Confraria Floydstock: álbuns
Mostrando postagens com marcador álbuns. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador álbuns. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 28 de setembro de 2022

Black Sabbath: "Neve Say Die!" - o derradeiro álbum da formação original

Se alguma vez um título de álbum foi provado falso, foi este. Após a demissão de Ozzy Osbourne em 1979, "Never Say Die!" acabou sendo o último álbum de estúdio feito pelo Black Sabbath original. E assim permanece, dada a ausência de Bill Ward no álbum de retorno da banda, "13".

Tendo saído brevemente do Sabbath em 1977, Ozzy admitiu que estava bastante desgastado durante a gravação de "Never Say Die!". "Todo mundo estava fodido", disse ele. "Mas não importa o quão fodido eu estivesse, eu ainda acordava cedo de manhã porque sempre tive esse distúrbio do sono, sempre me fodendo.

O resto do Sabbath acordava tarde porque eles estavam usando suas drogas, ou o que quer que fosse, a noite toda. Eles apareciam e tocavam, mas naquela época eu perdi a faísca, você sabe ? Até hoje não sei os detalhes, mas presumo e provavelmente estou errado, que Tony me queria fora da banda."

Mas mesmo carregando seu cantor, o Sabbath ainda produziu flashes de brilho na explosiva faixa-título do álbum, o boogie "A Hard Road", e a bela e influenciada pelo jazz "Air Dance", com Don Airey (Rainbow/Deep Purple) no piano. E em meio a todo o trauma, "Never Say Die!" pode ser um dos álbuns mais subestimados do Sabbath.

Via LOUDERSOUND.

terça-feira, 27 de setembro de 2022

Whyzdom lança clipe de "Wanderers and Dreamers", canção de seu álbum mais recente; assista

"Wanderers and Dreamers" integra "Of Wonders And Wars", 5º full lenght da banda francesa de symphonic metal Whyzdom, que chegou no dia 17 de setembro de 2021, via Scarlet Records.

Em nota, a banda discorreu sobre o clipe:

"'Wanderers and Dreamers' é a música de abertura do quinto álbum do Whyzdom 'Of Wonders and Wars'. Ela retrata um mundo desértico pós-apocalíptico com restos de uma civilização antiga: a nossa... que tentou escapar das mãos dos deuses, mas nos levou à guerra e à destruição.

É uma introdução perfeita à música do Whyzdom: poderosa, lírica e progressiva, com partes sinfônicas e corais intensos e a bela voz de Marie Mac Leod."

Whyzdom lança clipe de "Child of Damnation", canção de seu álbum mais recente; assista.

Whyzdom lança clipe de "Pyramids", canção de seu novo álbum; assista.

Whyzdom lança clipe de "Notre Dame", canção de seu novo álbum; assista.

Assista ao clipe no player abaixo:

Ouça o álbum na íntegra, clicando no player da capa abaixo:

Tracklist:

WANDERERS AND DREAMERS

CHILD OF DAMNATION

STONEHENGE

ARIADNE

TOUCH THE SKY

WAR

METROPOLIS LIGHTS

PYRAMIDS

THE FINAL COLLAPSE

NOTRE DAME

A Banda:

Marie Mac Leod – Vocals

Régis Morin – Guitar

Vynce Leff – Bass, Orchestration

Nicolas Chaumeaux – Drums

Devin Townsend lança clipe do novo single "Call Of The Void"; assista

"Call Of The Void" integra "Lightwork", novo álbum do músico, que chegará em 28 de outubro próximo, via InsideOut Music.

Devin Townsend lançou um vídeo para seu novo single, "Call Of The Void", que você pode assistir abaixo. O vídeo continua a história que começou no clipe de "Moonpeople", qe chegou mês passado.

"Call Of The Void" é a primeira música nova do tão esperado álbum Lightwork de Townsend, que será lançado pela InsideOut Music em 28 de outubro.

"O conceito da música é baseado no 'chamado do vazio' como uma analogia para pensamentos intrusivos", explica Townsend. "Ouvi pela primeira vez o termo que descreve 'a tentação de se jogar do penhasco ao dirigir um carro'... ou 'colocar a mão no fogo quando você sabe que vai se queimar' etc... pensamentos que você sabe que estão errados, mas você teme não ser capaz de controlar os impulsos de negá-los. A questão é: muitas vezes sinto que temos uma escolha, e tentar não perder de vista isso foi muito importante para mim durante os últimos tempos difíceis.

Em termos visuais: durante todo o confinamento, eu realmente me apaixonei pelas 'viagens de trem com vista de táxi' que a Railway Cowgirl e outros estavam postando no YouTube. o caos do mundo, com uma sensação de impulso constante, realmente me acalmou. Talvez estar em turnê por tantos anos seja o que tornou confortável assistir durante o bloqueio, mas de qualquer forma, comecei a escrever com os vídeos tocando em segundo plano no estúdio e por isso achei que seria apropriado para este vídeo.

Em relação à 'história' desses três vídeos, o personagem está agora no trem indo para onde está localizado o Farol. Então lá vai... música dois. É sobre não deixar o caos do mundo te abalar. Tentando fique calmo em nosso centro para tentar passar por tudo isso."

"Lightwork" estará disponível em várias edições, incluindo um box-set laranja deluxe limitado 3LP + 2CD + Blu-ray que inclui Lightwork e seu álbum complementar "Nightwork", em CD e vinil, bem como um Blu-ray incluindo som surround 5.1, álbum comentários e imagens, cartões de arte e um extenso livreto de encadernação perfeita, todos contidos em uma caixa com tampa removível. Haverá também um artbook limitado de 2 CDs + Blu-ray, digipak limitado de 2 CDs, gatefold 180g 2LP + CD, CD Jewelcase padrão e álbum digital.

Pré-venda.

Via PROG.

sexta-feira, 23 de setembro de 2022

April Art lança clipe do novo single "Try"; assista

Edição Deluxe do álbum, "Pokerface", será lançada em 30 de setembro.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Uma coisa é certa: o mundo está pronto e exige novos heróis do rock e do metal! Que a April Art vem subindo a escada do sucesso de forma constante ao longo dos últimos dois meses não é mais um segredo. Com uma força irrepreensível, a formação em ascensão tem andado aos saltos no verão europeu de festivais, conquistando novos fãs depois de atuações internacionais com Dark Tranquility e Ensiferum, bem como passagens em festivais de renome como Rock Harz (Alemanha) ou Alcatraz ( Bélgica) – embalado com o melhor álbum do mundo.

April Art apresenta seu álbum "Pokerface" depois de uma grande turnê europeia.

Isso é exatamente o que eles aspiravam criar com seu segundo disco "Pokerface"; dos quais uma versão Deluxe estará disponível em 30 de setembro e o último single "Try" é uma sintonia perfeita: “Try é basicamente a essência de todo o álbum”, diz o grupo. Com riffs de metal pesados, um gancho cativante e vocais roucos em flertar com elementos de rap, April Art consegue unificar influências de Halestorm até Rage Against The Machine para criar o que eles podem fazer de melhor: sua própria maldita coisa! Isso, claro, também conta para o álbum:

A April Art gerenciou tanto a composição quanto a produção de "Pokerface" por conta própria e assim deu testemunho do maior poder da banda: sua independência, um sinal para as inúmeras gravadoras que estavam tentando com eles após seus sucessos iniciais.

Como outro destaque, April Art fará sua própria turnê na Alemanha no outono. “Estamos muito agradecidos a todos que já compraram ingressos ou vão comprar na pré-venda, isso significa o mundo para nós e para os clubes, porque esse apoio garante nossa capacidade de planejar com antecedência. Mal podemos esperar para tocar na frente de tantas pessoas, nos divertir e festejar. Estamos super animados e ansiosos para ver o que todos vão achar da nossa nova música e dos shows, ansiosos para ver vocês ao vivo tão cedo

Todos que conhecem e viram os vídeos recentes da banda com certeza estarão cientes da pura loucura que eles desencadeiam no palco. Fique de olho em www.aprilart.de para mais datas em toda a Europa.

Obtenha a versão Deluxe de "Pokerface" aqui: https://www.aprilart.de/shop

A edição deluxe será lançada em 30 de setembro em vinil e CD.

Tracklist:

1. POKERFACE

2. Change

3. Interlude: Manifest

4. Rising High

5. Sky Is The Limit

6. Warrior

7. My Way

8. Interlude: Leave It Behind

9. See The Light

10. Start Over

11. Interlude: Letters

12. Superhero

13. Try

14. Leave It Behind

15. Headline.

A Banda:

Lisa-Marie Watz – Vocals 
Chris Bunnell - Guitar 
Julian Schuetze – Bass 
Ben Juelg – Drums

Venom Inc lança o novo álbum “There’s Only Black”; ouça e assista ao clipe da faixa-título

Os pioneiros do metal extremo lançam hoje novo álbum "There's Only Black" e aproveitam para lançar videoclipe para a faixa-título.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

O dia chegou para os pioneiros do metal extremo VENOM INC. lançarem seu novo álbum “There’s Only Black”. Este novo lançamento representa um forte ataque á hipocrisia e ao conformismo da sociedade atual e uma demonstração de superioridade musical de uma banda responsável por criar um gênero musical.

Para celebrar este grande momento a banda aproveitou para lançar um videoclipe para a faixa-título 'There's Only Black'.

Com 40 anos de formação e revitalizados entre os anos 1989 – 1992, o guitarrista Jeff “Mantas” Dunn, o vocalista/baixista Tony “Demolition Man” Dolan e o baterista Jeramie “Warmachine” Kling retornam com um álbum matador que precede o álbum de estreia “Avé” sem mostrar nenhum tipo de sinal de desaceleração.

O álbum será lançado no Brasil pela parceria Shinigami Records/Nuclear Blast Records.

Assista ao clipe de “There’s Only Black”:


Ouça o álbum na íntegra: https://reverberamusicmedia.us4.list-manage.com/track/click?u=6af45f8036034146911da9a53&id=2036bc363c&e=68c21a31ef

Tracklist:

01    How Many Can Die    (03:21)
02    Infinitum    (03:47)
03    Come To Me    (03:46)
04    There's Only Black    (04:49)
05    Tyrant    (05:25)
06    Don't Feed Me Your Lies    (05:51)
07    Man As God    (03:23)
08    Burn Liar Burn    (05:32)
09    Nine    (03:34)
10    Rampant    (04:06)
11    The Dance (04:54)
12    Inferno    (05:19).

Red Hot Chili Peppers lança novo single "Eddie", em homenagem a Eddie Van Halen; ouça

Faixa integra “Return of the Dream Canteen”, 2º álbum de estúdio do Red Hot Chili Peppers que chegará em 2022, sendo lançado no dia 14 de outubro próximo.

Red Hot Chili Peppers lança seu novo álbum “Unlimited Love”; ouça.

A banda Red Hot Chili Peppers lançou hoje o segundo single de seu vindouro álbum “Return of the Dream Canteen”, intitulado "Eddie", uma homenagem direta ao saudoso guitarrista do Van Halen.

A letra de "Eddie", entoada por Anthony Kiedis, fala sobre elementos neerlandeses, origem do icônico músico que nos deixou em 2020.

No instrumental, o guitarrista John Frusciante mostrou habilidades inspiradas que nos remetem à sonoridade do homenageado.

Ouça "Eddie" no player abaixo:

Tracklist:

Tippa My Tongue

Peace and Love

Reach Out

Eddie

Fake as Fu@k

Bella

Roulette

My Cigarette

Afterlife

Shoot Me a Smile

Handful

The Drummer

Bag of Grins

La La La La La La La La

Copperbelly

Carry Me Home

In the Snow.

quinta-feira, 22 de setembro de 2022

Smashing Pumpkins lançará "Atum", ópera-rock em 3 atos; ouça o single “Beguiled”

Composto por 33 faixas, novo álbum fecha a trilogia iniciada por “Mellon Collie and the Infinite Sadness” (1995) e “Machina / The Machine Of God” (2000).

A banda Smashing Pumpkins anunciou o álbum sucessor de “Cyr” (2020). Trata-se de "Atum" (com pronúncia “Autumn”), uma ópera-rock dividida em três atos, sendo eles:

Ato 1, chegando em 15 de novembro próximo ;

Ato 2, chegando em 31 de janeiro próximo;

Ato 3, chegando em 21 de abril de 2023 (trazendo um um box com as três partes e mais 10 músicas extras).

A obra será o epílogo da trilogia iniciada pelo álbum “Mellon Collie and the Infinite Sadness” (1995) e sequenciada por “Machina / The Machine of God” (2000).

O frontman Billy Corgan explicou o lançamento em entrevista à revista Kerrang:

Nossa esperança é conseguir em algum ponto fazer esse álbum de 33 músicas como um musical, onde teremos convidados diferentes cantando partes diferentes. A ideia seria ir até um show, e são 2 horas e 20 minutos de música quebradas em três atos. E haveria pessoas diferentes interpretando personagens diferentes. Elas cantariam músicas diferentes e eu cantaria certas músicas, mas não todas.

Ouça "Beguiled", o 1º single divulgado do trabalho:

quarta-feira, 21 de setembro de 2022

Saxon libera clipe de “Black Is The Night”, canção de seu álbum mais recente ; assista

Black Is The Night” integra “Carpe Diem”, 23º álbum de estúdio da banda Saxon, que chegou no dia 4 de fevereiro, via Silver Lining Music.

O trabalho sucedeu o ótimo “Thunderbolt” (2018) e o álbum de covers “Inspiration”(2020).

Assista ao clipe de “Black Is The Night” no player abaixo:

Ouça o álbum na íntegra:

Tracklist:

Carpe Diem (Seize The Day)
Age Of Steam
The Pilgrimage
Dambusters
Remember The Fallen
Super Nova
Lady In Gray
All For One
Black Is The Night
Living On The Limit

Silent Knight lança clipe de "Dark & ​​Mysterious Times", canção de seu novo álbum; assista

Álbum "Full Force", 3º da banda, será lançado em 23 de setembro.

O grupo australiano de Power Metal, Sensations Silent Knight acaba de lançar seu novo e esmagador single "Dark & ​​Mysterious Times". Esta nova oferta quente é a melhor exibição de power metal de alto calibre, apresentando um alcance vocal impressionante, riffs momentosos e um senso de ritmo de alto risco para levar o ouvinte ao passeio até o final angustiante.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Tematicamente, a faixa explora temas poderosos de feitiçaria e sacrifício, completos com visuais apresentando uma feiticeira que encontra seu fim fatal e retorna como prisioneira. Fiel ao estilo de assinatura da Silent Knight, "Dark & ​​Mysterious Times" é um ataque de riffs de power metal combinados com precisão de thrash metal e o resultado é uma parede estrondosa de melodicismo melífluo que reforça o som.

O vocalista Dan Brittain mostra seu alcance com cinturões de soprano de fogo entregando melodias contagiantes sobre a instrumentação pesada. "Dark & ​​Mysterious Times" é a última oferta do Silent Knight antes do lançamento de seu terceiro álbum "Full Force", na sexta-feira, 23 de setembro. A música para esta faixa foi escrita pelo guitarrista Stuart McGill em colaboração com Dan Brittain para seu álbum solo antes dele se juntar ao Silent Knight. A banda então decidiu ressuscitar e adaptá-la um pouco mais às suas tendências de power metal ao escrever para o álbum.

Brittain sobre o novo lançamento: “A história de fundo com as letras é uma reminiscência de um tema antigo de ficção científica. Ele gira em torno de algum tipo de feiticeira diabólica praticando sacrifício humano para descobrir as chaves para qualquer resultado insano que ela esteja procurando. No entanto, ela retorna de sua morte como escrava.

Após uma sucessão de lançamentos altamente aclamados, Silent Knight excursionou nacional e internacionalmente com pesos pesados ​​como Dragonforce, Korpiklaani, Turilli Lione Rhapsody, Helloween, David Ellefson, Black Label Society de Zakk Wylde, Ross The Boss (Manowar) e garantiu vagas em festivais no Hammersonic Festival , Indonésia, November Rain Festival, Indonésia e Headbangers Open Air Festival, Alemanha. Com o lançamento de "Full Force" no horizonte, Silent Knight está preparado para assumir o reino da música pesada na Austrália e ir além.


Sobre a Silent Knight:

"Depois do que parece uma eternidade, aqui estamos com o álbum número 3, "Full Force"! O guitarrista Stu McGill explica:

"Este álbum é tudo o que nos propusemos a fazer quando começamos Silent Knight, é a mistura perfeita de melodia e agressão e tivemos a certeza de incluir todas as suas coisas favoritas, como grandes refrões cativantes, rasgando solos de guitarra e velocidade vertiginosa desde a primeira nota. até o fim. Ah, sim, e também temos um novo vocalista chamado Dan, que tem um falsete poderoso direto do inferno! Obrigado por sua paciência, sabemos que você concordará que valeu a pena esperar. Se você gostou de algum de nossos trabalho, sabemos que você vai adorar "Full Force"!"


Tracklist:

1. Blood In The Water 

2. Full Force
 
3. The Last Candle Burns

4. Dark & Mysterious Times

5. Screaming Eagle

6. Into Oblivion

7. Awakening

8. Create A New World.

terça-feira, 20 de setembro de 2022

Even Flow lança "Revelation Day", canção de seu novo EP

Da ilha italiana da Sardenha, os proggers da Even Flow estão lançando seu próximo single “Revelation Day” com um novo lyric video. A faixa faz parte do próximo EP "Mediterraneo", que será lançado em 3 de outubro de 2022. A faixa tem inspiração católica e é uma música a ser descoberta musicalmente em sua totalidade. Ouça como as partes melódicas estão entrelaçadas com suas composições mais progressivas.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Ouça "Revelation Day":​

A nova gravação do grupo, "Mediterraneo", segue seus três EPs "Dream Weaver" (2008), "Mother" (2019) e "Flower Paths" (2013), e dois álbuns "Life Has Just Begun" (2017) e "Ancient Memories" (2011).

"Mediterreano" vê a banda aproximar-se do disco com o metal progressivo no ritmo com linhas vocais orientadas para o power metal com influências AOR dos anos oitenta. Liricamente, o EP fala de amor, esperança, tristeza e alegria para o futuro. O guitarrista Pietro Paolo Lunesu explica o disco com mais detalhes:

"As cinco músicas que compõem o Mediterraneo são hinos gloriosamente edificantes que o tiram de seu mundo de preocupações e preocupações para um reino musical emocionante de sonhos. As músicas são concisas e finamente afiadas, mas parecem conter um universo em constante expansão para explorar dentro Por exemplo, a faixa-título, 'Mediterraneo', é talvez o EP coroando a glória, construindo através de múltiplas camadas, cada uma mais cativante que a anterior, mas na verdade cada nota dos primeiros acordes bombásticos que inauguram a abertura 'Ocean Lies ' para o solo de guitarra espiral final de 'Mediterraneo' é pura perfeição melódica e metal progressivo."

Even Flow lança "Ray of Light", canção de seu novo EP.

O EP foi imaculadamente mixado e masterizado por Michele Guaitoli (Visions Of Atlantis, Temperance) com arte espetacular de Mickael Briot do Mythrid Art (Nightmare).

"Mediterraneo" também apresenta a nova formação do Even Flow com o vocalista Marco Pastorino (Fallen Sanctuary, Temperance) e o baixista Luca Negro (Temperance) se juntando aos irmãos Lunesu Pietro Paolo (guitarra) e Giorgio (bateria).

Ao longo dos anos, desde sua estreia em 2008 com seu EP "Dream Weaver", Even Flow fez várias turnês pela Europa e apoiou bandas como Serious Black, Firewind, Eluveitie, Iron Savior, Katatonia, Orphaned Land, Katatonia, Pain Da Salvação entre muitos mais.

"Mediterraneo" é o próximo nível majestoso de conquista para Even Flow e é recomendado para fãs de Dream Theater, Fates Warning, Stratovarius, Angra e Queensryche.

A pré-venda do EP está disponível em https://linktr.ee/bandevenflow

Videoclipe - "Ocean Lies":


Tracklist:

1. Ocean Lies (5:12)
2. Ray of Light (4:50)
3. Leaves (2:54)
4. Revelation Day (3:00)
5. Mediterraneo (7:32)

EP Length: 23:30

A Banda:

Marco Pastorino: Vocals and Choirs
Pietro Paolo Lunesu: All Electric and Acoustic guitars
Giorgio Lunesu: Drums and Percussion
Luca Negro: Bass

Ozzy Osbourne: o icônico álbum de estreia "Blizzard of Ozz"

Debut da carreira solo do Madman impressionou e o recolocou no auge.

Ozzy Osbourne é justamente uma das figuras mais queridas do rock; sem ele, a vida seria muito menos agradável. Um dos frontmen mais coloridos da história do rock, seu estilo icônico de entrega vocal carregava os sons pulsantes das lendas de West Midlands, Black Sabbath, de seus estágios primitivos como Earth até seus pioneiros discos de metal, como "Paranoid" e "Master of Reality".

A entrega vocal de outro mundo de Osbourne permitiu que a banda imbuísse seu trabalho com a negritude que pegou o mundo desprevenido, com seu lamento combinando com as letras góticas de Geezer Butler em sua estreia homônima em 1970. Seu trabalho estabeleceu um precedente para o que estava por vir, com quase todos os dos vários subgêneros do metal devido muito a Osbourne e ao Black Sabbath original, o baixista e letrista Butler, o guitarrista Tony Iommi e o baterista Bill Ward.

Apesar do quarteto Brummie ter feito muitos avanços em sua carreira, seu hedonismo e dedicação ao inferno fariam as relações interpessoais na banda se tornarem tão tensas que em 1979, Osbourne foi demitido. No entanto, exibindo seu talento indiscutível e natureza incrivelmente corajosa, ele formou outra roupa, que o faria realmente consolidar seu status como 'O Príncipe das Trevas'.

Chamado de The Blizzard of Ozz, o novo grupo era formado pelo ex-guitarrista do Quiet, Riot Randy Rhoads, o baixista e letrista Bob Daisley do Rainbow, o tecladista Don Airey, também do Rainbow, e o baterista Lee Kerslake do Uriah Heep.

Em 1980, eles lançaram seu álbum de estreia homônimo, que apresentava faixas como 'Crazy Train' e 'Mr. Crowley', e confirmou a todos que Osbourne e Rhoads formaram uma das parcerias criativas mais poderosas da época, tornando a morte prematura do guitarrista em 1982 um pouco mais difícil de suportar. No final da década, e com uma série de escapadas insanas em seu nome, Osbourne foi cimentado como um dos maiores de todos os tempos e um dos personagens mais célebres do rock 'n' roll.

Hoje em dia, a música assumiu um papel mais secundário para Osbourne, já que ele não é mais o frango da primavera que já foi, com sua prolongada batalha com sua saúde um fator determinante nisso. No entanto, isso não o impediu de ser um dos sábios residentes da música, e seus pensamentos sobre a forma são tão preciosos quanto qualquer um de seus contemporâneos sobreviventes.

Via FAR OUT.

segunda-feira, 19 de setembro de 2022

Próximo álbum do Nightwish será o terceiro de uma trilogia

O tecladista e principal compositor do Nightwish, Tuomas Holopainen, falou com o Rauta sobre o que os fãs podem esperar do sucessor de “Human. :II: Nature”. Ele disse (conforme transcrito por BLABBERMOUTH.NET): "Eu sinto que vai ser a terceira parte de uma trilogia iniciada por 'Endless Forms Most Beautiful' (2015)] seguido por 'Human. :II: Nature' e, em seguida, finalizado por este próximo álbum."

Tuomas Holopainen: "quando o Nightwish entregar tudo que puder, eu desisto".

De acordo com Tuomas, o próximo LP cobrirá terrenos anteriormente desconhecidos, continuando no estilo mais cinematográfico que caracterizou alguns dos esforços recentes da banda.

"Sempre há algo novo", explicou. "É importante para minha própria saúde mental, quando se trata de escrever música, que você precise buscar novos territórios e tentar não se repetir. E isso pode ser ouvido no próximo álbum, com certeza, já na demo que nós fizemos."

Perguntado se o próximo disco será mais uma vez uma exploração da ciência evolutiva, como foi o caso dos dois lançamentos anteriores, Tuomas disse: "Sim e não. Ele navega nas mesmas águas, mas há algumas novas surpresas também."

Holopainen continuou dizendo que os fãs do grupo terão que esperar um pouco antes de ouvir novas músicas da banda. “Entraremos no estúdio no próximo ano e o álbum será lançado talvez no início de 2024”, disse ele.

No mês passado, Holopainen disse ao Knotfest que ele e seus companheiros de banda passaram “as últimas semanas” ouvindo uma demo do próximo álbum. "Por causa do COVID, muito tempo livre, decidi usar isso bem, então escrevi todas as músicas para o próximo álbum, fiz uma demo, escrevi as letras e agora estamos discutindo com esses caras", disse ele. , referindo-se ao baterista Kai Hahto e ao resto do Nightwish.

Kai acrescentou: "Sim, tem sido ótimo. Nós seis, na mesma sala, ouvindo demos novas para o próximo álbum, verificando as letras e os vocais e coisas assim. Então tem sido maravilhoso. Esse homem [Tuomas ] tem sido muito produtivo."

No início do mês, Tuomas disse a Rock Sverige que ele passou "cerca de um ano" trabalhando nas músicas e letras para o próximo álbum do Nightwish, "e então terminamos as demos cerca de dois meses atrás. Estamos chegando ao estúdio no próximo verão, então daqui a cerca de um ano", revelou. "Como eu disse, é melhor usar o tempo para alguma coisa."

Perguntado se ele teve algum tipo de inspiração da pandemia, Tuomas disse: "Sim, liricamente há algumas coisas que refletem a pandemia, mas não da maneira que você esperaria".

"Human. :II: Nature." foi lançado em abril de 2020. O sucessor de "Endless Forms Most Beautiful" de 2015 foi um álbum duplo contendo nove faixas no CD principal e uma faixa longa, dividida em oito capítulos, no CD 2.

Em agosto, o Nightwish anunciou a adição do baixista Jukka Koskinen (Wintersun) como membro oficial da banda. Koskinen, que fez sua estreia ao vivo com o Nightwish em maio de 2021 nas duas experiências interativas da banda, passou o último ano em turnê como músico contratado.

“Freedom”, novo álbum do Journey, ganha versão física no Brasil

Lançamento da BMG é o 15º da lendária banda americana.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

Primeiro álbum de inéditas do Journey em 11 anos, “Freedom” é um marco na discografia da veterana banda. Explosivo e pensado para se conectar com o público de palcos e arenas (que são referência na história do grupo), o disco é um lançamento BMG que ganha uma edição física no Brasil. O CD já está disponível em pré-venda e com chegada às lojas marcada para 30 de setembro.

Ouça “Freedom” e garanta álbum na pré-venda: https://journeymusic.lnk.to/freedom 

Freedom” se torna o 15º registro de estúdio do Journey e o primeiro desde “Eclipse”, de 2011. Além do tecladista e compositor Jonathan Cain e do vocalista Arnel Pineda, mais um membro foi recrutado para a gravação - o baixista Randy Jackson, que havia tocado no álbum “Raised on Radio” (1986).

Assista ao clipe “You Got The Best of Me”:

Assista ao clipe “The Way We Used to Be”: 

Assista ao visualizer “United We Stand”:

Essa é mais uma página para uma carreira com mais de 100 milhões de álbuns vendidos, clássicos imortais - “Don’t Stop Believin" é a música com mais downloads da história - e presença no Hall da Fama do Rock n’ Roll.

O novo álbum do Journey já está disponível em todos os serviços de música.

Tracklist:

Together We Run

Don’t Give Up On Us

Still Believe In Love

You Got The Best Of Me

Live To Love Again

The Way We Used To Be

Come Away With Me

After Glow

Let It Rain

Holdin On

All Day And All Night

Don’t Go

United We Stand

Life Rolls On

Beautiful As You Are.

Silent Cry: A liberdade da nossa espontaneidade em novo vídeo clipe de "Snake's Dance"; assista

O Silent Cry, um dos expoentes do Gothic Doom nacional, está prestes a lançar o seu novo álbum, intitulado "Terra" e que será lançado pelo selo Heavy Metal Rock. Dois vídeos foram lançados para as músicas "Absolutely Empty" e "Lucifer´s Eyes" em julho e agosto, respectivamente e a banda acaba de lançar o terceiro single do aguardado novo álbum da banda.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

"Snake's Dance" aborda o tema da liberdade de nossa espontaneidade e nas palavras do guitarrista, vocalista e fundador Dilpho Castro: "Nesse momento, o personagem (o andarilho solitário) ele acessa uma espontaneidade, onde ele percebe que ele caminha e é como se ele fosse carregado por essa espontaneidade, que é representada pela cobra, que seria também o universo feminino, a dança, a leveza pela vida".

O vídeo foi produzido por Dani Mazza e filmado no Estúdio Fusão, de propriedade de Thiago Bianchi ( Notturnal, Ex- Shaaman), que foi o produtor do novo álbum "Terra", o primeiro com a formação atual do Silent Cry que conta com Juliana Rossi nos vocais, Dilpho Castro na guitarra e vocais, Albenez Carvalho na guitarra, Roberto Freitas no baixo e Jhonn Otávio na bateria. As orquestrações foram gravadas por Pablo Greg.

Confira abaixo o vÍdeo clipe de "Snake's Dance":

A banda já está com a agenda aberta para a primeira parte da turnê de divulgação do disco "Terra". Interessados em levar o Silent Cry para a sua cidade, podem enviar um e-mail para emmanagementoficial@gmail.com ou pelo whatsapp +54 9 2901 404141.

Les Mémoires Fall divulga novo vídeo de "Tears" com participação especial; assista

A Les Mémoires Fall é atualmente um dos grandes representantes do Doom Metal brasileiro, ao lado de outros grandes nomes da cena pesada e lenta nacional. Com 11 anos de banda, 2 álbuns lançados, 3 splits e participações em algumas coletâneas importantes como "Cathedrals of Doom" (com bandas européias), "Brazilian Doom Metal" e "My Dying Bride Tribute Brazil" a banda tem se consolidado e atraído cada vez mais atenção da mídia e dos fãs de Doom Metal.

Quer anunciar sua banda/artista/eventos/notícias/produtos musicais na Confraria? Mande seu material para confrariafloydstock@gmail.com

No momento, a Les Mémoires Fall se encontra em estúdio, gravando o seu novo álbum, que irá se chamar "Abissal" e que contará com 7 músicas. E enquanto o disco não fica pronto, a banda acabou de disponibilizar um novo vídeo para a música "Tears", que originalmente foi lançada em 2012 no split com a banda Lugubres e que ganhou em 2021 uma nova versão, que teve a participação especial da vocalista Cimone Tavares, da banda paraguaia Hallowed Sin.

A música também foi incluída no split "Dying Dreams", com a banda alemã Imparity e que foi lançado em 2021 na Argentina em cd pelo selo Herrecords e na Alemanha em vinil pelo selo Schattenpfade Records. O vídeo de "Tears" foi gravado em formato quarentena, ainda em 2021, com cada integrante em sua casa, para que a banda pudesse participar de festivais online e apenas agora foi liberada no canal da banda.

Confira abaixo o vídeo de "Tears", com participação de Cimone Tavares:

Em paralelo, a Les Mémoires Fall anunciou os últimos shows de 2022 da banda. As datas serão 23 e 25 de setembro em São Paulo e São José dos Campos respectivamente, ambas datas acompanhando os chilenos do Weight of Emptiness, que farão sua primeira tour no Brasil. As entradas já estão disponíveis para ambos os shows, nos links a seguir https://www.sympla.com.br/weight-of-emptiness-chile--crucifixion-br--les-memoires-fall-em-sao-paulo__1671835 (São Paulo) e https://www.sympla.com.br/weight-of-emptiness-chile--spiritual-hate--les-memoires-fall--umbilichaos__1671852 (São José dos Campos).

domingo, 18 de setembro de 2022

Black Sabbath: como "Paranoid" "matou" os anos 60

Às vezes, um álbum pode fazer você sentar e prestar atenção.  Às vezes pode pegar um grupo de indivíduos anteriormente desconhecido e transformá-los em sua nova banda favorita.  Raramente esses álbuns criam um gênero totalmente novo e, ainda mais raramente um álbum consegue fazer todos os três em apenas oito músicas.  Hoje, no aniversário de seu lançamento, estamos relembrando o magnífico "Paranoid" do Black Sabbath.

Olhando para trás, é fácil ver como o "Paranoid" acabou com o amor livre e os espíritos elevados dos anos sessenta com uma estaca no coração.  Black Sabbath viu o corpo ferido da década, sangrando esperanças tecnicolor de reinos da contracultura e vomitando as falsas promessas de uma geração de artistas e, em vez de realizar RCP, estava feliz em matar a década com uma mão forte sobre a boca e um  fogo nos olhos coletivos da banda.  Este foi o álbum que começou não apenas o domínio do rock do Sabbath, nem se tornou um modelo de heavy metal para todos seguirem.  Este foi o álbum que assassinou os anos sessenta.

O segundo álbum da banda estava cheio de intenções maliciosas quando foi lançado do estúdio por Ozzy Osbourne, Tony Iommi, Bill Ward e Geezer Butler. Quer eles soubessem ou não, o Sabbath tinha acabado de colocar os anos sessenta em uma cova rasa e eles fizeram isso com um dos discos de heavy metal mais abrangentes de todos os tempos. No final de 1970, a visão do mundo dos anos sessenta e o movimento de amor livre que emanou de São Francisco em 1967 azedaram. Drasticamente.

Muito do que borbulhava no bairro de Haight-Ashbury, o epicentro do movimento de contracultura e o local privilegiado do Summer of Love, foi construído com base na esperança e na crença de que a ação coletiva poderia mudar as coisas. À medida que o tempo passava e nada parecia mudar, exceto a capacidade mental daqueles hippies que participavam continuamente de experimentos com LSD, a visão que havia sido mapeada na década oscilante estava começando a escurecer a cada passo. Em 1970, tudo ficou preto.

Entra o Sabbath.

Se você estava procurando a antítese do bairro nobre de São Francisco, então você só precisa virar a cabeça para os anos setenta de Birmingham, Inglaterra. A cidade sempre teve um coração industrial pulsante, mas agora essas indústrias estavam começando a empacotar. Deixou a cidade em ruínas e as ruas cobertas de pó de carvão não eram exatamente o tipo de lugar que você poderia andar descalço. É fácil ver como as visões e as paisagens sonoras criadas dentro deles combinam com a música que foi feita neles.

Claro, o álbum foi realmente gravado em Londres e supervisionado por Rodger Bain. Embora seja um pouco difícil chamar "Paranoid" de o primeiro álbum de heavy metal, o próprio stonker do Led Zeppelin foi lançado quase dois anos antes, mas certamente tem todas as características e talvez vá um pouco mais longe com sua iconografia obviamente mais distorcida. Enquanto o Zeppelin foi inspirado por Aleister Crowley, sempre parecia que Ozzy e a banda estavam realmente vivendo nele.

Através de músicas como a faixa-título, 'Electric Funeral' e 'Iron Man' os Sabbath criaram um som totalmente novo, extrapolando o melhor do blues e a revolução do rock que o antecedeu, mas agora com uma lâmina brilhante nas costas. Ozzy Osbourne era aquela lâmina muito brilhante, é quase impossível retirar seu carisma deste álbum, ele se integra a cada nota. Vocalmente, ele é magistral, sinceramente magistral. No entanto, é no comando das músicas que ele realmente brilha.

Sob sua orientação, embora não tenhamos certeza de quão consciente ele estava, ele supervisionou o Black Sabbath criando um dos álbuns mais potentes de todos os tempos.  Eles conseguiram porque Ozzy sempre se sentiu incrivelmente autêntico ao cantar as músicas.  Ou neste disco, onde vocalmente ele mostra o quão bom ele realmente era ou no palco – seja o que for, Osbourne tinha.  Na verdade, ele ainda faz.

No resto das oito faixas do disco, há lembretes de por que o Sabbath se tornou um muso-culto.  Seja o alívio enervante de 'Planet Caravan' ou o blues sombrio que ressoa em 'Hand of Doom', aqui está um álbum que é certamente tudo assassino e sem enchimento. Claro, talvez o álbum também tenha uma arma de abertura diferente de qualquer outro LP, a incrível música 'War Pigs'. A faixa tem uma intensidade inigualável e conta tudo o que você precisa saber sobre o que foi esse álbum. Guerra.

Este foi o álbum que confirmou toda a esperança e liberdade dos anos sessenta. Agora, a realidade de uma festa de uma década caiu pesadamente aos pés de uma nova geração. Ao invés de resgatar a situação, com "Paranoid", Black Sabbath acabou com a década inteira de sua miséria.

Via FAR OUT.

sexta-feira, 16 de setembro de 2022

Pink Floyd lança, enfim, a versão remixada de "Animals"; ouça

Discordâncias entre Gilmour e Waters atrasaram o lançamento, antes previsto para 2018.

Os processos, os insultos nas entrevistas, as manchetes com citações furiosas sobre todos os assuntos do Pink Floyd, tem sido deprimente assistir Roger Waters e David Gilmour, o ex-yin-yang de uma grande banda de rock de todos os tempos, constantemente brigando em público.

Parte disso é a adoração dos fãs falando. Quem não preferiria a noção de conto de fadas de que todos os ex-colegas de banda continuam amigos, preservando o legado acima de tudo? Mas, neste caso, também é uma preocupação prática: um “novo” remix de "Animals", LP de 1977 da banda, foi finalizado em 2018, mas disputas no encarte (sim, sério) contribuíram para o grande atraso do projeto. (Entenda melhor as desavenças lendo a matéria no link abaixo) 

Pink Floyd supera brigas e enfim anuncia reedição de 'Animals'.

Ironicamente,  "Animals" original ofereceu o último sabor de seu equilíbrio criativo. Claro, você poderia ter um bom argumento para o sucessor de 1979, "The Wall", um álbum conceitual quase inteiramente liderado por Waters, como a obra-prima do Pink Floyd. Mas "Animals", pelo menos sonoramente, destacou o espírito da velha escola que definiu o pico dos anos 70.

Para não dizer que a vibe era totalmente democrática. Gilmour (guitarra e vocais) e Richard Wright (teclados), que fizeram contribuições significativas para "The Dark Side of the Moon" e "Wish You Were Here", estavam menos envolvidos desta vez: entre os dois, eles conseguiram apenas um co- escrever (Gilmour nos 17 minutos "Dogs"). Ainda assim, ao contrário de "The Wall", que muitas vezes soa como Waters com apoio de elite, "Animals" é muitas vezes mais sobre atmosfera e humor do que composição convencional de qualquer maneira, o conceito lírico de Waters, comparando falhas humanas ao comportamento animal, cria uma escuridão subjacente sobre a qual os músicos constroem.

Gilmour nunca tocou com tanta agressividade nua, desde o talk-box corajoso e o baixo funky de "Pigs (Three Different Ones)" até seu dedilhar acústico sincopado e solos harmonizados em "Dogs". Wright, embora nunca tão assertivo quanto em "Wish You Were Here", ainda é um mestre da textura: sua brilhante introdução de piano elétrico para "Sheep" é crucial para essa faixa, criando uma sensação de introspecção jazzística que é gradualmente desenraizada e subvertida ao longo de mais de 10 anos.

Em “Animals” o Pink Floyd mostra o prog rock numa atmosfera punk.

O remix de James Guthrie não oferece grandes revelações em "Animals", como a maioria dos álbuns do Floyd do período intermediário, já era perfeito em um nível de fidelidade. As alterações aqui são interessantes, mas sutis, modernizando o som um pouco: bateria mais forte e efeitos vocais mais proeminentes em "Pigs (Three Different Ones)", uma dissolução mais pronunciada do vocal gritado de Waters no sintetizador rodopiante durante os versos de "Sheep." (Uma escolha estranha: o pequeno e saboroso riff de baixo aos 4:25 em "Dogs" soa visivelmente mais silencioso.)

Os fãs provavelmente discutirão os méritos de uma versão sobre a outra. Justo, realmente, não seria um projeto do Pink Floyd sem um pouco de drama.

Via UCR.

Ouça via Spotify no player abaixo ou clique AQUI para outras plataformas.

Tracklist:

Pigs on the Wing (Part One)

Dogs

Pigs (Three Different Ones)

Sheep

Pigs on the Wing (Part Two).

Epica libera clipe ao vivo de "The Final Lullaby", canção em colaboração com Shining; assista

"The Alchemy Project", novo EP do Epica, traz a banda contando com a colaboração de outros artistas, chegará no dia 11 de novembro próximo, via Shinigami/Nuclear Blast.

O Epica liberou hoje o primeiro single do EP colaborativo que está prestes a lançar.

As imagens foram gravadas no show realizado no dia 3 de setembro último em Tilburgo, ocasião em que a banda celebrou seus 20 anos de estrada.

O vídeo traz a participação de Jørgen Munkeby do Shining ao saxofone e voz, cantando com Simone Simons e a banda, antecipando o vindouro EP, já em pré-venda AQUI e AQUI (Brasil).

Assista:


Tracklist:

1) The Great Tribulation feat. Fleshgod Apocalypse
2) Wake the World feat. Phil Lanzon (Uriah Heep) & Tommy Karevik (Kamelot)
3) The Final Lullaby feat. Shining
4) Sirens - Of Blood and Water feat. Charlotte Wessels & Myrkur
5) Death is not the End feat. Frank Schiphorst (MaYaN) & Björn "Speed" Strid (Soilwork)
6) Human Devastation feat. Henri Sattler (God Dethroned), Sven de Caluwé (Aborted)
7) The Miner feat. Asim Searah (Damnation Plan), Niilo Sevänen (Insomnium), Roel van Helden (Powerwolf).

The Erinyes lança seu álbum de estreia homônimo; ouça

O debut homônimo da The Erinyes, nova banda multinacional formada pelas frontwomen, a francesa Justine Daaé (Elyose), a brasileira Mizuho Lin (Semblant) e a italiana Nicoletta Rosellini (Kalidia),chegou hoje, via Frontiers Music Srl.

The Erinyes libera clipe de "Death by A Broken Heart"; terceiro single de seu álbum de estreia; assista.

The Erinyes anuncia seu álbum de estreia e libera clipe de "Betrayed"; assista.

Vocalistas do Elyose, Semblant e Kalidia criam a nova banda The Erinyes e lançam clipe; assista.

Em nota anterior, a gravadora declarou sobre o lançamento:

"A Frontiers Music Srl tem o orgulho de anunciar o próximo álbum de estreia auto-intitulado da The Erinyes, uma nova força musical emocionante, liderada por não um, não dois, mas três incríveis vocalistas: Justine Daaé, Mizuho Lin e Nicoletta Rosellini. "The Erinyes" será lançado em 16 de setembro de 2022. Hoje, os fãs podem desfrutar de um novo single e videoclipe, 'Betrayed' para pré-visualizar o que está para vir no álbum.

O nome da banda é derivado da mitologia grega, onde as Erinyes, também conhecidas como as Fúrias, são um trio de divindades ctônicas da vingança. As cantores das Erinyes vêm de bandas emocionantes e em ascensão na cena do metal. Justine Daaé lidera seu próprio ato solo de metal gótico-industrial Elyose fora da França, Mizuho Lin é co-vocalista da banda brasileira de metal sinfônico/dark metal Semblant, e Nicoletta Rosellini canta para as bandas italianas Walk In Darkness e Kalidia. O seu álbum de estreia é um trabalho conceitual em torno de três amazonas que estão a ter uma disputa centrada em  seus interesses amorosos.

Escrito e produzido por Aldo Lonobile (Secret Sphere, Avalon de Timo Tolkki, Archon Angel), este álbum ambicioso e glorioso de metal sinfónico mostra os incríveis talentos vocais destas três jovens cantoras. The Erinyes é uma audição obrigatória para os fãs de Beyond the Black, Delain, Visions of Atlantis, Exit Eden, e afins."

Ouça o álbum na íntegra, via Spotify, ou clique AQUI para demais plataformas.

Tracklist:

1. Life Needs Love
2. Drown The Flame
3. On My Way To Love
4. Betrayed
5. Death By A Broken Heart
6. Where Do We Go
7. It's Time
8. Someday
9. My Kiss Goodbye
10. Paradise
11. Take Me
12. You And Me Against The World

A Banda:

Justine Daaé - Vocals
Nicoletta Rosellini- Vocals
Mizuho Lin- Vocals
Aldo Lonobile – Guitars
Andrea Buratto – Bass
Michele Sanna – Drums
Antonio agate – Keyboards