Confraria Floydstock: Assista ao Pink Floyd reagir calmamente a esta entrevista a um esnobe crítico de música clássica

quarta-feira, 17 de agosto de 2022

Assista ao Pink Floyd reagir calmamente a esta entrevista a um esnobe crítico de música clássica

"Por que tem que ser tão alto?".

É fácil esquecer que mesmo os artistas hiper-influentes mais universalmente aclamados podem se perder em alguns. Na primavera de 1967, o Pink Floyd estava gravando seu álbum de estreia, "Piper At The Gates Of Dawn", quando apareceu no programa de artes da BBC The Look Of The Week, apresentado por Hans Keller, em 14 de maio. A banda tocou um breve trecho de "Pow R. Toc H.", antes de explodir através de "Astronomy Domine". Após a apresentação, Roger Waters e Syd Barrett sentaram-se para conversar com seu anfitrião, Sr. Keller, que não ficou impressionado.

Keller era um crítico de música proeminente especializado em clássicos, ópera e compositores clássicos do século 20, que vieram para o Reino Unido da Áustria para escapar da anexação com a Alemanha. Ele estudou violino e tocou com Oskar Adler, contemporâneo e amigo do influente compositor Arnold Schoenberg. Os interesses de Keller se estenderam além da música para a psicanálise, e ele trouxe uma abordagem cerebral para a crítica musical.

Mas ele não era fã do Floyd. “Talvez eu seja um pouco músico demais para apreciá-los completamente”, diz Keller, acertando seu primeiro golpe verbal em sua introdução. “Talvez seja minha culpa não apreciá-los”, declara em um tom que sugere que não é culpa dele.

Ele abre a entrevista perguntando a Waters: “Por que tudo tem que ser tão terrivelmente alto?”, acrescentando “Eu simplesmente não consigo suportar”. Para seu crédito, Waters e Barrett permanecem imperturbáveis ​​durante o interrogatório, respondendo simplesmente que eles gostavam de volume alto e que tocavam em lugares amplos onde o volume maior se fazia necessário. Deixando de lado o descaso de Keller, a entrevista ocorreu em um momento crucial na história do rock britânico, quando o Floyd liderou a transição de tocar em dancehalls, com o objetivo de manter as pessoas dançando, para realizar shows dedicados onde a performance em si era o foco. Dois dias antes de sua aparição na TV, eles realizaram o show de tendências Games For May no Royal Festival Hall, que apresentou aos fãs as delícias do som Quadrifônico ao vivo.

A influência psicanalítica de Keller se afirma quando ele encerra o segmento comparando a música de Floyd ao tratamento de choque, antes de concluir que sua abordagem representa uma regressão à infância. Por misericórdia eles não tocaram "Mathilda Mother", ou os instintos freudianos de Keller teriam se esgotado.

Via PROG.

Assista a entrevista infame abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário