Confraria Floydstock: Pink Floyd: o famoso show de Veneza

1XBET

1XBET
UTILIZE O CÓDIGO PROMOCIONAL 1x_431349 PARA DOBRAR SEU 1º DEPÓSITO

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Pink Floyd: o famoso show de Veneza


Desde o seu nascimento, o rock tem sido vista como uma força revolucionária e um agente de mudança social. Mas o show do Pink Floyd em Veneza, Itália, em 15 de julho de 1989, resultou involuntariamente no fato de o prefeito e toda a prefeitura terem renunciado após seu término.

De acordo com o The Washington Post, a cidade organizou um concerto gratuito na histórica Piazza San Marco, em Veneza, e que seria exibido na televisão em mais de 12 países. O L.A. Times citou o concerto, dizendo que Veneza “deve estar aberta a novas tendências, incluindo o rock”.

Mesmo antes de uma nota ser tocada, os moradores estavam em pé de guerra, dizendo que as vibrações causadas pela música tinham o potencial de causar danos aos monumentos antigos. A torre do relógio de Veneza, por exemplo, fora concluída em 1499, e a construção da torre do sino da Basílica de São Marcos começou no século IX.

"Os centros históricos não devem ser usados ​​para apresentações incompatíveis com sua natureza histórica", disse ao jornal The New York Times Augusto Salvadori, ex-comissário de turismo de Veneza. "Se eles querem rock, deixe-os fazê-lo em um estádio de futebol, mas não na Piazza San Marco."

Mas o Stadio Pierluigi Penzo tem 7.450 pessoas, o que não é suficiente para acomodar o público do Pink Floyd. Assim, a banda, solidária com a cidade, concordou em reduzir o volume de seu desempenho de 100 decibéis para 60, e executou a partir de uma barcaça flutuante em uma lagoa a 200 metros da praça.


Foi o público, que contou com 200 mil pessoas (apenas 60 mil pessoas vivem dentro dos limites da cidade), que causaram o maior dano, no entanto. Autoridades disseram que deixaram para trás 300 toneladas de lixo e 500 metros cúbicos de latas vazias e garrafas. E como a cidade não fornecia banheiros portáteis, os frequentadores do show se sentiam aliviados nos monumentos e paredes.

Ainda assim, foi relatado que a maioria dos fãs estava no seu melhor comportamento. O único grande dano à praça tinha a ver com algum mármore que havia caído de um grupo de estátuas conhecido como "O Julgamento de Salomão". Era indeterminado se isso era resultado de fãs ou do volume da música.

A indignação foi imediata. "Este não foi um evento cultural", disse o ex-prefeito de Roma, Renato Nicolini, ao The Washington Post, "mas um grande empreendimento comercial promovido pela televisão e pela indústria fonográfica".

Em uma reunião pública dois dias depois, o prefeito Antonio Casellati fizera uma defesa semelhante, dizendo que havia "pressão incomum" da RAI, a rede estatal de televisão que lucrou com o concerto. Mas suas tentativas de contornar foram rechaçadas com gritos de "Renuncie, renuncie, você transformou Veneza em um banheiro". Os venezianos conseguiram seu desejo. Antes do final da semana, todo o conselho da cidade havia se demitido, levando com ele Casellati.

Via UCR

Nenhum comentário:

Postar um comentário