head> Confraria Floydstock: Rolling Stones: os 60 anos do 1º show da banda

terça-feira, 12 de julho de 2022

Rolling Stones: os 60 anos do 1º show da banda

A carreira dos Rolling Stones na verdade não começa com ninguém dos Rolling Stones. Em vez disso, começa com um homem chamado Alexis Korner, um fanático por blues cuja banda Blues Incorporated realizou um consistente show de quinta à noite no Marquee Club em Londres durante o início dos anos 1960. Jovens fanáticos por blues de toda a Inglaterra se reuniam para ouvir a banda de Korner tocar e, na maioria das vezes, Korner encorajava alguns dos presentes a pular no palco com a banda.

Alguns desses jovens atendentes foram Mick Jagger, Keith Richards e Brian Jones. O trio de jovens fãs de blues tinha acabado de começar a tocar com o pianista Ian Stewart quando Korner os abordou com uma oferta: Korner estava programado para aparecer no programa Jazz Club da BBC Radio e não poderia fazer um de seus shows semanais de quinta à noite no a Marquesa. A nova banda dos meninos se importaria em substituí-lo?

Houve alguns problemas logo de cara. Primeiro, o grupo ainda nem tinha um nome próprio. Depois de algum brainstorming, um riff em uma música de Muddy Waters (as fontes diferem se era o real 'Rollin' Stone Blues' ou um dos vocais improvisados ​​de Muddy em 'Mannish Boy') deu à banda seu título oficial: The Rollin' Stones.

O outro problema era que a banda não tinha uma formação definitiva. Um artigo de prévia para o show na edição daquela semana do Jazz Weekly anunciou a formação como Jagger, Richards, Jones (sob o nome artístico de Elmo Lewis), Stewart, o futuro guitarrista do Pretty Things, Dick Taylor, e o futuro baterista do Kinks, Mick Avory. Avory negou ter tocado com a banda no primeiro show, alegando que seu amigo Tony Chapman tocou em vez disso, enquanto os próprios membros da banda não conseguiam se lembrar se tocaram com um baterista.

De qualquer forma, o grupo recém-solidificado queria que o baterista da Blues Incorporated, Charlie Watts, se juntasse a eles, mas ele já estava preocupado com o grupo de Korner. Além disso, Watts estava ganhando um bom dinheiro com a Blues Incorporated – levaria mais um ano até que os Rollin’ Stones conseguissem desembolsar dinheiro suficiente para convencer Watts a se juntar a eles.

Um único setlist escrito à mão do show de 12 de julho sobreviveu, embora pareça ser menos um setlist real e mais uma lista de músicas que a banda pode extrair. Nenhum setlist real organizado da noite é conhecido, mas algumas das músicas que a banda tocou incluem 'Kansas City' de Little Richards, 'Bright Lights Big City' de Jimmy Reed e 'Dust My Broom' de Robert Johnson.

O grupo também incluiu 'Confessin' the Blues' de Jay McShann na lista. A faixa seria incluída no segundo EP da banda "Five By Five" lançado em 1964 e mais tarde no segundo LP americano dos Rolling Stones '12 X 5'. A autobiografia de Keith Richards, "Life" também lembra que 'Got My Mojo Working' de Ann Cole foi tocada naquele noite. Várias fontes tentaram reconstruir o setlist exato da noite, mas como nenhuma gravação de áudio da noite sobreviveu ou foi gravada em primeiro plano, é impossível saber exatamente o que a banda tocou naquela noite.

O que sabemos é que os Rollin' Stones causaram uma impressão forte o suficiente para receber um convite de volta. O Marquee Club viria a ser a base da banda nos primeiros dois anos. Taylor não durou muito tempo após o primeiro show da banda, e ele seria substituído por Bill Wyman. Eventualmente, os Rollin' Stones registraram shows suficientes para finalmente fazer Watts se juntar a eles de forma permanente, e não muito tempo depois o empresário Andrew Loog Oldham começaria a empurrar a banda como a alternativa mais suja e perigosa aos Beatles.

Via FAR OUT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário