Confraria Floydstock: álbuns
Mostrando postagens com marcador álbuns. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador álbuns. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 1 de março de 2021

Fabio Rizental lança “Guitarras do Brasil” em áudio e vídeo

Com influências de Tom Jobim a Chick Corea, guitarrista carioca homenageia Pepeu Gomes, Toninho Horta e Ricardo Silveira em novo trabalho instrumental gravado ao vivo e disponível no YouTube e nas plataformas digitais

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O guitarrista carioca Fabio Rizental está com novo trabalho audiovisual e, desta vez, dedicado aos guitarristas brasileiros. Com lançamento a partir de 1º de março, “Guitarras do Brasil – Ao vivo”, gravado em outubro de 2020 no Audio Rebel (Rio de Janeiro) faz uma reverberante homenagem a grandes guitarristas brasileiros: Toninho Horta, Pepeu Gomes e Ricardo Silveira. As faixas, todas instrumentais, estarão disponíveis no Spotify; e os vídeos, no canal do artista no YouTube.

Minha proposta é preservar a memória da geração de músicos contemporâneos, esses nossos craques da guitarra que fizeram sucesso nos anos 1970 e 1980, trazendo os trabalhos deles para o público jovem. Essa geração tem de saber quem foram esses caras”, empolga-se Rizental.

No repertório do “Guitarras do Brasil – Ao vivo”, estão músicas compostas e/ou gravadas pelos três guitarristas citados. Reverenciando Toninho Horta, Fabio regravou “Idolatrada” e “Fé cega, faca amolada” que ele já havia registrado no CD “Noites de Minas”, um tributo a Milton Nascimento. As gravações originais dessas duas canções contam com a sofisticada guitarra de Horta.

Já Pepeu Gomes foi homenageado com “Malacaxeta”, que, claro, tem aquela temperadíssima pegada baiana. E das composições de Ricardo Silveira, Fabio pinçou “Bom de tocar”, um precioso standard de jazz fusion.

Apesar dessas músicas não serem minhas, imprimi minha marca. Estão com a minha pegada de tocar a guitarra, minha forma de tocar, minha identidade, minha personalidade”, destaca Rizental. “Mesmo quando não mexo no arranjo, caso de ‘Malacaxeta’, eu faço um improviso”, acrescenta.

Além dessas canções, Fabio Rizental escolheu também obras próprias, de CDs anteriores, como “Boninha”, “Metal cigano” e o single “Pássaro dourado”, que ele lançou ano passado com produção de Kassim, mas estará em seu próximo CD autoral.

Ouça “Guitarras do Brasil – Ao vivo 

Fábio Rizental

Nascido no Rio de Janeiro, berço do samba e da bossa nova, Fabio Rizental transpira na guitarra as inspirações motivadas pelas obras de Tom Jobim, Milton Nascimento, Chico Buarque e de nomes do jazz, como Thelonious Monk, Duke Ellington e Chick Corea, acrescentando, de forma original, pitadas do rock de feras como Jeff Beck e Eric Clapton.

Formado em harmonia funcional pela Musiarte, no Rio de Janeiro, e em improvisação pela Berklee College of Music, em Boston (EUA) – maior faculdade independente de música do mundo –, Fabio Rizental iniciou sua carreira na década de 1980. Participou das bandas Hangar 18 e Malabaristas e se apresentou ao lado de grandes artistas, como Wagner Tiso, Jane Duboc, Cris Delanno, Alma Thomas, Rosana, Rosemary e Nico Rezende.

Em 2013, Rizental lançou o primeiro trabalho da sua carreira solo, e tocou no Rock in Rio; repetindo a dose na edição do festival em Lisboa, no ano seguinte. Foi, aliás, o único guitarrista a se apresentar solo nessas edições dos dois festivais. Ainda em 2013, foi entrevistado pela revista Guitar Player Brasil.

O guitarrista lançou, em 2017, seu segundo álbum: “Noites de Minas”, em que emprestou sua técnica e seus toques da melhor fusion latina para o cancioneiro de Milton Nascimento e da turma do Clube da Esquina.

Ficha técnica “Guitarras do Brasil – Ao vivo

Fabio Rizental – guitarra

Alexandre Berreldi – baixo

Renan Francione – teclado

Léo Bandeira – bateria

Anneke van Giersbergen lança clipe de "I Saw A Car", canção de seu novo álbum; assista

"I Saw A Car" integra "The Darkest Skies Are The Brightest", novo álbum solo da cantora neerlandesa Anneke van Giersbergen (The Gathering, Gentle Storm, VUUR e Ayreon), que chegara no dia 26 de fevereiro último, via InsideOut Music.

Anneke van Giersbergen libera lyric video de "Agape", canção de seu novo álbum solo; assista.

O trabalho, traz uma atmosfera acústica e tematizado pelas experiências pessoais vividas ultimamente pela musicista.

Anneke van Giersbergen libera clipe de "Hurricane", canção de seu novo álbum solo; assista.

Além disso, 'The Darkest Skies Are The Brightest' está disponível para encomenda a partir de hoje. O álbum estará disponível em CD Digipak ecológico (sem plástico), em LP 180g Gatefold (incluindo o álbum em CD) e digital. O vinil verde petróleo transparente limitado está disponível exclusivamente na loja online da artista e todos os itens serão assinados pra você.

Anneke van Giersbergen libera clipe de "My Promise", canção de seu novo álbum solo; assista.

https://anneke.merchstore.nl ."

Sobre o lançamento do álbum, ela dissera previamente:

"O título refere-se à ideia de que, diante dos desafios pessoais, somos obrigados a encontrar respostas para as maiores dúvidas da vida.

Um tempo atrás, minha crença no VUUR me fez gastar todas as minhas economias gravando nosso álbum de estréia e levando a banda para a estrada. Depois de completar nosso primeiro ciclo de turnê, percebi que mais VUUR significaria ainda mais, enormes riscos financeiros. Para piorar as coisas, meu casamento duradouro viu inesperadamente uma tempestade se aproximando. Eu soube imediatamente que precisava escrever músicas sobre como consertar minha vida.

Com apenas meu violão e equipamento básico de gravação, eu regularmente me retirava para uma pequena casa perto da floresta, nos arredores de minha cidade natal, Eindhoven. Eu deixei de lado as pressões de como seria o futuro de VUUR, e também dediquei um tempo para tentar salvar meu casamento.

Naquela pequena cabana, entrei no processo meditativo de escrever um álbum solo. Depois de escrever músicas suficientes, pedi ao meu amigo e produtor, Gijs Coolen, para me ajudar a terminar o álbum.

Ao longo da finalização do álbum, minhas histórias de canções acústicas foram fundidas com uma alquimia de cordas panorâmicas, trompas e percussão.

A primeira música vai estrear muito em breve. E eu não posso esperar para compartilhar com todos vocês!

Ame,"

Assista ao clipe de "I Saw A Car" no player abaixo:

Letra:

"I saw a car a really nice car

and I knew this car was gonna get me far

flaming red runs like a jet

and I don’t get why it isn’t mine yet

oh this car is gonna bring me home


I rely on my fear alone

get by on my pain

I deny that I’m to blame

for you to be down so low


I saw a man a really nice man

and to reel him in I do whatever I can

a smile so bold not exactly old

and I don’t really get why he isn’t mine yet


oh this man is gonna take me home  


he’s gonna  save me 


I saw a bird a beautiful bird

if I could steal its wings I would get what I deserve

I’ll stand my ground high up in the clouds 

and escape my responsibilities 


I am 100% imperfect

I am 100% alone"

Ouça o álbum na íntegra:

Tracklist:

01. Agape

02. Hurricane

03. My Promise

04. I Saw A Car

05. The Soul Knows

06. The End

07. Keep It Simple

08. Lo And Behold

09. Losing You

10. Survive

11. Love You Like I Love You

sábado, 27 de fevereiro de 2021

Blackmore's Night libera clipe de "Nature's Light"; faixa-título de seu novo álbum; assista

"Nature's Light" nomeia o novo álbum do Blackmore's Night, que chegará no dia 12 de março próximo, em diversos formatos.

Blackmore's Night libera "Four Winds"; canção de seu novo álbum; ouça.

Blackmore's Night anuncia novo álbum e libera lyric video da canção "Once Upon December"; assista.

Blackmore's Night lança EP natalino e libera lyric video da canção "O Little Town Of Bethlehem".

Assista ao clipe de  "Nature's Light" no player abaixo:


Tracklist:

01. ONCE UPON DECEMBER
02. FOUR WINDS
03. FEATHER IN THE WIND
04. DARKER SHADE OF BLACK (INSTRUMENTAL)
05. THE TWISTED OAK
06. NATURE’S LIGHT
07. DER LETZTE MUSKETIER (INSTRUMENTAL)
08. WISH YOU WERE HERE (2021)
09. GOING TO THE FAIRE
10. SECOND ELEMENT

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Chegou "Detroit Stories", novo álbum de Alice Cooper; ouça

 

"Detroit Stories", novo álbum de Alice Cooper, chegara hoje, via earMUSIC.

Alice Cooper libera lyric video de "Our Love Will Change The World", canção de seu novo álbum; assista.

O trabalho, produzido por Bob Ezrin, traz as participações especiais dos guitarristas Wayne Kramer (MC5), Mark Farner (Grand Funk Railroad), do baixista Paul Raldolph e do baterista Johnny “Bee” Badanjek (Mitch Ryder & The Detroit Wheels).

Ouça-o na íntegra:

Tracklist:

01. Rock ‘N’ Roll

02. Go Man Go (Album Version)

03. Our Love Will Change The World

04. Social Debris

05. $1000 High Heel Shoes

06. Hail Mary

07. Detroit City 2021 (Album Version)

08. Drunk And In Love

09. Independence Dave

10. I Hate You

11. Wonderful World

12. Sister Anne (Album Version)

13. Hanging On By A Thread (Don’t Give Up)

14. Shut Up And Rock

15. East Side Story (Album Version)

Assista ao clipe animado em 4K de “Empire of Sins”, faixa-título do novo álbum do Silent Winter

Empire of Sins” nomeia o 2º full-lenght da banda Silent Winter, que chegará no dia 26 de março próximo, via Pride and Joy Music.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

A canção ganhara um clipe animado em 4K, que você pode conferir no player abaixo:

The Baggios grava novo álbum

Quinto disco, ainda sem nome, é descrito pela banda como ‘solar’ e o desfecho da trilogia que começou com "Brutown" e "Vulcão"

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O power trio sergipano The Baggios inicia novo ciclo, período que inclusive vai encerrar um processo iniciado ainda em 2016, com o disco "Brutown", e que se estendeu ao sucessor, "Vulcão" (2018), ambos com indicações ao Grammy Latino. Júlio Andrade, Gabriel Perninha e Rafael Ramos estão em pleno processo de gravação do quinto álbum, ainda sem nome, mas que segundo a banda, será um disco ‘solar’.

A produção deve terminar em abril (mês de lançamento do primeiro single) e o lançamento está previsto para o segundo semestre de 2021. Funcionará como desfecho de uma trilogia de discos.

Diferente dos anteriores, gravados no Rio de Janeiro, no Toca do Bandido, o próximo fonograma é registrado em Aracaju, no Peixú Estúdio. O engenheiro de som é Fabrício Rossini e a produção é do próprio Júlio. O segundo álbum, Sina (2013), também foi gravado na capital de Sergipe.

Como destaca Júlio, gravar ‘em casa’ traz outro ritmo. No Toca junto ao produtor Felipe Rodarte, ele conta, a banda ficava mais tempo confinada no estúdio, focada naquele universo, enquanto o processo em Aracaju permite que os músicos encaixem outras dinâmicas do cotidiano, em paralelo às horas de gravação.

O álbum tem uma pegada mais solar, pra frente, ainda que tenha alguns temas sócio-políticos, que é uma identidade do Baggios. Brutown externa o ‘lado negro da força’, expondo medos e obscuridades do mundo. Vulcão é um recolhimento, no sentido de trazer reflexões com si mesmo, entendendo que a cidade (Brutown) simboliza o mundo de hoje e o homem precisa respirar e pensar nos caminhos que escolhe viver”, aponta Julio.

Além disso, será o primeiro álbum que a banda compôs determinadas músicas à distância, no mesmo processo dos singles de 2020 ("Quareterna Serigy", "Hendrixiano" e "Mantrayam").

Fizemos experimentos com Peninha gravando um groove na bateria e, em cima disso, o Rafael fez algumas linhas e foi em cima destes arranjos que montei a canção”, explica o frontman.

AC/DC - Brian Johnson: "pensar que já temos 40 de "Back in Black" é assustador"

O vocalista do AC/DC, Brian Johnson, diz que ainda se impressiona com o fato de que já faz 40 anos desde que a banda gravou seu clássico álbum "Back In Black".

Em 25 de julho de 1980, o AC / DC lançou "Back In Black" nos Estados Unidos, seguido pelo lançamento do álbum no Reino Unido em 31 de julho. Foi o primeiro álbum da banda sem o vocalista Bon Scott, que havia morrido alguns meses antes após falecer para fora e sufocando com seu próprio vômito após uma longa noite de bebedeira.

O grupo rapidamente decidiu continuar e contratou Johnson da banda Geordie para assumir os vocais, e eles foram para as Bahamas por cerca de seis semanas para fazer o álbum. O AC/DC havia feito algum progresso relevante na América antes da morte de Scott, mas ninguém sabia como "Back In Black" seria recebido.

Questionado em uma nova entrevista a Pierre Robert da WMMR, sobre como ele reflete sobre o incrível sucesso de "Back In Black" - com o disco tendo sido certificado pela Recording Industry Association Of America para remessas de 25 milhões de cópias nos EUA - Johnson disse:

"É um pouco assustador. Eu era apenas um menino trabalhador. Quando cheguei às Bahamas, Malcolm e Angus (Young) vieram até mim e disseram: 'Ei, a propósito, você pode escrever a Letra da música?' E eu disse, 'Bem, vou tentar.' E na primeira noite, eles me trouxeram um bloco de notas - bloco de notas amarelo - e uma caneta, e um pequeno toca-fitas. E eles disseram, 'Bem, essa música, é uma faixa muito básica.' Era '[You] Shook Me All Night Long'. Eles me deram o título e disseram, 'Chama-se' Shook Me All Night Long '.' E eu disse: 'Droga, essa é longa.' E era apenas uma faixa básica dele. Mas até hoje, Angus argumenta que foi 'Back In Black' (que trabalhamos primeiro). (Risos) Mas eu me lembro de ser 'Shook Me All Night Long'. Eu não sei ... E lembro-me de ficar sentado ali e pensando: 'O que tenho a perder? Tenho uma semana de férias nas Bahamas, pelo menos.' Eu escrevi em cerca de 20 minutos - honestamente - e disse, 'É isso.' E eu levei para eles no dia seguinte, e eles disseram, 'Cante o que você escreveu.' E o que você ouve é basicamente o que eu cantei naquele primeiro dia. E assim que acabou, eu disse, 'Eu gosto disso. Essa é uma boa canção.' E então veio 'Back In Black', que foi fascinante, porque eu nunca soube que poderia sustentar notas como aquela. Foi Mutt Lange, o produtor, que disse: 'Cante mais alto. Eu ouvi você fazer isso.' E eu disse, 'Bem, vou tentar.' E foi como ser libertado de uma camisa de força - quando descobri que poderia fazer isso, pensei: 'Uau! Isso é simplesmente Incrível.' E eu só queria fazer isso o tempo todo. Mas ele tinha que continuar nos puxando para baixo. Mas foi uma coisa maravilhosa descobrir que você pode fazer, mesmo com 32 anos de idade. Para mim, eu estava muito além e achei que nunca conseguiria um emprego em uma banda de rock and roll aos 32 anos. Mas era idade de Bon quando ele morreu. E foi ficando melhor conforme as semanas passavam com essas novas músicas."

Johnson também se lembrou da primeira vez que ouviu o álbum "Back In Black" concluído, várias semanas depois de terminar suas faixas vocais.

"Estávamos com um orçamento muito apertado e tive que sair do estúdio nas Bahamas em cerca de seis semanas", disse ele. "Então, assim que você termina, eles o colocaram em um avião para economizar dinheiro com as instalações em que estávamos hospedados. E eu voltei para casa e pensei, 'Bem, acho que acabei de fazer um álbum. ' Porque ainda nem estava mixaado. E levei mais seis semanas a dois meses antes de eu realmente conseguir uma cópia que veio com o carteiro. E eu não tinha um toca-discos em casa. Eu o levei para de um amigo,o guitarrista de Geordie; ele tinha uma vitrola e colocamos 'Hells Bells', e acho que alguns compassos começaram, e ele disse: 'Não, isso nunca vai funcionar. Vamos, vamos tome uma cerveja. ' Ele disse: 'Você está cantando alto demais. Não é você'. (Risos) E eu estava com o coração partido. Eu apenas disse, 'Oh, Jesus.' Então fui ao pub e afoguei minhas mágoas, e ele disse: 'Deixa pra lá'. Mas tudo funcionou fantasticamente bem.

Ainda não consigo entender o fato de que já se passaram 40 anos desde que fizemos isso", acrescentou Brian. “E ainda podemos cantar aquelas canções no palco. Isso é maravilhoso”.

"Back in Black" foi platina pela primeira vez em outubro de 1980. A RIAA lista o trabalho como o quarto álbum mais vendido de todos os tempos.

O disco incluira os singles "You Shook Me All Night Long", que alcançou o número 35 na Billboard Hot 100, e "Back In Black", que atingiu o número 37.

Apesar de seu enorme sucesso, ele nunca alcançou a posição número 4 nas paradas de álbuns. O próximo álbum da banda, "For They About To Rock", alcançou o primeiro lugar.

Em 2012, "Back In Black" fora adicionado à lendária coleção Grammy Hall Of Fame da The Recording Academy.

No ano passado, o AC/DC lançara uma série de novos produtos para comemorar o 40º aniversário do álbum.

Via Blabbermouth.

Chegou The Darkest Skies Are The Brightest, novo álbum de Anneke van Giersbergen; ouça

"The Darkest Skies Are The Brightest", novo álbum solo da cantora neerlandesa Anneke van Giersbergen (The Gathering, Gentle Storm, VUUR e Ayreon), chegara hoje.

Anneke van Giersbergen libera lyric video de "Agape", canção de seu novo álbum solo; assista.

O trabalho, traz uma atmosfera acústica e tematizado pelas experiências pessoais vividas ultimamente pela musicista.

Anneke van Giersbergen libera clipe de "Hurricane", canção de seu novo álbum solo; assista.

Além disso, 'The Darkest Skies Are The Brightest' está disponível para encomenda a partir de hoje. O álbum estará disponível em CD Digipak ecológico (sem plástico), em LP 180g Gatefold (incluindo o álbum em CD) e digital. O vinil verde petróleo transparente limitado está disponível exclusivamente na loja online da artista e todos os itens serão assinados pra você.

Anneke van Giersbergen libera clipe de "My Promise", canção de seu novo álbum solo; assista.

https://anneke.merchstore.nl ."

Sobre o lançamento do álbum, ela dissera previamente:

"O título refere-se à ideia de que, diante dos desafios pessoais, somos obrigados a encontrar respostas para as maiores dúvidas da vida.

Um tempo atrás, minha crença no VUUR me fez gastar todas as minhas economias gravando nosso álbum de estréia e levando a banda para a estrada. Depois de completar nosso primeiro ciclo de turnê, percebi que mais VUUR significaria ainda mais, enormes riscos financeiros. Para piorar as coisas, meu casamento duradouro viu inesperadamente uma tempestade se aproximando. Eu soube imediatamente que precisava escrever músicas sobre como consertar minha vida.

Com apenas meu violão e equipamento básico de gravação, eu regularmente me retirava para uma pequena casa perto da floresta, nos arredores de minha cidade natal, Eindhoven. Eu deixei de lado as pressões de como seria o futuro de VUUR, e também dediquei um tempo para tentar salvar meu casamento.

Naquela pequena cabana, entrei no processo meditativo de escrever um álbum solo. Depois de escrever músicas suficientes, pedi ao meu amigo e produtor, Gijs Coolen, para me ajudar a terminar o álbum.

Ao longo da finalização do álbum, minhas histórias de canções acústicas foram fundidas com uma alquimia de cordas panorâmicas, trompas e percussão.

A primeira música vai estrear muito em breve. E eu não posso esperar para compartilhar com todos vocês!

Ame,"

Ouça o álbum na íntegra:

Tracklist:

01. Agape

02. Hurricane

03. My Promise

04. I Saw A Car

05. The Soul Knows

06. The End

07. Keep It Simple

08. Lo And Behold

09. Losing You

10. Survive

11. Love You Like I Love You

Epica lança clipe de "The Skeleton Key", simultaneamente ao lançamento de seu novo álbum; assista

"The Skeleton Key" integra "Ωmega",  8º álbum do Epica, que chegara hoje, em diversos formatos, via Nuclear Blast.

O sexteto neerlandês se isolara em um estúdio no meio de uma zona rural na Holanda, novamente com a produção do experiente produtor Joost van den Broek e contando com a Orquestra Filarmônica de Praga e um coro infantil. Por sorte, tudo isso foi conseguido pouco antes do fechamento devido à pandemia da COVID-19 (Coronavírus). 




Epica libera clipe da versão acústica de "Abyss O'Time"; assista.

Epica - Simone Simons: “Não importa o quão ruim a vida anda, a música vai te ajudar”.

Epica libera clipe de "Abyss of Time – Countdown to Singularity", 1º single de seu novo álbum. Assista.

Epica libera clipe de "Freedom – The Wolves Within", 2º single de seu novo álbum. Assista.

À VENDA AQUI.

Assista ao clipe de "The Skeleton Key" no player abaixo:


Ouça o álbum na íntegra, clicando na imagem abaixo.

Tracklist:

01. Alpha – Anteludium (1:38)
02. Abyss of Time – Countdown to Singularity (5:20)
03. The Skeleton Key (5:06)
04. Seal of Solomon (5:28)
05. Gaia (4:46)
06. Code of Life (5:58)
07. Freedom – The Wolves Within (5:37)
08. Kingdom of Heaven Pt. 3 – The Antediluvian Universe (13:24)
09. Rivers (4:48)
10. Synergize – Manic Manifest (6:36)
11. Twilight Reverie – The Hypnagogic State (4:29)
12. Omega – Sovereign of the Sun Spheres (7:06)

Chegou "Ωmega", o novo álbum do Epica; ouça

"Ωmega",  8º álbum do Epica, chegara hoje, em diversos formatos, via Nuclear Blast.

O sexteto neerlandês se isolara em um estúdio no meio de uma zona rural na Holanda, novamente com a produção do experiente produtor Joost van den Broek e contando com a Orquestra Filarmônica de Praga e um coro infantil. Por sorte, tudo isso foi conseguido pouco antes do fechamento devido à pandemia da COVID-19 (Coronavírus). 




Epica libera clipe da versão acústica de "Abyss O'Time"; assista.

Epica - Simone Simons: “Não importa o quão ruim a vida anda, a música vai te ajudar”.

Epica libera clipe de "Abyss of Time – Countdown to Singularity", 1º single de seu novo álbum. Assista.

Epica libera clipe de "Freedom – The Wolves Within", 2º single de seu novo álbum. Assista.

À VENDA AQUI..

Ouça na íntegra, clicando na imagem abaixo.

Tracklist:

01. Alpha – Anteludium (1:38)
02. Abyss of Time – Countdown to Singularity (5:20)
03. The Skeleton Key (5:06)
04. Seal of Solomon (5:28)
05. Gaia (4:46)
06. Code of Life (5:58)
07. Freedom – The Wolves Within (5:37)
08. Kingdom of Heaven Pt. 3 – The Antediluvian Universe (13:24)
09. Rivers (4:48)
10. Synergize – Manic Manifest (6:36)
11. Twilight Reverie – The Hypnagogic State (4:29)
12. Omega – Sovereign of the Sun Spheres (7:06)

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Mick Fleetwood se une a Steven Tyler (Aerosmith) e Billy Gibbons (ZZ Top) em “Rattlesnake Shake”

Faixa estará em disco tributo a Peter Green e primeiros anos do Fleetwood Mac

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Em fevereiro do ano passado, o lendário Mick Fleetwood reuniu um time de estrelas em Londres para homenagear a vida e a obra de Peter Green. O registro dessa noite, que ganhou um novo sentido com o falecimento de Peter. “Mick Fleetwood & Friends Celebrate The Music Of Peter Green and The Early Years Of Fleetwood Mac” será lançado em abril e é antecipado por “Rattlesnake Shake”, clássico do Fleetwood Mac de 1969, com participações especiais de Steven Tyler (Aerosmith) e  Billy Gibbons (ZZ Top) e  Kirk Hammett (Metallica). A faixa está disponível em todas as plataformas de streaming de música no aniversário da apresentação.

Destaque dos primeiros anos do Fleetwood Mac, “Rattlesnake Shake” também faz parte da história do Aerosmith, estando presente no setlist de shows do início dos anos 70.  “Steven e eu nos encontramos há alguns anos e ele me disse que se não tivesse ouvido ‘Rattlesnake Shake’ na garagem de Joe Perry, o Aerosmith não existiria. Ele e Joe tentaram fazer algo juntos, tiveram alguns tropeços e decidiram dar uma última chance à música antes de desistir. Naquele dia ele ouviu essa música e algo mudou. Na época, ele não tinha ideia de que era Fleetwood Mac. Ela se tornou-se uma música central para o Aerosmith, que a toca ao vivo há anos. Ter o Steven Tyler, que é facilmente um dos maiores cantores de rock de todos os tempos, nessa música foi especial.  Essa é inteiramente ligada a mim, escrita sobre mim por Peter quando eu era jovem, cheio de vigor, querendo fazer de tudo por uma garota... E fazendo o que um jovem deve fazer quando não pode tê-la. Nós nos divertimos muito com essa música, o que é totalmente apropriado”, conta Mick.

A noite e o álbum são uma celebração à obra de um artista que influenciou gerações junto de um resgate de uma fase do Fleetwood Mac que muitos não conhecem, focada no blues.

O show foi uma homenagem ao blues, onde todos nós começamos, e é importante reconhecer o profundo impacto que Peter e essa primeira fase do Fleetwood Mac tiveram no mundo da música. Ele foi meu maior mentor e foi uma alegria homenagear seu incrível talento. Tive a honra de compartilhar o palco com alguns dos muitos artistas que Peter inspirou durante os anos e que compartilham meu grande respeito por ele”, relembra Mick Fleetwood.

Confira o trailer do projeto:

Passaram pelo evento nomes que fazem parte da história do rock como Neil Finn (Fleetwood Mac), Noel Gallagher, David Gilmour, John Mayall, Christine McVie (Fleetwood Mac), Jeremy Spencer (Fleetwood Mac), Zak Starkey (The Who), Pete Townshend (The Who), Kirk Hammett (Metallica) e Bill Wyman (Rolling Stones). O produtor Glyn Johns (The Beatles, The Who, The Rolling Stones, Led Zeppelin e Eric Clapton) foi o responsável pela gravação. 

Mick Fleetwood & Friends Celebrate The Music Of Peter Green and The Early Years Of Fleetwood Mac” é um lançamento da BMG previsto para o dia 30 de abril de 2021. “Rattlesnake Shake” está disponível para streaming nas principais plataformas.

Ouça “Rattlesnake Shake”: https://mfaf.lnk.to/Rattlesnakeshake

Confira o vídeo:

Confira mais informações: www.mickfleetwoodandfriends.com

Renaissance anuncia box set ao vivo da turnê de 50º aniversário

"Ashes Are Burning - Uma Antologia - Live In Concert" chegará no dia 30 de abril próximo, via Esoteric Recordings.

O Material consiste em quatro discos ao vivo gravado na turnê americana do cinquentenário da banda: dois CDs, DVDs e Blu-ray. 

O trabalho apresenta um tracklist que inclui músicas que nunca haviam sido orquestradas ou tocadas com uma orquestra antes. O show mais memorável ocorreu no Keswick Theatre em Glenside, PA em 12 de outubro de 2019.

o show em questão trouxera o membro-fundador do Renaissance e ex-Yardbird Jim McCarty se apresentando com o grupo pela primeira vez em 50 anos.

Pré-venda.

Tracklist completo:

Disc One: CD

1. Carpet Of The Sun

2. Ocean Gypsy

3. Running Hard

4. Modas Man

5. Symphony Of Light

6. Island – with Jim McCarty

Disc Two: CD

1. Opening Out

2. Day Of The Dreamer

3. Mystic And The Muse

4. A Song For All Seasons

5. Ashes Are Birning – with Jim McCarty

Disc Three: DVD

1. Carpet Of The Sun

2. Ocean Gypsy

3. Running Hard

4. Modas Man

5. Symphony Of Light

6. Island – with Jim McCarty

7. Opening Out

8. Day Of The Dreamer

9. Mystic And The Muse

10. A Song For All Seasons

11. Ashes Are Birning – with Jim McCarty


Disc Four: BLU RAY

1. Carpet Of The Sun

2. Ocean Gypsy

3. Running Hard

4. Modas Man

5. Symphony Of Light

6. Island – with Jim McCarty

7. Opening Out

8. Day Of The Dreamer

9. Mystic And The Muse

10. A Song For All Seasons

11. Ashes Are Birning – with Jim McCarty

Luma Schiavon vai da música brasileira ao rock em EP de estreia, “Minha Lucidez É Minha Ruína”

Artista mineira lança primeiro trabalho autoral

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Do folk ao blues, da música brasileira ao rock, passando pelo indie e o experimentalismo, ao legado d’O Clube da Esquina, a cantora e compositora Luma Schiavon faz sua estreia com o EP “Minha Lucidez É Minha Ruína”, primeiro trabalho de estúdio da artista mineira. O álbum vem para consolidar uma trajetória iniciada há quase uma década. Se antes Luma se dedicava a interpretar canções de outros compositores e a acompanhar outros artistas no palco, agora ela assume protagonismo do próprio trabalho com um EP plural e confessional, já disponível para streaming.

Luma Schiavon começou cedo na música. Natural de Rodeiro e residente em Ubá, ambas na Zona da Mata mineira, aos 16 anos já se apresentava em eventos e bares, integrando bandas e acompanhando outros artistas no palcos, além de seu próprio trabalho solo. Como cantora, abriu shows de Phill Veras e Castello Branco e desenvolveu o show Luma Canta Divas, com repertório focado em grandes cantoras da música brasileira. Ela é acompanhada nos palcos por Giovane Schiavon (contrabaixo) e Daniel Peixoto (bateria). Luma ainda ocupa os microfones no papel de entrevistadora com o podcast Rádio Diva, pioneiro na região,  dedicado a entrevistar artistas locais.

Tudo isso culminou na gravação de seu primeiro EP autoral, realizado no estúdio Na Trilha com produção de Celso Moreira. O primeiro single foi “Janeiro (Headband)”, cujo lançamento gerou o convite para uma participação especial na live #ArteSalva, transmitida pela Rede Minas. Foi a estreia da música na TV, tendo na ocasião ao seu lado o ilustre Zé Geraldo. 2020 trouxe ainda o segundo single, “Valsa do Adeus”, que recebeu um videoclipe com roteiro, direção e edição assinados pela própria Luma.

Assista ao clipe “Valsa do Adeus”:

Esse EP é um marco entre o que eu fui nesses nove anos de carreira, construindo meu eu artista, e o que serei daqui pra frente nesse caminho que escolhi. Nesse apanhado de composições feitas desde os meus 14 anos, cada uma foi concebida em diferentes momentos da minha vida, e juntas formam um pequeno álbum sonoro de lembranças familiares, de adolescência, jovialidade e todas as emoções envolvidas em mudanças de fases da vida”, resume.

O tom pessoalista do trabalho transborda para sua apresentação visual: as artes de capa dos singles e do EP são assinadas pela própria artista. Tanto o álbum quanto “Valsa do Adeus” são estampados por imagens do sítio onde residem seus avós maternos e onde o clipe foi gravado. Na capa do single aparecem suas tias e avó, e na arte do EP, sua mãe, todas de aparência física muito similar. De forma não intencional, as fotos criam um paradoxo: seriam gerações passadas ou o futuro da própria artista?

Em “Minha Lucidez É Minha Ruína”, Luma Schiavon celebra sua trajetória até aqui, mas sem perder de foco os capítulos que virão a seguir. O álbum já está disponível nas principais plataformas de streaming de música.

Ouça “Minha Lucidez É Minha Ruína”: https://tratore.ffm.to/minhalucidez

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

Six Degrees lança clipe de "The Power of Love" (Back To The Future Theme Song); assista

A banda italiana de groove metal Six Degrees lançou seu álbum de estreia "No One Is Innocent" em novembro passado pela Rockshots Records. A faixa de encerramento do álbum é uma versão cover de uma das canções de filme favoritas da banda, "The Power of Love", que ficou famosa por Huey Lewis e The News.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria?Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Hoje, a banda está compartilhando um vídeo cover feito para a faixa, que pode ser visto logo abaixo:

Luca Correnti (guitarra e voz) adiciona:

"O que mais podemos dizer sobre essa música? Todo mundo sabe disso! Não há pessoa no mundo que não tenha visto" De Volta para o Futuro"! Sempre foi um dos meus filmes de aventura favoritos. Quando Marty sobe no palco para a audição com sua banda (Pinheads) e o caçador de talentos diz "Receio que você seja barulhento demais ... próximo, por favor!", eu sempre fico com raiva! Queria estar lá para quebrar a guitarra na cabeça dele! Ahahahahaha. Bem, esta é a nossa versão de metal. Apenas divirta-se! É uma ótima música! Ela realmente te anima!"

Six Degrees foi criado por Luca Correnti (guitarra e voz) e a cantora Valentina Aleo. O nome da banda é claramente inspirado na teoria sociológica (desenvolvida pela primeira vez em 1929 pelo escritor húngaro Karinthy) sobre os chamados “seis graus de separação”.

Seu álbum de estreia "No One Is Innocent" é um disco que reúne todos os aspectos criativos da banda. É um metal groove-death agressivo, simples e direto, mas cheio de melodia. Tudo isso dá às composições um apelo de duplo propósito, com uma mistura de violência e impacto, mas também melodias cativantes, graças aos rosnados ásperos de Luca e aos vocais doces e eficazes de Valentina.

"No One Is Innocent" agora está disponível em Digipak CD, download digital e streaming.

Digital: https://smarturl.it/NoOneIsInnocent

CD Digipak: http://bit.ly/sixdegrees_CD

Tracklist:

1. Restart/Erase

2. Malaka’s Multiple Choice Answer

3. Imperfect

4. May, 10

5. The Unexpectable

6. Stuck In The Middle

7. Night Is Over

7. Silent Glance

8. Stillness

9. None Of Us

10. The Power Of Love (Konka Version)

Adrian Smith e Richie Kotzen divulgam clipe de "Scars", 2º single do novo projeto da dupla; assista

"Scars", 2º single do Smith/Kotzen, novo projeto musical dos guitarristas renomados Adrian Smith (Iron Maiden) e Richie Kotzen (The Winery Dogs, ex-Poison, ex-Mr. Big) integra o álbum que chegará no dia 26 de março próximo.

Adrian Smith e Richie Kotzen divulgam clipe de "Taking My Chances", 1º single do novo projeto da dupla; assista.

Eu lembro que ‘Scars’ foi uma das músicas que escrevemos logo no começo do nosso processo. Há algo melancólico e misterioso acontecendo nessa faixa que eu acho bastante envolvente. Essa seria uma música ótima para alongarmos em uma apresentação ao vivo e incrementar com improvisações de guitarra entre nós dois.” - Richie Kotzen explicara em nota a canção.  

Assista o clipe de "Scars" no player abaixo:


Tracklist:

01. Taking My Chances
02. Running
03. Scars
04. Some People
05. Glory Road
06. Solar Fire
07. You Don't Know Me
08. I Wanna Stay
09. 'Til Tomorrow

Iggy Pop lança clipe de "Do Not Go Gentle Into That Good Night"; assista

"Do Not Go Gentle Into That Good Night" integra "Free", novo álbum de Iggy Pop, que chegara em 6 de setembro último, via Loma Vista.

Assista ao clipe de "Loves Missing", canção do novo álbum de Yggy Pop.
Iggy Pop: "quero irritar aqueles que não gostam de mim, eu quero chegar até os 80"
Assista ao clipe de “James Bond”, canção do novo álbum de Iggy Pop

Assista no player abaixo:

Tracklist:


01. Free 
02. Loves Missing 
03. Sonali 
04. James Bond 
05. Dirty Sanchez 
06. Glow In The Dark 
07. Page 
08. We Are The People 
09. Do Not Go Gentle Into That Good Night 
10. The Dawn