sena

Matuê


Rock District:


Rock Street Band

Fonk’s Gang

Lucy Alves


Supernova:


Lil Whind (Whindersson Nunes)


New Dance Order:


02:30 – 04:00 Lost Frequencies

01:00 – 02:30 Liu

23:15 – 01:00 Samarah

22:15 – 23:15 Sickick

20:45 – 22:15 Dubdogz

19:15 – 20:45 Cat Dealers

18:00 – 19:15 Gabe

17:00 – 18:00 Ownboss

16:00 – 17:00 Maz


8 de setembro

Palco Mundo:


Guns N’ Roses

Måneskin

The Offspring

CPM 22


Palco Sunset:


Jessie J

Corinne Bailey Rae

Gloria Groove

Duda Beat


Rock District:


Rock Street Band

Rodrigo Santos

Stormsons


Supernova:


Francisco, el Hombre


New Dance Order:


02:00 – 04:00 Adriatique

01:00 – 02:00 Zac

00:00 – 01:00 Sarah Stenzel

22:30 – 00:00 Ben Böhmer

21:30 – 22:30 Gui Boratto

20:00 – 21:30 Du Serena Vs Junior C

18:30 – 20:00 Leo Janeiro Vs Nepal

17:00 – 18:30 Marta Supernova

16:00 – 17:00 Nu Azeite Live


9 de setembro

Palco Mundo:


Green Day

Fall Out Boy

Billy Idol

Capital Inicial


Palco Sunset:


Avril Lavigne

Jão e convidado

Di Ferrero e Vitor Kley

1985: a homenagem


Rock District:


Rock Street Band

Fernando Badauí

Deia Cassali


New Dance Order:


02:30 – 04:00 Neelix

01:30 – 02:30 Blazy

00:00 – 01:30 Paranormal Attack

22:30 – 00:00 Vegas

21:30 – 22:30 Rica Amaral

19:00 – 21:30 Aly & Fila

17:30 – 19:00 Antdot

16:00 – 17:30 Meca


10 de setembro

Palco Mundo:


Coldplay

Camila Cabello

Bastille

Djavan


Palco Sunset:


CeeLo Green canta James Brown

Maria Rita e convidado

Gilsons e convidado

Bala Desejo e convidado


Rock District:


Rock Street Band

Dinho Ouro Preto, Andreas Kisser, João Barone, PJ e Liminha

Thiago Fragoso


New Dance Order:


02:30 – 04:00 Kaskade

01:00 – 02:30 Jetlag

23:45 – 01:00 Curol

22:30 – 23:45 Gabriel Boni

21:30 – 22:30 Makj

20:00 – 21:30 The Fish House

18:30 – 20:00 Chemical Surf

17:00 – 18:30 Bruno Be Vs Fancy Inc

16:00 – 17:00 Alexiz Bcx


11 de setembro

Palco Mundo:


Dua Lipa

Megan Thee Stallion

Rita Ora

Ivete Sangalo


Palco Sunset:


Ludmilla

Macy Gray

Power! Elza vive, show em homenagem a Elza Soares

Liniker convida Luedji Luna


Rock District:


Rock Street Band

Di Ferrero

Rogério Flausino


Supernova:


Priscilla Alcântara


New Dance Order:


02:00 – 04:00 Anna

00:00 – 02:00 Eli Iwasa

22:30 – 00:00 Blond:Ish

21:00 – 22:30 Ella De Vuono

19:30 – 21:00 Anabel Englund

18:00 – 19:30 Aline Rocha

16:00 – 18:00 Mary Olivetti

quarta-feira, 25 de maio de 2022

Evanescence anuncia a sua nova formação para os próximos shows

O Evanescence recrutou Emma Anzai do Sick Puppies para tocar baixo na próxima turnê da banda liderada por Amy Lee. Além disso, o baixista de longa data do grupo, Tim McCord, mudará para a guitarra e preencherá o espaço recentemente deixado vago pela saída de Jen Majura.

Evanescence: Guitarrista Jen Majura fala sobre a sua saída da banda: "Nada disso foi minha decisão".

Ontem cedo (segunda-feira, 23 de maio), o EVANESCENCE divulgou a seguinte declaração:

"Senhoras e senhores, temos grandes novidades para compartilhar. Apresentamos nosso novo guitarrista... Tim McCord!!

"Depois de 16 anos na banda como nosso baixista sólido, Tim está dando de volta em seu instrumento original. Alerta de spoiler - ele é ótimo nisso. E no baixo, é um grande prazer receber a incrivelmente talentosa Emma Anzai da Sick. Nós somos amigos e fãs há anos, e finalmente chegou a hora de unirmos forças. Emma estará fazendo um trabalho duplo, pois temos alguns shows com a Sick Puppies chegando em breve, então prepare-se para isso!

Estamos todos muito animados para trazer esta nova formação ao palco pela primeira vez em Atenas no dia 5 de junho. Até breve!"

Na seção de comentários abaixo do post do Evanescence no Instagram, Lee acrescentou:

"Fazer mudanças positivas em sua vida (e banda) pode ser muito difícil. Algumas escolhas que fazemos, algumas são feitas por nós. Mas quem somos no final é como lidamos com isso, o que quer que venha em nosso caminho.

Hoje é um grande dia na minha banda. Dando mais um passo à frente com meus irmãos que estão ao meu lado há mais de 15 anos, e dando as boas-vindas a uma linda amiga com quem estamos muito animados para dividir o palco... Estou feliz.

Você nunca sabe o que está por vir, mas quando algo está certo você sabe que está no caminho. E isso parece tão certo. Bem-vinda Emma! Amo todos vocês."

Via BLABBERMOUTH.

quarta-feira, 4 de maio de 2022

Spiritbox: a vocalista Courtney LaPlante fala sobre ser testada por metaleiros ao usar camiseta de banda

Toda vez que você veste uma camisa de banda e sai de casa, você está apostando que alguém vai tentar testar seus conhecimentos sobre o artista que você está "carregando" e isso vale especialmente para as mulheres. Courtney LaPlante, da Spiritbox, teve um dos infames encontros "nomeie três músicas" por trajar uma camiseta Every Time I Die, banda de hardcore-punk de Buffalo, Nova York.

Spiritbox lança esperado álbum “Eternal Blue”; ouça.

LaPlante, que nos últimos dois anos se tornou uma vocalista de heavy metal bastante proeminente, escreveu sobre a conversa em seu Twitter (1º de maio).

"Estou vestindo minha camisa tie-dye ETID na academia agora e o cara ao meu lado me perguntou se eu conhecia a banda, então eu disse 'não' e ele agora está explicando a banda para mim. Imagine ir até alguém e sair perguntando se sabe o que está na camisa que estão vestindo", escreveu ela.

"Eu realmente não penso muito em falar sobre essas coisas porque eu não estou muito interessada na internet hoje em dia, mas em algum momento eu vou ter que contar todas as coisas loucas que os homens dizem para mim", disse a cantora. "Acho legal quando as pessoas me perguntam sobre bandas quando veem minha camisa. Mas esse cara não fez isso, ele começou com, 'Você conhece a banda na camisa que você está vestindo?' Hahah esse tipo de coisa acontece muito, mas isso foi muito engraçado, então pensei em compartilhar."

É cômico que o frequentador da academia sentiu a necessidade de educar LaPlante em uma banda de metal popular sem sequer perceber que ela é a vocalista de outra. Se ele é um conhecedor de metalcore, ele não deveria estar ciente do Spiritbox? A Spiritbox abriu para o ETID em seu último show em dezembro, afinal.

O Spiritbox está saindo em turnê em algumas semanas, começando com uma apresentação no festival Welcome to Rockville em Daytona, Flórida, e então eles irão para a Europa durante o resto de maio e junho antes de retornar à América do Norte para mais alguns festivais. Veja todas as datas em seu site.

Via LOUDWIRE.

sexta-feira, 29 de abril de 2022

Rammstein lança o seu novo álbum "Zeit" e libera o clipe de "Angst"; ouça e assista

Zeit”, novo álbum da banda germânica Rammstein, chegou hoje.

O trabalho fora produzido na França, durante a pandemia, tendo sua capa fotografada pelo cantor Bryan Adams, que também acumula a profissão de fotógrafo. (confira no fim da matéria).

Rammstein anuncia seu novo álbum e libera clipe da faixa-título “Zeit”; assista.

Ouça o álbum “Zeit” na íntegra, via Spotify, ou clique AQUI para ouvir em outras plataformas.

Assista ao clipe de "Angst" no player abaixo:

Tracklist:

01. Armee der Tristen (3:25)

02. Zeit (5:21)

03. Schwarz (4:18)

04. Giftig (3:08)

05. Zick Zack (4:04)

06. OK (4:03)

07. Meine Tränen (3:57)

08. Angst (3:44)

09. Dicke Titten (3:38)

10. Lügen (3:49)

11. Adieu (4:39)

Disquiet libera clipe do single "The Final Trumpet" (ft. Charlotte Wessels, ex-Delain), canção de seu novo álbum; assista

"The Final Trumpet" integra "Instigate to Annihilate", 3° full-lenght da banda neerlandesa Disquiet e traz a colaboração vocal da compatriota Charlotte Wessels (ex-Delain).

O trabalho, que sucederá "The Condemnation" (2016), chegará no dia 6 de maio próximo, em vários formatos, via Soulseller Records.

Assista ao clipe de "The Final Trumpet" no player abaixo:


Assista também o clipe da música "Wrecked", trazendo a voz de Vicky Psarakis, divulgado anteriormente.


Tracklist:

1. Rise of the Sycophants
2. Demonic Firenado
3. Designed to Violate
4. Instigate to Annihilate
5. Wrecked
6. No Moral Dignity
7. Destroyance
8. Sicario
9. A Dying Fall
10. The Final Trumpet

sexta-feira, 22 de abril de 2022

Sicksense, nova banda de Vicky Psarakis (The Agonist) lança seu EP de estreia, ouça e assista clipes

"Kings Today", 1º EP da banda Sicksense chegou hoje via Interstreet Recordings.

O trabalho traz a frontwoman da banda canadense The Agonist, Vicky Psarakis, que aqui assina com o codinome de Killer V, que ao contrário do que apresenta em sua outra banda, onde executa mais o canto gutural, aqui ela faz dos vocais limpos a regra.

Em nota a banda comentou sobre as canções já divulgadas com vídeoclipes e o restante do trabalho:

"Já faz muito tempo e não podemos acreditar que finalmente estamos aqui. Esperamos que você goste das 2 faixas restantes e ouça na íntegra! Sinta-se à vontade para COMPARTILHAR com seus amigos e nos ajudar a divulgar!

Obrigado a todos por estarem neste passeio louco conosco desde o início. Mal posso esperar para ver onde isso nos leva!

Muito amor,

Sicksense."

Assista nos player abaixo os clipes das canções "Forgotten Days" e a faixa-título.


Ouça o EP na íntegra via Spotify:

segunda-feira, 18 de abril de 2022

Arch Enemy: Alissa White-Gluz fala sobre novo álbum, performance ao vivo e o futuro do metal

A banda toca em San Antonio hoje, com Behemoth, Napalm Death e Unto Others.

Diversas formações fazem shows fascinantes. Nada mantém o público em alerta como uma nota que não parece três ou quatro cópias de carbono da mesma banda.

Um exemplo perfeito para em San Antonio na próxima semana, quando os mestres suecos do death metal melódico Arch Enemy co-lideram uma turnê com as lendas do death metal Behemoth. A banda seminal de grindcore Napalm Death e o novo conjunto de metal gótico Unto Others completam a noite.

A jornada do Arch Enemy para o status de headliner remonta a 1995, quando o guitarrista Michael Ammott deixou a lendária banda de grindcore Carcass para começar uma nova banda em uma nova direção. Angela Gossow, na verdade a segunda vocalista do Arch Enemy, abriu caminho como uma das mulheres mais proeminentes para entregar vocais "duros", ou "rosnados de morte", e se tornou o rosto dessa banda.

Desde então, o Arch Enemy lançou uma série de álbuns de sucesso, incluindo "Doomsday Machine" (2005) e "Rise of the Tyrant" (2007). No entanto, em 2014, Gossow se aposentou do palco e a vocalista canadense Alissa White-Gluz entrou com sucesso, começando com "War Eternal" de 2014.

Com White-Gluz ainda na frente, o Arch Enemy lançará "Deceivers" ainda este ano, e a banda toca no Aztec Theatre de SA nesta segunda-feira, 18 de abril.

Arch Enemy - Alissa White-Gluz: "fui comparada à Avril Lavigne".

O Arch Enemy tocou em San Antonio anteriormente com Amon Amarth em 2019. Você tem alguma lembrança que gostaria de compartilhar?

Eu estive lá muitas vezes. Nossos shows no Texas são sempre ótimos. Tocamos em alguns que eram extremamente, muito quentes. Eu me lembro de um em particular onde nossos álbuns, nosso vinil, começaram a derreter. Isso é o quão quente estava.

Você está em turnê em um projeto de co-headliner com o Behemoth. Seu frontman, Nergal, parece um personagem. Você já teve alguma interação colorida ou divertida com ele?

Eu o chamo de Nerg. Eu andei com ele tantas vezes. Nós somos amigos. Se há uma coisa a ser dita sobre essa escolha de carreira, é que você encontra tantos personagens e está rindo sem parar porque todo mundo é tão engraçado. Tem uma foto minha e do meu namorado, Doyle [Wolfgang Von Frankenstein, dos Misfits] no tapete vermelho, o tapete vermelho sangue! — para a estreia do filme "Three From Hell", de Rob Zombie. Parece que estou fazendo esse aceno da “velha Hollywood” para a câmera de um dos fotógrafos que capturou aquele momento. Mas é porque eu vi Nergal andando na calçada, e eu estava acenando para ele. Se você vir essa foto, eu estou realmente no processo de ligar para ele.

Michael Ammott, do Arch Enemy, começou com o Carcass, que é uma banda muito diferente dessa. Como você acha que esse período e esse estilo influenciaram seu trabalho com o Arch Enemy?

Michael era muito jovem quando tocava com o Carcass, mas já era um músico muito talentoso. Ele é um ótimo guitarrista e é capaz de fazer alguns estilos diferentes. Mas eles sempre têm essa raiz no metal melódico. Eu acho que isso provavelmente o colocou de pé para onde ele poderia começar sua própria banda. O que ele fez.

"Deceivers" será lançado em julho deste ano. Michael disse que a banda vai lançar mais singles do que o normal. O que entrou nessa decisão?

Acho que ao longo dos últimos dois anos todos tiveram que repensar como lançam por causa da forma como a música é consumida agora. Colocamos o mesmo tempo em todas as músicas, mas então, talvez apenas duas ou três delas sejam destacadas como singles. Mas isso não quer dizer que o resto das músicas não levou tanto tempo, energia e coração para criar. Temos fãs que conhecem todas as músicas, mas queríamos dar às pessoas a oportunidade de descobrir um pouco mais sobre nosso som.

Vocais ásperos são notoriamente difíceis nas cordas vocais. Estou curioso sobre que tipo de aquecimento vocal você faz e como você garante que ainda será capaz de cantar nos próximos anos?

Leve seu trabalho a sério, mas não se leve muito a sério. Você ficará de mau humor o tempo todo se fizer isso. Estou muito consciente das minhas escolhas alimentares, minhas escolhas de saúde. Não bebo, não fumo. Eu nunca tenho vícios. Eu não uso drogas. Há pessoas que podem fumar e depois fazer uma performance vocal incrível, mas eu trato isso da mesma maneira que trato o treino. Há várias facetas para ficar em boa forma. Há sua saúde mental, sua resistência cárdio, sua massa muscular, sua nutrição. Eu foco em cantar da mesma maneira. Eu preciso ser capaz de carregar mentalmente o peso dessa música e da letra. Eu preciso ser fisicamente capaz de performá-la todas as noites no palco. Então, o que meu corpo precisa para ser capaz de fazer isso? Precisa de boa hidratação, boa nutrição, bom sono. Quando você sobe ao palco todas as noites na frente de milhares de pessoas e se coloca nessa posição vulnerável onde literalmente grita com todo o seu coração, você precisa ter certeza de que está mentalmente apto e pronto para fazer isso. na frente de tanta gente. É isso que move sua paixão. E então é isso que fazemos.

Você se juntou à banda depois que Angela saiu. É justo dizer que quando alguém sai de uma banda, muitas vezes há ressentimentos. No entanto, ela ainda está na gestão, e parece que todos são uma família feliz. Como são suas interações com Angela, principalmente logo depois que você entrou na banda e a substituiu?

Foi ótimo desde o início, porque foi ela que me pediu para substituí-la. Foi ideia dela. Ela sabia que estava em um ponto de sua vida em que queria se afastar do palco, mas ainda assim dedicou muito de seu tempo e esforço à banda. Ela queria continuar a fazer isso, e ela já era a gerente antes de eu entrar. Somos pessoas muito parecidas e todos temos um objetivo comum de impulsionar o Arch Enemy para frente e para cima.

Festivais de metal muitas vezes são encabeçados por bandas que estão chegando lá em idade: Iron Maiden, Judas Priest, Megadeth. Slayer já se aposentou. Como o metal vai se sustentar sem alguns desses titãs literais?

Eu estava falando sobre isso ontem, porque eu estava com Nergal e Michael na Bay Strikes Back Tour, que é Testament, Exodus e Death Angel. Estávamos conversando sobre isso, e há um pouco de preocupação, na verdade, com o que vai entrar como música fantástica. Mesmo se você for um pouco além do metal, digamos Aerosmith. Uma vez que essas bandas tenham que parar por qualquer motivo, o Arch Enemy está lá esperando para intervir. (Risos).

É claro!

Mas há um pouco de preocupação do meu lado. Para não dizer que a música moderna não é fantástica, porque é. É mais que o consumo de música é menos focado na qualidade da composição e na musicalidade e nas letras, e é um pouco mais focado na viralidade da música e feito para um período de atenção muito curto. E isso não é culpa dos músicos. É assim que o mundo é. Então, estou um pouco preocupada em talvez não ter uma música realmente excelente em, digamos, 50 anos. Estou um pouco preocupada que a era das bandas possa realmente chegar ao fim, porque mesmo a era das bandas em turnê não é muito antiga. Se você ler a biografia de Keith Richards, ele fala sobre os Rolling Stones serem uma das primeiras bandas em turnê, e eu odiaria ver isso ir embora. Espero que haja um entusiasmo renovado pelo metal ao vivo. Quando eu estava assistindo a plateia naquele show esgotado do House of Blues Anaheim com o Bay Strikes Back, eu estava vendo todos adorando e tendo esse momento espiritual na multidão enquanto o Exodus estava tocando. Não quero ir a um clube de dança, não quero ir a um bar, quero ir a um show. Há um bom pedaço de bandas de metal realmente estabelecidas que estão no ar há 20 ou 25 anos, e construímos uma ótima performance e um ótimo set. Eu entendo se o Slayer não puder mais fazer isso, mas definitivamente há alguma preocupação de que teremos um momento em que os mestres não estarão mais lá.

Arch Enemy tem elementos de metal clássicos, bem como elementos mais extremos, principalmente seus vocais. Como você equilibra a acessibilidade, mas também querendo gritar seu coração?

É o que eu amava no Arch Enemy antes de entrar, e é o que eu amo agora. Eu amo a apresentação do Priest, amo Rob Halford como frontman, amo Bruce Dickinson como frontman. Eu amo o elemento teatral. Eu amo que você esteja olhando para uma personalidade maior que a vida que está trazendo você para essa experiência da música e contando uma história. Eu amo isso, e é isso que eu gosto de fazer no palco também. Eu acho que isso permite pessoas que talvez ficariam desanimadas com meu tipo de vocal. Isso permite que eles ultrapassem o muro que construíram. E assim que o fazem, ouvem as melodias e as harmonias na guitarra. Cada música tem um gancho diferente. Você pode cantar com as guitarras, mas também pode cantar com os rosnados.

Você é uma vegana declarada. Como essa filosofia influencia suas letras, sua música e assim por diante?

Uma das coisas que influenciou quando Angela me pediu para entrar na banda foi que ela também é vegana e meio que contra a religião. E temos muitas das mesmas filosofias sobre as coisas. E assim, ela sabia que eu intervindo e ter que cantar letras que ela havia escrito no passado não seria um problema. Não posso cantar algo em que não acredito. E não posso escrever músicas se não acredito no que estou escrevendo. Nós escrevemos músicas de forma colaborativa às vezes, e eu levo em consideração as opiniões de outras pessoas. Não me importa se minha ideia não é tão boa quanto a sua. Vamos com a melhor ideia. Então, para mim, muito do que escrevo vem de ser vegana, mas não é necessariamente sobre veganismo. É mais sobre o aspecto de querer mudar as coisas para melhor. Eu vendo questões e problemas na sociedade que não são realmente falados e sabendo que tenho uma plataforma onde posso realmente falar sobre isso. Eu não quero dar a alguém uma reportagem como uma música. Eu quero que seja uma música. Eu não posso gritar por nada. Eu tenho que gritar sobre algo que me faz querer gritar! Acho que todos estamos percebendo agora que estragamos tudo de várias maneiras, especialmente quando se trata da indústria. Acho importante que os músicos incluam alguma visão de mundo em suas músicas. Claro, nem todos vão concordar com isso, e é por isso que escrevo em forma de poesia. E é por isso que uma música como “The Race”, eu posso ter escrito isso como um discurso sobre mudanças climáticas, política e crueldade animal. E então alguém pode dizer “isso é sobre minha sogra”, e tudo bem! Isso é totalmente bom. Eu quero que as pessoas se conectem com isso. O que mais me inspira na vida é querer que os animais sejam bem tratados. Tenho um profundo amor pelos animais e é por isso que sou vegana. Acontece que há um monte de outros problemas que vêm com a agricultura animal que provavelmente poderíamos tentar consertar se nos puséssemos todos na mesma página. Gosto de escrever sobre coisas que me interessam, e muitas vezes acaba sendo isso. Às vezes é mais pessoal, mais introspectivo. Às vezes é pura poesia. Pode ser que eu tenha visto uma bela pintura, e a pintura me inspirou, e eu queria apenas criar imagens, como é o caso da nossa música “Exiled From Earth”. Isso, na verdade, para mim, era sobre mudanças climáticas, mas então o som da música me fez querer criar uma paisagem através das palavras, então eu sinto que essa é uma música muito cinematográfica nesse sentido. Então, sim, eu acho que é importante que as pessoas encontrem inspiração em quem elas são e tirem proveito disso, então parece autêntico.

Você claramente tem algumas opiniões para onde o mundo está indo. Eu adoraria um momento Kumbaya tanto quanto o próximo cara. A música às vezes pode unir as pessoas. O que podemos fazer?

Eu gostaria de ter a resposta para resolver esse problema. Eu realmente quero. Infelizmente, eu não tenho. Eu acho que uma abordagem de cima para baixo talvez seja necessária neste momento. Fizemos uma abordagem de baixo para cima por um longo tempo. Ativismo de base. Convencer uma pessoa de cada vez de que ela tem o poder de criar mudanças. E então eles fazem. Isso é ótimo e funciona bem, e há um efeito cascata desse tipo de ativismo. Eu acho que uma abordagem de cima para baixo [é necessária]: mudar as leis, mudar as formas como os mandatos e as corporações trabalham para que eles levem em conta as necessidades da população humana e as necessidades do meio ambiente. Sinto que estamos no ponto em que precisamos seguir esse caminho, porque infelizmente os EUA são uma sociedade capitalista, assim como grande parte do mundo. Isso é ótimo de várias maneiras. Mas não necessariamente considera todas as consequências desse tipo de pensamento. Não acho que exista um partido ou postura política 100% melhor e correta em todos os aspectos. Acho isso impossível. Também vejo a rapidez com que os humanos se adaptam e a rapidez com que as coisas se tornam normais. Se nós apenas nos considerarmos agora não tendo nosso telefone conosco por um dia, todo mundo iria surtar sobre isso. Considerando que, qualquer pessoa da minha idade ou mais velha passou a maior parte de sua infância e adolescência e até mesmo a idade adulta jovem sem telefone. E foi bom! Acho que é o tipo de coisa em que, se necessário, agora a norma é o leite não lácteo, porque os laticínios são abusivos, destrutivos e cruéis e destroem o planeta de uma maneira que não podemos acompanhar. Então, se a norma fosse algum tipo de leite não lácteo, haveria resistência no início, mas a gente se adaptava, do jeito que a gente se adapta com todo o resto. A única razão pela qual, por exemplo, os laticínios ainda são uma opção viável é porque são subsidiados pelo governo. E é isso que quero dizer com top-down. Se, em vez disso, optássemos por subsidiar indústrias menos prejudiciais ou não prejudiciais ao planeta, às pessoas e aos animais, poderia haver uma grande mudança. Acho que agora é a hora de fazer isso porque não temos mais muitas opções.

Via San Antonio Current.