Confraria Floydstock: Os melhores álbuns de 2020, segundo a Confraria Floydstock

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Os melhores álbuns de 2020, segundo a Confraria Floydstock

Parecia que ele não teria fim, mas o tenebroso e angustiante 2020 chegara aos seus últimos instantes.

Como uma das coisas que salvou este ano denso fora a música, a Confraria Floydstock, mantendo a tradição de fim de ano, traz aqui a sua lista dos 20 melhores álbuns destes 12 meses.

Obviamente, que como toda lista, a da Confraria Floydstock tem e muito do gosto pessoal dos editores que vos escreve, além do que você deve ter visto rolar por aqui em 2020, bem como talvez lhe surpreendendo com esse ou aquele disco incluso na relação.

Lembrando que só selecionamos álbuns de estúdio, que contenham canções até então inéditas e neste ano de 2020, duas "menções honrosas" ao final, de 2 álbuns Ao Vivo.

Os álbuns que estiverem com link, significa que há matéria e/ou resenha sobre eles aqui na Confraria, basta clicar e conferir.

Não se atenha tanto às colocações dos álbuns, pois rankear nestes casos é algo meramente subjetivo.

Obviamente que há inúmeros outros bons álbuns que também poderiam ser lembrados aqui e você, caro leitor pode ficar a vontade para citá-los.

Ao final da lista, disponibilizamos uma playlist no Spotify, contendo todas as canções dos vinte álbuns selecionados abaixo, somados dos álbums Ao Vivo, como  "Menção Honrosa". São 284 canções em mais de 22 horas. Uma bela parte do universo do rock e metal que a Confraria Floydstock entende estar repleta de qualidade.

Todos os álbuns foram ouvidos e escolhidos por André Floyd e/ou Renato Azambuja.

LEIA TAMBÉM:

Os melhores álbuns de 2019, segundo a Confraria Floydstock

Os melhores álbuns de 2018, segundo a Confraria Floydstock

Os melhores álbuns de 2017 escolhidos pela Confraria Floydstock.

Enfim, para a Confraria Floydstock os melhores álbuns de 2020 foram:

20 - Bruce Springsteen – "Letter to You"

Após 6 anos, The Boss volta a lançar um trabalho acompanhado pela E Street Band, num disco todo ele gravada no estúdio na casa do músico. Bruce acerta novamente.

19 - AC/DC – "Power Up"

Este certamente fora o álbum mais previamente especulado deste lista. E quando tudo começava a adormecer e a cheirar boato, eis que o novo álbum do AC/DC, dedicado ao seu saudoso co-fundador, Malcolm Young, chegara em novembro de 2020. Não chega a ser brilhante, mas vale o registro histórico.

18 - Sepultura - "Quadra"

Seguindo a linha de seu predecessor, "Machine Messiah", a banda brasileira sequencia os trabalhos ousando e evoluindo sempre, sem nenhuma amarra aos tempos que o consagrara, e isso está longe de ser um problema para eles.

17 - Amberian Dawn - "Looking for You"

Symphonic Metal com nuances de ABBA, pode? Sim e com direito a um cover dos próprios. Aqui o Amberian Dawn se propusera a contrabalancear seu peso com a leveza pop.

16 - Bob Dylan - "Rough and Rowdy Ways"

Eis que, beirando os 80 anos, o mestre nos apresenta um álbum duplo, com direito a uma faixa de 17 minutos, trazendo uma ordem cronológica. Coisa de gênio.

15 - Eleine - "Dancing In Hell"

Todo o vigor do power metal banhado a metal sinfônico ou vice-versa. Em seu 3º álbum de estúdio, a banda sueca soa vibrante e cativante.

14 - Cherie Currie – "Bvlds of Splendor"

O novo álbum da 'Cherry Bomb' não deseja em nenhum momento reverenciar seu passado nas Runaways mas explica sua importância no sucesso da banda. Sua voz e vigor, acrescidos agora de maturidade, conseguem ofuscar as participações especiais de convidados do calibre de Matt Sorum, Duff McKagan, Slash, Billy Corgan, Juliette Lewis, entre outros.

13 - Sons of Apollo - "MMXX"

2º full-lenght da megabanda montada por Mike Portnoy, este trabalho chegara soando mais "democrático" do que seu antecessor, com as partes funcionando mais para o todo. Metal progressivo eficazmente coeso.

12 - Deep Purple - "Whoosh!"

Novamente sob a tutela de Bob Ezrin na produção, a lendária banda púrpura destila toda a sua categoria de décadas num álbum solene e elegante.

11 - Kiko Loureiro - "Open Source"

Aqui temos a maestria da música instrumental no 5º álbum de estúdio do guitarrista, ex-Angra e atualmente no Megadeth, pingando inclusive uma tenra brasilidade às canções. Como cereja do bolo, a participação especial do ex-Megadeth, Marty Friedman, às 6 cordas.

10 - Steve Howe - "Love Is"

A não ser que Howe consiga ultrapassar este já invejável feito, Love Is é provavelmente o melhor álbum solo de um dos maiores cânones do rock progressivo. Além disso, Howe deu à luz um conjunto de canções acessíveis até aos 'não iniciados', intercalando faixas vocais e instrumentais igualmente inspiradas. Destaque para a faixa "Love is a River"

9 - Derek Sherinian – "The Phoenix"

Acompanhado por uma constelação de convidados, como Steve Vai, Zakk Wylde, Billy Sheehan, Kiko Loureiro, Joe Bonamassa e outros, o tecladista do Black Country Communion e do Sons of Apollo (com quem também figura nesta lista), navega aqui, com toda a sua classe, pelo metal, prog e jazz fusion.

8 - Lucifer - "Lucifer III"

Há 2 anos, "Lucifer II", antecessor deste trabalho, entrava nesta mesma lista em 2018. Agora, a banda sueca, capitaneada pela frontwoman Johanna Sadonis, repete o feito com seu infalível hard rock com ar setentista que em momento algum soa datado, muito ao contrário, cada vez mais moderno.

7 - Joe Bonamassa – "Royal Tea"

Uma espetacular ode ao blues bretão. Joe Bonamassa, outro que aparece por aqui pela 2ª vez, não se cansa de nos brindar com trabalhos de ótimos para estupendos.

6 - Fish - "Weltschmerz"

O trabalho, que levara 3 anos para ser concluído, traz a parceria do ex-vocalista do Marillion com Steve Vantsis e Robin Boult e conta ainda com as contribuições de John Mitchell, Foss Paterson, David Jackson. Prog e experimentalismo da melhor qualidade.

5 - Paul McCartney - "McCartney III"

Quando Paul McCartney coloca o próprio nome no título de seu álbum, isso significa que não é o seu alter ego, Sargento Pimenta, o magnífico entertainer, quem conduz o show, mas o próprio Paul, bem mais, digamos, 'nu' e ousado. Paul McCartney III não decepciona, e ainda traz uma inédita nota que nem esse o inabalável otimista pode omitir acerca dos tempos atuais.

4 - Oceans of Slumber - "Oceans of Slumber"

Campeão de 2018 aqui na Confraria Floydstock, o Oceans Slumber, da fabulosa frontwoman Cammie Gilbert retorna, novamente na parte de cima da lista, com este álbum auto-intitulado imerso em climatizações, arranjos belos e complexos e a magnífica densidade visceral construída através do canto de sua vocalista.

3 - Ozzy Osbourne - "Ordinary Man"

Talvez este não seja o melhor álbum solo do Madman, mas certamente é o mais importante, devido ao fato do eterno frontman do Black Sabbath ter superado todo tipo de adversidade no tocante a sua saúde para fazê-lo e finalizá-lo. Não fosse isso o bastante, o Príncipe das Trevas nos entregara um álbum fascinante, dessa vez mais próximo da sonoridade da banda que o consagrara e ainda contando com a especialíssima participação de Sir Elton John.

2 - Ayreon - "Transitus"

Conceitual. Divina ópera-metal composta pelo multi-instrumentista Arjen Lucassen, passeando pelo prog-metal, metal sinfônico, hard rock e erudito, contando com um vasto time de narrador, músicos e vocalistas de primeira linha.

1 - Nightwish - "Human :||: Nature"

Ave Tuomas Holopainen!!! O líder do Nightwish exala crescentemente todo o seu poder criativo e intelectual por meio de sua banda, deixando entrever cada vez mais seu amor pelo evolucionismo e pelo prog rock, que salutarmente impregnara o symphonic metal, estilo nato do grupo, que aqui triplicara os seus vocais através de Floor Janesn, Troy Donocley e Marko Hietala.

Menções Honrosas (Álbuns Ao Vivo)

Nick Mason's Saucerful of Secrets - "Live at the Roundhouse"

O eterno baterista floydiano resgatara com sua banda, neste concerto que dra origem a uma turnê e um CD/DVD Ao vivo, toda a aura floydiana dos tempos pré-Dark Side of The Moon, revivendo o Criador, Syd Barrett.

 Metallica - "S&M²"

Celebrando os 20 anos de "S&M", concerto em que o Metallica dividira o palco com a San Francisco Symphony, a banda repetira a dose, com uma produção maior e incluindo canções que não estiveram no setlist da apresentação de 1999. Tudo isso registrado em CD/DVD.

Ouça a Playlist "Os melhores álbuns de 2020, segundo a Confraria Floydstock", contendo todos os álbuns da lista, em sequência:

Um comentário: